Dividendo

Dividendo é o lucro de uma empresa distribuído aos acionistas. A partilha fica a cargo dos diretores da empresa, que definem se haverá pagamento, qual a quantia a ser paga, quando isso deve acontecer e quais acionistas terão direito ao recebimento. 

Os dividendos são uma das principais vantagens de se investir em ações, pois são uma forma de se lucrar com as empresas sem ter que se desfazer dos papéis e realizar lucro. Além disso, eles são isentos de IR (Imposto de Renda).

Quais são as empresas que mais pagam de dividendos?

No Brasil, as companhias elétricas, os bancos e as empresas de serviços essenciais são conhecidos por pagarem dividendos regularmente.

É comum que empresas que tenham pouco investimento, um caixa gordo, com boa margem financeira em um setor concentrado e previsível repartam uma boa fatia de seus lucros.

Como elas não tendem a crescer exponencialmente, a distribuição de dividendo também é uma forma de atrair investidores. 

Calendário de distribuição

O anúncio de distribuição de dividendos geralmente acompanha a divulgação do resultado operacional do trimestre.

Porém, no comunicado, está descrito quando será efetuado o pagamento e quais acionistas terão direito ao recebimento, além de qual será o valor pago por ação.  

Duas datas importantes para quem está de olho nos dividendos 

São elas: 

1. Data Com 

A Data Com é o último dia que dá ao titular do papel o direito de receber dividendos. Apenas aqueles que tiverem a ação na carteira até a Data Com poderão recebê-los. Caso o acionista se desfaça do investimento antes dessa data, não irá receber o dividendo. 

2. Data Ex  

A Data Ex, ou ex-dividendos, é o primeiro dia útil após a Data Com. Desse dia em diante, a ação não dá mais ao comprador direito aos dividendos já anunciados. 

Na Data Ex, o papel também passa a ser cotado com o desconto dos dividendos. Exemplificando: caso o dividendo seja de R$ 0,50 por ação, que estava a R$ 50 na Data Com, a ação inicia o pregão da Data Ex a R$ 49,50. Estes R$ 0,50 saem do preço da ação, ou seja, do valor da empresa, e vão automaticamente para a conta do acionista

Muito além dos dividendos

Ilustração abstrata trata do assunto Dividendos de ações na Bolsa de Valores
– Ilustração: Marcos de Lima

Fora os dividendos, existem outras formas de as empresas remunerarem os acionistas, como o JCP (juro sobre capital próprio), a bonificação e o direito de subscrição. 

O JCP é o mais semelhante ao dividendo. A diferença está no IR. Enquanto os dividendos são isentos, os JCP têm retenção de 15% na fonte. Pois é…  

Já a bonificação é a distribuição de mais ações para os acionistas, como um bônus. 

Por fim, mas não menos importante, está o direito de subscrição, que é uma preferência que a empresa pode dar aos seus acionistas no lançamento de mais ações no mercado. Com eles, há a possibilidade de quem já é acionista adquirir mais papéis antes deles serem colocados à venda para o restante do mercado e, geralmente, por um valor menor. 

Dividend yield 

Se você está de olho nos dividendos das empresas, precisa entender o que é o dividend yield. O termo refere-se a uma das principais métricas para se analisar quais empresas são boas pagadoras de dividendo. Com o dividend yield, é possível visualizar qual a rentabilidade de uma determinada ação apenas com o pagamento de dividendos. 

Para calcular o dividend yield você deve dividir o dividendo por ação pela cotação do papel da empresa mais negociado (ordinária ou preferencial) na Data Com, e multiplicar o resultado por 100. Pode dar um certo trabalho, mas vai te dar uma noção de como estará a rentabilidade da sua carteira no período. 

Dividendos de BDRs 

Por BDRs (recibos depositários brasileiros) também é possível receber dividendos, mas, muitas vezes, eles são menores dos que os pagos aos acionistas no país de origem do papel. Isso porque o banco responsável pelos recibos pode abater dos dividendos uma taxa de custódia das BDRs.  

Como tudo começou 

Os dividendos são tão antigos quanto as ações. As primeiras companhias abertas datam do século 16. Naquela época, os comerciantes precisavam levantar capital para viabilizar as trocas entre Índia, Américas e Europa. Para isso, juntaram investidores, que, em troca do financiamento, teriam uma participação nos lucros do negócio, os dividendos. 

Segundo registros, a Companhia Holandesa das Índias Orientais, que fez o que é considerado o primeiro IPO (oferta pública inicial, na sigla em inglês) da história ao oferecer suas ações ao público geral, pagou, em média, 25% do valor das ações em dividendos nos seus primeiros 15 anos de capital aberto. 

Explore mais termos
Swiper Anterior
Swiper Próximo

Direto ao Ponto Bitcoin

Bitcoin é a primeira criptomoeda criada no mundo. Ele é baseado em uma rede descentralizada, chamada de blockchain, e não depende de nenhum banco para circular …

Leia Mais Ir para: Bitcoin
Direto ao Ponto CDI

CDI é benchmark para grande parte dos investimentos de renda fixa e ainda serve como termômetro para as aplicações; saiba como ele funciona…

Leia Mais Ir para: CDI
Direto ao Ponto Direito de subscrição

Direito de subscrição é a preferência dada ao acionista para adquirir mais ações, quando uma empresa decide fazer uma nova captação (follow on).…

Leia Mais Ir para: Direito de subscrição
Direto ao Ponto Minoritários

Acionista minoritário é aquele que tem menos de 50% das ações de uma empresa.…

Leia Mais Ir para: Minoritários
Direto ao Ponto Circuit breaker

O circuit breaker é um mecanismo de proteção acionado pelas Bolsas de Valores. O objetivo é suspender temporariamente todas as negociações quando há uma queda brusca dos índices durante o pregão em relação ao fechamento anterior. …

Leia Mais Ir para: Circuit breaker
Direto ao Ponto Renda variável

A renda variável é uma classe de ativos que não tem retorno estabelecido. Ao contrário da renda fixa, na variável o investidor não consegue ter uma estimativa do quanto vai ganhar com a aplicação. Ações, fundos multimercados e fundos imobiliários são alguns exemplos de investimentos em renda variável. …

Leia Mais Ir para: Renda variável

Você também pode gostar
Lucas Andrade Publicado em 21.fev.2024 às 16h29
Tese de investimento em WEG (WEGE3) permanece sólida para o longo prazo, avalia BB Investimentos

Banco reitera a recomendação de compra para as ações da companhia, com preço-alvo de R$ 40 para o final de 2024

Lucas Andrade Publicado em 21.fev.2024 às 08h58
WEG (WEGE3), Gerdau (GGBR4) e Metalúrgica Gerdau (GOAU4) vão pagar dividendos em março

Veja o valor por ação e até quando ter os papéis na carteira para garantir o provento

Daniel Fernandes Publicado em 21.fev.2024 às 07h30
Klabin paga dividendos no próximo dia 26 de fevereiro; saiba quanto e quem pode receber

A maior fabricante de embalagens do país informou seus resultados referentes ao quarto trimestre do ano passado no começo do mês

Raphael Coraccini Publicado em 21.fev.2024 às 07h00
10 ações americanas que pagam dividendos e que você precisa ficar de olho

Ações americanas que pagam dividendos: lista deixa de fora as gigantes de tecnologia; saiba por que e quais companhias são grandes pagadoras

Joseph Silva Publicado em 20.fev.2024 às 16h24
Ações fracionadas pagam dividendos?

Veja as regras para recebimento de dividendos no caso de acionistas que compram menos do que um lote de ações

Lucas Andrade Publicado em 20.fev.2024 às 13h34
Por que comprar ações da Vale (VALE3) agora? Veja o que diz a XP

Analistas apontam desconto em relação ao preço do minério de ferro e dividend yield atrativo

Lucas Andrade Publicado em 20.fev.2024 às 09h59
Itaúsa (ITSA4) vai pagar R$ 5,6 bilhões em dividendos e JCP

Remuneração aos acionistas da holding do Itaú está prevista para 8 de março

Daniel Fernandes Publicado em 19.fev.2024 às 13h46
Petrobras (PETR3;PETR4) paga dividendos e JCP nesta terça-feira; confira valores

Os pagamentos valem para os dois tipos de ações da empresa, conforme o site dedicado ao investidor da Petrobras

Clique e veja mais

Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Continue acompanhando a gente aqui no nosso site, pelo seu e-mail e nas nossas redes sociais. Informação é investimento!

A partir de agora, enviaremos a você as últimas notícias e análises para orientar seus investimentos com inteligência. Não esqueça de checar se nossa mensagem de boas vindas caiu na sua caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira a mensagem para a sua caixa de "Entrada". Obrigada!
Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Verifique se o e-mail com o vídeo caiu na caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira essa mensagem para a sua caixa de "Entrada".

< Voltar ao site