Veja 10 ações recomendadas por especialistas para investir em agosto

Lista reúne papéis que entraram ou ganharam força na carteira de bancos, gestoras e casas de análises

Quer saber quais são as ações recomendadas para agosto? Pois antes saiba que a perspectiva para o início do ciclo de cortes da taxa Selic tem aumentado o apetite por ativos de risco e favorecido o rali na bolsa brasileira nos últimos meses. Até julho, o Ibovespa acumulou uma valorização de mais de 10% no ano.

Neste sentido, a avaliação dos agentes financeiros é que, se o movimento positivo continuar, o principal índice de referência do mercado doméstico pode chegar a 130 mil pontos até o fim do ano.

Assim, para quem busca oportunidades na renda variável, a Inteligência Financeira destaca dez ações recomendadas pelos especialistas para investir em agosto. A lista reúne papéis que entraram ou ganharam força na carteira de bancos, gestoras e casas de análises.

Confira a seguir as ações recomendadas para o mês, então:

Petrobras (PETR4)

“Após um desempenho positivo em junho e retirarmos a ação de nossa carteira em julho, estamos adicionando a Petrobras (PETR4) de volta à nossa carteira 10SIM. A nova política de dividendos anunciada não foi exatamente um divisor de águas do ponto de vista quantitativo e, em geral, foi alinhado às expectativas do mercado.

No entanto, certamente serviu como um evento de redução de riscos para a ação. Isso porque o potencial para cortes ainda mais severos nos pagamentos de dividendos era uma preocupação.

Embora uma expansão de múltiplos mais estrutural ainda dependa de maior clareza da administração em relação a novas fusões e aquisições e à política de preços dos combustíveis, nosso sentimento em relação à empresa melhorou, em comparação com o início do ano.

Consequentemente, acreditamos que pode haver uma oportunidade de investimento favorável no curto prazo, uma vez que o pior cenário parece ter sido evitado por enquanto.” (BTG Pactual)

Localiza (RENT3)

“A Localiza (RENT3) é líder no setor de locação de carros no Brasil, atuando diretamente no aluguel de carros, terceirização de frotas e, mais recentemente, locação de veículos pesados.

Assim, a companhia possui frota de mais de 500 mil ativos e segue em pleno ritmo de crescimento. Esta expansão acelerada reflete o potencial a ser explorado em seus mercados, dado seus baixos níveis de penetração.

Por fim, nossa recomendação é reforçada por RENT3 estar entre as ações na bolsa que melhor oferecem a combinação entre qualidade, exposição às taxas de juros e valuation atrativo frente a outras opções similares.” (Itaú BBA)

Grupo Mateus (GMAT3)

“Companhia do segmento de varejo alimentar em domicílio, o Grupo Mateus (GMAT3) segue com forte ritmo de expansão de lojas, com foco em operações de sale e leaseback para fazer frente aos investimentos necessários diante da elevação do custo de capital nos últimos trimestres.

A perspectiva de início do ciclo de afrouxamento monetário favorece as perspectivas de rentabilidade da companhia. Isso por conta da elevação do seu endividamento bruto na comparação anual, combinando à boa entrega de margens operacionais e crescimento de vendas em todos os formatos de lojas. (BB Investimentos)

Cogna (COGN3)

“Estamos incluindo Cogna (COGN3) na carteira por entendermos que a companhia deverá apresentar bons resultados até o final do ano.

Com uma boa captação no EAD, a empresa ainda deverá se beneficiar de um ciclo mais positivo para o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), além de um bom desempenho em Vasta com o seu segmento de subscrição.

Já em Kroton, estamos observando uma melhora na base de alunos, que por sua vez tem levado a menores evasões e provisões.

Por fim, embora não tão representativo quanto para outras empresas, identificamos upside relevante com a possibilidade de um novo Fies, que deverá ser entregue ao Congresso em agosto.” (Ativa Investimentos)

Irani (RANI3)

“A Irani (RANI3) é referência no mercado brasileiro de papelão ondulado, sendo uma das maiores empresas do setor no país. A Irani produz papelão ondulado, papéis para embalagens e papel kraft.

Dessa forma, a empresa fornece embalagens para setores como alimentos, bebidas, produtos de higiene e limpeza, farmacêuticos.

Para isso, a Irani tem quatro unidades fabris no Brasil. As fábricas estão em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo.

Do ponto de vista de resultado, a companhia tem se mostrado resiliente, com números consistentes além de grande presença no território nacional.

Acreditamos que o projeto Gaia deve começar a colher os benefícios de ganhos de eficiência, que pode refletir positivamente em suas margens.

Com uma base de clientes diversificada e resultados crescentes, a companhia tem tudo para manter essa boa tendência nos próximos resultados e continuar pagando bons dividendos aos acionistas.” (Banco Inter)

Mills (MILS3)

“Incluímos a companhia, que é pioneira e líder no mercado de locação de plataformas elevatórias e construções de alta complexidade no Brasil, oferecendo serviços de locação e venda de máquinas leves, máquinas pesadas e outros equipamentos.

Entendemos que a Mills deverá performar positivamente. Isso porque seus resultados serão impulsionados pelo aquecimento no segmento de construção civil, mineração e agronegócio. Todas essas áreas são beneficiadas por novas linhas de créditos, e, especialmente, por investimentos em infraestrutura. Isso gera um mercado diversificado, reforçado pela expectativa de próximo início da trajetória de queda da Selic.

Destacamos que a companhia não concentra receita em grandes clientes, pulverizando, assim, os riscos possíveis. Esta estratégia mantém o crescimento da receita de aluguéis e vendas de máquinas, com expectativa de ganho de market share e portfólio de produtos.” (MyCAP Investimentos)

JBS (JBSS3)

“A JBS (JBSS3) tem um sólido histórico de resultados, apresentando uma forte performance operacional. Assim, a companhia entrega desde 2020 aos acionistas R$ 27 bilhões (mais de 60% de seu valor de mercado) em dividendos e recompra de ações. Tal valor refletiu o ciclo favorável da carne bovina nos EUA.

Recentemente, com um ciclo de gado mais desafiador do que esperávamos, acreditamos que os múltiplos pressionados da companhia já precificam este cenário. Desta forma, o mercado deve tornar a ação muito barata para ser ignorada.

Em paralelo, a JBS divulgou em julho detalhes sobre o processo pelo qual pretende listar suas ações nos Estados Unidos.

Se por acaso a companhia tiver sucesso, existem alguns ganhos em potencial e implicações fiscais. Além disso, há ainda flexibilidade de crescimento; custo de capital; e múltiplos de negociação mais próximos de seus pares globais (a Tyson Foods, indiscutivelmente seu par mais próximo, negocia a ~9x EV/EBITDA 12 meses à frente, contra ~6x da JBS).

Apesar dessa expansão de múltiplos não ser trivial, um crescimento parcial renderia uma valorização significativa das ações. Temos uma recomendação de compra para suas ações.” (BTG Pactual)

3Tentos (TTEN3)

“A 3Tentos (TTEN3) é uma das maiores redes de revendas agrícolas do Brasil. Além disso, a companhia atua nos segmentos de originação de grãos e esmagamento de soja para a geração de farelo e biodiesel.

A companhia iniciou suas atividades em 1995 no Rio Grande do Sul e hoje possui mais de 45 filiais no estado, além de dois parques industriais e uma misturadora de fertilizantes.

Hoje, o grande foco da empresa é sua expansão para o Mato Grosso, onde deve abrir uma planta industrial em 2023 e oito lojas até 2025.

Além de um valuation atrativo, gostamos da tese pela expertise da 3Tentos na operação do modelo verticalizado, que se traduz em margens fortes e resilientes.

Para os próximos anos, esperamos um forte crescimento de ebitda (resultado operacional). Isso pela expansão das operações, e também pela manutenção do relacionamento com milhares de pequenos e médios agricultores.” (Itaú BBA)

BlackRock (BLAK34)

“A BlackRock (BLAK34) é uma empresa de gestão de investimentos que oferece uma variedade de serviços e tecnologias para clientes institucionais e de varejo. Sua plataforma diversificada inclui estratégias de investimento em diversas classes de ativos, como ações, renda fixa e alternativos.

Além disso, a empresa também fornece serviços de tecnologia e soluções de consultoria. Portanto, vemos a BlackRock como uma das poucas ações de crescimento no setor de gestão de ativos, com tese impulsionada por um forte avanço orgânico na franquia iShares.

Também vemos amplas oportunidades para o no espaço de varejo, em planos de aposentadoria nos EUA e na distribuição internacional de iShares.

Consideramos a BlackRock como um investimento fundamental, pois tem:

  • uma estratégia eficaz de gestão baseada em aconselhamento;
  • potencial de crescimento de receitas em ETFs de ações e renda fixa, tanto nos segmentos de varejo como institucional, além de ETFs internacionais;
  • uma gestão de capital amigável aos acionistas por meio de recompras contínuas de ações e;
  • menor risco de desvalorização em comparação com seus concorrentes no setor de gestão de ativos, devido à diversidade de sua base de produtos.” (Banco Inter)

Booking (BKNG34)

“A Booking (BKNG34) é uma companhia focada no turismo. É a maior agência online de viagens do mundo em receita. Em suas plataformas, cobre uma ampla gama de produtos e serviços como aluguel de quartos de hotel/acomodações alternativas e carros, passagens aéreas, pacotes de viagens, cruzeiros, seguros-viagem, reservas em restaurantes e outras atividades nos destinos dos turistas.

A empresa também está presente na China desde 2007 (país que lidera a atividade de recuperação e reabertura global) e na Ásia via Ctrip e Agoda. Além disso, adquiriu a Kayak, rentalcars.com e OpenTable, expandindo sua presença internacional, bem como em serviços de restaurantes.

Atualmente, as comissões de reservas online representam a maior parte da receita e lucros.

Os mercados emergentes devem registrar crescimento forte nas reservas online de viagens nos próximos anos, devido aos baixos níveis de penetração e ao aumento do uso digital.

Nesse contexto a Booking está bem posicionada.

Além disso, o uso de aplicativos móveis está aumentando rapidamente, e a Booking tem uma posição global dominante.

Por fim, a Booking está fortalecendo sua rede por meio de iniciativas orgânicas e em mercados de rápido crescimento, como experiências, aluguéis de férias, voos e pagamentos, resultando em uma viagem totalmente conectada.” (Ágora Investimentos)