Comitê de Política Monetária (Copom)

Direto ao Ponto
Comitê de Política Monetária (Copom)

O Comitê de Política Monetária (Copom) é o órgão do Banco Central (BC) responsável por definir os juros básicos (Selic).

O colegiado do Copom se reúne a cada 45 dias. Ali, decide-se sobre subir, reduzir ou manter a Selic. O grupo avalia e discute dados como o desempenho da atividade econômica, das contas públicas, inflação, a flutuação do câmbio e a conjuntura internacional. As condições de liquidez e o comportamento dos mercados também são levados em conta.

Por que um evento tão burocrático chama tanta atenção? 

A reunião do Copom é sempre marcada por muita expectativa no mercado financeiro. Ainda que as decisões possam ser previsíveis, já que as projeções são atualizadas semanalmente no Boletim Focus do BC, agentes e investidores se interessam pelas sinalizações dadas pelo Copom no comunicado feito imediatamente após o encontro, e na ata divulgada na terça-feira da semana seguinte. O movimento e o recado do colegiado podem influenciar na calibragem das carteiras, ora tornando a renda fixa mais atrativa, ora favorecendo o cenário para a renda variável. É também a partir do anúncio da nova Selic que os bancos corrigem as suas taxas de juros, que impactam os créditos imobiliários, agrícolas e a tomada de empréstimo pelo público em geral. 

Como tudo começou? 

Tudo começou em junho de 1996. O Copom nasceu com a missão de dar maior transparência ao processo que estabelece os juros básicos nacional. A ideia do Copom não era nova, tanto que ela foi desenhada nos moldes do que já era adotado pelo Federal Open Market Committee (FOMC), do Banco Central dos Estados Unidos (FED), e pelo Central Bank Council, do Banco Central da Alemanha. 

Os encontros do Copom acontecem durante dois dias seguidos (geralmente terça e quarta-feira) e o calendário anual sempre é divulgado em junho do ano anterior. Dele participam só gente graúda, como o presidente e os oito diretores do Banco Central. Eles estudam e analisam as informações apresentadas por um grupo composto pelos chefes do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban), Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab), Departamento Econômico (Depec), Departamento de Estudos e Pesquisas (Depep), Departamento das Reservas Internacionais (Depin) e Departamento de Assuntos Internacionais (Derin).  

A primeira sessão aborda questões técnicas e expectativas gerais. Na segunda etapa acontece a decisão em si. Os integrantes deliberam, por maioria simples, a meta para a Selic para o período, que caminha no cumprimento das metas para a inflação (medida pelo IPCA). 

Quatro fatos sobre o Copom 

  1. Até 2005, as reuniões do Copom eram realizadas todos os meses. 
  1. Há um período de silêncio, em que os integrantes não podem se manifestar. Ele vigora entre a quarta-feira anterior ao encontro e a terça-feira em que a ata é divulgada. 
  1. As decisões do Comitê influenciam diretamente nas aplicações financeiras em renda fixa, como Tesouro Selic, CDB, LCI e LCA
  1. No caso da caderneta de poupança, a Selic tem papel fundamental. Acima de 8,5% ao ano, ela rende 0,5% sobre o valor depositado mais a Taxa Referencial (TR). Abaixo ou igual a 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic mais TR. 

Glossário  Economia Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto
Balança Comercial

A diferença entre o valor adquirido com as exportações e o valor gasto com as importações em um país é chamado de balança comercial.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Banco Central (BC)

Banco Central é a instituição responsável por gerir o sistema financeiro de um país, protegendo o poder de compra da moeda e a estabilidade da política econômica.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
FED

Federal Reserve Bank (FED) é o Banco Central dos Estados Unidos e é o responsável pela política monetária daquele país.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Teto de gastos

Teto de gastos é um mecanismo que surgiu em 2016 e passou a ser aplicado em 2017, que nasceu com a missão de evitar o aumento da relação dívida pública/PIB. As despesas e os investimentos do governo ficam, assim, limitados aos mesmos valores gastos nos 12 meses anteriores terminados em junho e corrigidos pelo IPCA.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Pro rata

Pro rata, ou pro-rata, é um termo usado no mundo da contabilidade, economia, direito e finanças que indica divisões iguais de um valor. A distribuição de dividendos entre acionistas é um exemplo de pro rata.…

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar 🔽

Valor Econômico Publicado em 14.ago.2022 às 14h30
Conheça oportunidades e tendências para investimentos ‘verdes’

Especialistas dizem que temas como créditos de carbono, bioeconomia e impacto social devem estar cada vez mais presentes nas discussões sobre dinheiro

O Globo Publicado em 13.ago.2022 às 08h44
Eletrobras registra queda de 45% no lucro líquido no segundo trimestre

Imbróglio de usina em Santo Antônio e variação cambial impactaram ganhos com privatização

Leila Melo Publicado em 13.ago.2022 às 08h00
Por mais mulheres líderes e empreendedoras

É necessário e urgente pensar em formas de reinserção das mulheres, especialmente das mulheres negras, no mercado de trabalho

Redação IF Atualizado em 12.ago.2022 às 17h20
Natura decepciona com geração de caixa, Aesop e Body Shop; ação (NTCO3) despenca 10,4%

Fábio Barbosa, novo presidente, diz que geração de caixa e corte de custos são prioridade agora

Redação IF Publicado em 12.ago.2022 às 14h24
Aproveitando a onda dos juros altos, investidores correm para a renda fixa

Estoque de ativos cresceu 23,5% no 2º trimestre, em relação ao mesmo período do ano passado

Redação IF Publicado em 12.ago.2022 às 12h10
Hapvida (HAPV3) tem forte alta; Itaú BBA destaca aumento de beneficiários

Ações da companhia estavam entre as maiores valorizações da B3 nesta sexta

Itaú Meu Negócio