Comitê de Política Monetária (Copom)

O Comitê de Política Monetária (Copom) é o órgão do Banco Central (BC) responsável por definir os juros básicos (Selic).

O colegiado do Copom (Comitê de Política Monetária, órgão do BC que define a Selic) se reúne a cada 45 dias. Ali, decide-se sobre subir, reduzir ou manter a Selic.

O grupo avalia e discute dados como o desempenho da atividade econômica, das contas públicas, inflação, a flutuação do câmbio e a conjuntura internacional. As condições de liquidez e o comportamento dos mercados também são levados em conta.

O que é a Selic?

Selic é a taxa básica de juros da economia e o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central (BC) para controlar a inflação. A Selic influencia, portanto, todas as taxas de juros do país, como as taxas de juros dos empréstimos, dos financiamentos e das aplicações financeiras.

Por que um evento tão burocrático chama tanta atenção? 

A reunião do Copom é sempre marcada por muita expectativa no mercado financeiro.

Ainda que as decisões possam ser previsíveis, já que as projeções são atualizadas semanalmente no Boletim Focus do BC, agentes e investidores se interessam pelas sinalizações dadas pelo Copom.

O comunicado é feito imediatamente após o encontro, a ata é divulgada na terça-feira da semana seguinte ao anúncio.

O movimento e o recado do colegiado podem influenciar na calibragem das carteiras, ora tornando a renda fixa mais atrativa, ora favorecendo o cenário para a renda variável.

É também a partir do anúncio da nova Selic que os bancos corrigem as suas taxas de juros, que impactam os créditos imobiliários, agrícolas e a tomada de empréstimo pelo público em geral.

Ata do Copom
– Ilustração: Inteligência Financeira.

Como o Copom surgiu? 

Tudo começou em junho de 1996. O Copom nasceu com a missão de dar maior transparência ao processo que estabelece os juros básicos nacional.

A ideia do Copom não era nova, tanto que ela foi desenhada nos moldes do que já era adotado pelo Federal Open Market Committee (FOMC), do Banco Central dos Estados Unidos (FED), e pelo Central Bank Council, do Banco Central da Alemanha. 

Os encontros do Copom acontecem durante dois dias seguidos (geralmente terça e quarta-feira) e o calendário anual sempre é divulgado em junho do ano anterior.

Quem participa do Copom?

No Copom, participam o presidente e oito diretores do Banco Central. Eles estudam e analisam as informações apresentadas por um grupo composto pelos chefes do Departamento de Operações Bancárias e de Sistema de Pagamentos (Deban), Departamento de Operações do Mercado Aberto (Demab), Departamento Econômico (Depec), Departamento de Estudos e Pesquisas (Depep), Departamento das Reservas Internacionais (Depin) e Departamento de Assuntos Internacionais (Derin).  

A primeira sessão aborda questões técnicas e expectativas gerais. Na segunda etapa acontece a decisão em si. Os integrantes deliberam, por maioria simples, a meta para a Selic para o período, que caminha no cumprimento das metas para a inflação (medida pelo IPCA). 

Quatro curiosidades sobre o Copom 

  1. Até 2005, as reuniões do Copom eram realizadas todos os meses. 
  1. Há um período de silêncio, em que os integrantes não podem se manifestar. Ele vigora entre a quarta-feira anterior ao encontro e a terça-feira em que a ata é divulgada. 
  1. As decisões do Comitê influenciam diretamente nas aplicações financeiras em renda fixa, como Tesouro Selic, CDB, LCI e LCA
  1. No caso da caderneta de poupança, a Selic tem papel fundamental. Acima de 8,5% ao ano, ela rende 0,5% sobre o valor depositado mais a Taxa Referencial (TR). Abaixo ou igual a 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic mais TR. 

Explore mais termos
Swiper Anterior
Swiper Próximo

Direto ao Ponto Desdobramento de ações (ou split)

Desdobramento de ações (ou split) acontece quando uma empresa divide suas ações. O investidor que já tem as ações em carteira continua com o mesmo volume em dinhiero, mas com uma maior quantidade de ações.…

Leia Mais Ir para: Desdobramento de ações (ou split)
Direto ao Ponto Open finance

O open finance é uma iniciativa do Banco Central (BC) para compartilhar seus dados entre instituições financeiras. Tudo só pode ser feito com a sua permissão. Você, então, passa a receber ofertas de tarifas bancárias, opções de investimentos e uma gama de serviços de outros bancos, sem ser cliente deles até então.…

Leia Mais Ir para: Open finance
Direto ao Ponto Plataforma de investimentos

A plataforma de investimentos é uma ferramenta pela qual o investidor consegue fazer suas operações de compra ou venda de ativos virtualmente. Você encontra renda fixa e variável, além de acompanhar o histórico das suas aplicações, e ainda tem acesso a notícias e análises.…

Leia Mais Ir para: Plataforma de investimentos
Direto ao Ponto Bitcoin

Bitcoin é a primeira criptomoeda criada no mundo. Ele é baseado em uma rede descentralizada, chamada de blockchain, e não depende de nenhum banco para circular …

Leia Mais Ir para: Bitcoin
Direto ao Ponto Dividend Yield

Dividend yield é a relação entre os dividendos pagos por uma empresa e os valores da ação.…

Leia Mais Ir para: Dividend Yield
Direto ao Ponto Valuation

Valuation - ou avaliação de empresas, em tradução livre - é o processo de calcular o valor de uma empresa. É útil para investidores que negociam ações na Bolsa e empreendedores que vendem ou compram um negócio.…

Leia Mais Ir para: Valuation

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 23.fev.2024 às 12h50
BC sempre perseguirá inflação de 3%, reitera diretor de Política Econômica

Diogo Guillen notou que as expectativas para o IPCA no relatório Focus continuam desancoradas, em torno de 0,5 ponto porcentual acima do alvo

Redação IF Publicado em 22.fev.2024 às 12h32
Galípolo: desaceleração econômica com safra e efeito de juros é situação mais conjuntural

Na avaliação do diretor do BC, setor externo pode contribuir menos ao crescimento, porém o saldo comercial segue favorecendo uma situação privilegiada

Redação IF Publicado em 21.fev.2024 às 11h43
Campos Neto diz que juro real no Brasil está mais perto da taxa neutra do que o de outras economias emergentes

Presidente do Banco Central avalia que a taxa de equilíbrio brasileira aproximou-se da observada no mundo avançado

Redação IF Publicado em 20.fev.2024 às 13h01
Servidores do Banco Central iniciam paralisação de 48 horas

De acordo com o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (Sinal), a adesão à paralisação abrange pelo menos a metade dos servidores

Redação IF Publicado em 20.fev.2024 às 08h01
Prévia do PIB: indicador do Banco Central tem alta de 2,45% em 2023; acima do esperado

A atividade econômica ganhou tração nos últimos meses de 2023, impulsionada principalmente pelo consumo das famílias, diz economista

Redação IF Publicado em 19.fev.2024 às 12h52
Com paralisação de servidores, BC adia novamente Focus, da terça (20) para a quinta (22)

Além de intensificar a entrega de cargos comissionados, os sindicatos dos funcionários do BC anunciaram que vão parar completamente por 48 horas

Redação IF Publicado em 19.fev.2024 às 09h33
Quanto o PIB do Brasil cresceu em 2023? Novos dados indicam alta de 3% no ano passado

Números prévios do Banco Central e da FGV mostram uma expansão da economia do país em dezembro

Clique e veja mais

Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Continue acompanhando a gente aqui no nosso site, pelo seu e-mail e nas nossas redes sociais. Informação é investimento!

A partir de agora, enviaremos a você as últimas notícias e análises para orientar seus investimentos com inteligência. Não esqueça de checar se nossa mensagem de boas vindas caiu na sua caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira a mensagem para a sua caixa de "Entrada". Obrigada!
Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Verifique se o e-mail com o vídeo caiu na caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira essa mensagem para a sua caixa de "Entrada".

< Voltar ao site