Direito de subscrição

Direto ao Ponto
Direito de subscrição

Direito de subscrição é a preferência dada ao acionista para adquirir mais ações, quando uma empresa decide fazer uma nova captação (follow on).

O direito de subscrição é um benefício aos que já são acionistas da empresa, faz com que a participação desses investidores não fique diluída com a chegada de novos acionistas. Mas ninguém é obrigado a nada. Se o investidor não quiser comprar novos papeis da empresa, tudo bem. Mas é importante saber que exercer o direito deve ser feito durante um tempo determinado.

Vendendo o direito de subscrição

E veja que interessante: quem tem o direito de subscrição pode vender o benefício para outro acionista.

Ou é possível ainda vender na Bolsa de Valores, nossa B3, o recibo de subscrição, que são títulos que comprovam que o acionista exerceu o direito, mas a transação ainda não virou uma ação – o que acontece só depois que as operações forem liquidadas.

Fique atento

Existem duas maneiras para você saber que uma empresa vai abrir o processo para que você tenha direito de subscrição: por fato relevante feito pela companhia ou quando sua corretora manda avisos. Antes de tomar a decisão por exercer ou não seu direito, é importante você olhar para todo seu portfólio e analisar, conforme seus objetivos, prazos e o desempenho daqueles papeis, se engordar a carteira faz sentido para você.

Direito de subscrição na prática

Imagine que uma empresa emitiu 1.000 ações e que você comprou 100. Isso significa que você tem 10% de participação, certo? Só que aí, tempos depois, a mesma empresa decide emitir mais 500 ações no mercado pra levantar recursos, totalizando 1.500. Com esse aumento, a sua participação diminui de 10% pra 6,66%.

É aí que entra o direito de subscrição: ao colocar mais 500 ações no mercado, a empresa precisa dar preferência a você na compra de 50 dessas ações, que vão permitir manter o seu nível de participação. Ou seja, com 150 ações, você consegue manter seus 10% iniciais. E a decisão fica nas suas mãos.

A subscrição é um direito dado ao acionista, mas não uma exigência. Assim como o inquilino não precisa comprar a casa que aluga, o acionista também precisa comprar novas ações. Você faz o que você quiser com a sua vida e o seu dinheiro. Vale a pena analisar seu portfólio e o desempenho dos papéis para ver se compensa ou não aumentar o número de ações daquela empresa

Glossário  Ações Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto
Blue Chip

Blue chips (ou large caps) são empresas listadas na Bolsa de Valores e que têm valor de mercado acima de R$ 40 bilhões.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Oferta hostil

Também conhecida como aquisição hostil, a oferta hostil acontece quando uma empresa ou um grande investidor toma o controle de uma companhia listada em Bolsa, comprando suas ações.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Minoritários

Acionista minoritário é aquele que tem menos de 50% das ações de uma empresa.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto
Mercado fracionário

O lote padrão de uma empresa listada na Bolsa de Valores tem 100 ações. No mercado fracionário, este lote é "quebrado" e o investidor pode comprar de uma a 99 ações.…

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar 🔽

Redação IF Publicado em 15.ago.2022 às 11h57
Minério de ferro recua 4,1% no norte da China, para US$ 104,40 por tonelada

Os preços do minério de ferro iniciaram a semana em forte queda no mercado transoceânico, em meio à inesperada desaceleração da economia chinesa em julho. O país asiático é o maior consumidor da commodity no mundo. No norte da China, o minério com teor de 62% de ferro caiu 4,1%, para US$ 104,40 por tonelada, […]

1 min
Redação IF Publicado em 15.ago.2022 às 11h52
Cosan tem Ebitda no 2º tri acima do consenso, com melhores volumes em Raízen, diz Goldman Sachs

O Goldman Sachs tem recomendação neutro para as ações da Cosan, com preço-alvo de R$ 20,40, abaixo do valor de R$ 21,03 negociado no momento na B3

2 min
Redação IF Atualizado em 15.ago.2022 às 11h47
Cemig tem 2º tri acima de expectativas apesar de pressões inflacionárias, diz XP

A XP manteve recomendação neutra para Cemig com preço-alvo de R$ 13, potencial de alta de 6,6% ante o valor negociado no momento na B3

2 min
Valor Econômico Publicado em 15.ago.2022 às 11h39
No vermelho, Natura vai enxugar a holding

Se cortes tivessem sido feitos em 2021, as despesas corporativas poderiam ter caído 40%, diz CEO global

4 min
Itaú Meu Negócio