Swing trade

Swing trade é uma operação feita na Bolsa de Valores, na qual o investidor compra e vende ações em pregões diferentes, com intervalo de dias ou semanas.

Você sabe o que é swing trade? Ao investir na bolsa por esse método, o objetivo é ganhar dinheiro com as variações de preço das ações em um período curto de tempo. Ou seja, você compra determinado papel esperando que ele valorize para vender mais caro do que pagou, em um prazo de dias ou semanas.

Nesse sentido, você precisa identificar o percurso das ações no curto prazo, identificando se há um padrão no sobe e desce de preços. Funciona mais ou menos assim: se uma ação sobe dois dias seguidos, a chance de vir uma queda é grande, porque muitos investidores vendem o papel. Ciente desse comportamento, o investidor que se encaixa no swing trade vende suas ações sempre na alta.

Fácil na teoria, um pouco mais complexo na prática. Quer saber mais sobre swing trade? Confira abaixo.

Qual é a diferença entre day trade e swing trade?

Em geral, os analistas de mercado costumam dizer que o swing trade é menos arriscado do que fazer day trade. Também consideram que é possível até obter mais lucro do que os day traders, que são os investidores que têm o perfil adequado ao alto risco.

A diferença básica entre as duas estratégias é que, enquanto no day trade o investidor faz várias operações em um mesmo pregão, no swing trade ele costuma esperar alguns dias ou até semanas entre a compra e a venda de uma ação.

Digamos que o swing trade seria uma versão mais “demorada” do day trade. Nesse sentido, o investidor fica com algumas ações por alguns dias ou até meses e só faz a troca quando observa movimento de baixa. Por fim, há também aqueles que compram um papel e o mantém na carteira por um longo prazo, podendo se estender por anos.

O que é day trade?

Quem investe na bolsa pelo método day trade compra e vende as ações no mesmo dia. Assim, o objetivo é aproveitar a variação do papel no mesmo pregão. Em alguns casos, o intervalo entre a compra e a venda do ativo pode durar apenas alguns minutos.

O “day trader” não deve ser um investidor iniciante, ou seja, estamos falando de alguém que já tem experiência de acompanhamento do mercado. Além disso, é preciso se dedicar diariamente à atividade.

O que é swing trade?

Já quem opera na bolsa pelo método do swing trade fica mais de um dia com a ação. Em resumo, não há um período definido para vender o papel. Ele pode ficar vários dias, semanas ou até meses com a ação.

No swing trade, normalmente o investidor acompanha a alta do ativo e só vende a ação quando o preço cai, o que pode acontecer em um prazo mais longo. Nesse caso, é importante contar com a ajuda de um banco ou corretora que avise quando a venda deve ocorrer.

Trata-se de uma opção para quem deseja receber dividendos ou investir em empresas com bons fundamentos e possibilidade de valorização no curto e médio prazo.

Day trade ou swing trade: qual o melhor?

Diferentemente do day trade, o swing trade não é uma atividade diária, ou seja, demanda menos tempo do investidor. Mesmo que ele tenha outras ocupações, pode realizar as operações em paralelo.

Mas é fundamental ter mente que tanto o swing trade quanto o day trade não são para todo mundo. De acordo com os especialistas, recomenda-se o primeiro para quem é menos arrojado, mas aceita perdas. Já o day trade é para quem gosta de especular e liga menos ainda para perdas.

Nas duas modalidades, entretanto, o investidor precisa estar muito atento ao mercado.

Como investir?

Após comprar uma carteira de ações, o investidor fica com os ativos para negociar na bolsa. Quem faz as mudanças no portfólio é o próprio investidor, mas há alguns bancos que oferecem um serviço de recomendações para swing trade.

Assim, quando o investidor – ou o banco ou corretora – identifica tendência de queda, ele vende o papel. O mesmo também ocorre com as altas.

O xis da questão é estar atento para não perder esses momentos. Por isso, os especialistas recomendam para quem quer fazer o swing trade operar junto com uma corretora ou banco.

Dessa forma, o investidor recebe as mensagens de compra e venda no momento da alta ou da queda, via e-mail ou aplicativo. Além de cálculos matemáticos de alta ou baixa, fatores fundamentalistas, entre eles o cenário macroeconômico e a inflação, podem ser considerados.

Para não ter muito prejuízo, também é possível programar a venda das ações por meio de ferramentas de “stop loss” ou “stop gain”. O investidor programa o aplicativo do banco ou corretora para vender uma ação automaticamente quando o papel atingir determinado valor. Isso vai impedir que o investidor tenha uma perda maior que a esperada.

Como fazer o swing trade?

Se você deseja aplicar a estratégia de swing trade na sua carteira, precisa seguir algumas recomendações. A primeira é: busque corretoras que tenham taxas acessíveis. 

Com a conta em uma corretora, você deve começar a analisar a tendência do mercado para as próximas semanas. Há duas maneiras para você fazer isso: a primeira delas é analisar gráficos com intervalos de um dia ou, no máximo, de algumas semanas, mas isso requer mais conhecimento sobre o mercado de ações.

A outra alternativa é selecionar algumas ações e observar o comportamento delas em um passado recente. Nesse caso, é algo mais aleatório, que não demanda tanto conhecimento. A ideia é sempre tentar observar um padrão de comportamento nas negociações.

Quais são os riscos?

Perder dinheiro fazendo swing trade é uma possibilidade, obviamente. Não se esqueça que estamos tratando de renda variável. Também é preciso ser fiel à estratégia inicial, que é negociar ações no curto prazo.

Quem fica com o papel mais tempo em carteira, pode por tudo a perder em troca da euforia de uma alta repentina, por exemplo, esperando mais uma valorização. Ou o contrário: não vender a ação na data esperada, tentando reverter uma perda, e acabar aumentando o prejuízo. Daí a importância de ter ferramentas de stop loss e stop gain, que são utilizadas pelas corretoras.

Fique de olho nas taxas

Além das taxas, como a de corretagem e a de custódia cobradas pelas corretoras, há também o Imposto de Renda (IR) sobre o swing trade. O Leão aparece sempre que as vendas forem acima de R$ 20 mil no mês. Neste caso, a cobrança é de 15% sobre o ganho de capital. Se o apurado for menor do que R$ 20 mil, o investidor está isento de IR.

O que é “position trade”?

Diferentemente do day trade e do swing trade, essa modalidade é para quem compra e fica com a ação de um ano para cima. Ou seja, o “position trader” fica atento aos preços-alvo de longo prazo.

Esses preços são divulgados por bancos ou instituições financeiras que acompanham determinada empresa. Quando, depois um tempo longo – 12 ou 24 meses, por exemplo -, ele vê que a ação já atingiu seu pico de alta, faz a venda do papel.

Nesse caso, o acompanhamento pode ser feito individualmente. Entretanto, é fundamental estudar os relatórios de bancos, acompanhar sites especializados no mercado financeiro e, assim, identificar esse pico de alta.

Colaborou Anne Dias

Explore mais termos
Swiper Anterior
Swiper Próximo

Direto ao Ponto Dividend Yield

Dividend yield é a relação entre os dividendos pagos por uma empresa e os valores da ação.…

Leia Mais Ir para: Dividend Yield
Direto ao Ponto Debênture

Debênture é uma dívida que as empresas fazem com a sociedade para se financiarem. Este empréstimo é feito por meio de um título com vencimento, geralmente, entre dois e dez anos. …

Leia Mais Ir para: Debênture
Direto ao Ponto Fundo Garantidor de Créditos (FGC)

O FGC funciona como um muro de contenção para o sistema bancário como um todo, limitando um efeito dominó que poderia ser gerado no caso de quebra de um dos integrantes.…

Leia Mais Ir para: Fundo Garantidor de Créditos (FGC)
Direto ao Ponto DI

DI ou taxa DI (Depósito Interbancário) é referência para grande parte dos investimentos de renda fixa. O DI é uma média do custo de empréstimos realizados entre bancos, via CDI, que acompanha a Selic. Geralmente, o DI equivale à Selic descontada de 0,10 ponto percentual.…

Leia Mais Ir para: DI
Direto ao Ponto Fundo de investimento imobiliário

Fundo de Investimento Imobiliário, ou simplesmente FII, é um investimento coletivo que reúne pessoas com um mesmo objetivo: investir em negócios imobiliários. Fundos de renda (tijolo) e fundos de recebíveis (papel) são os dois principais tipos de fundo imobiliário. …

Leia Mais Ir para: Fundo de investimento imobiliário
Direto ao Ponto Diversificação

Diversificar é ter uma boa quantidade de ativos em carteira. Mas quanto? Não há um número redondo, mas os especialistas em finanças pessoais falam em algo entre 10 e 15 ativos. …

Leia Mais Ir para: Diversificação

Você também pode gostar
POR
Aluísio Alves 26 maio. 2024, 11:00
Crescer ou pagar dividendos? JSL (JSLG3) fará ambos, afirma executivo da companhia

Após fazer oito aquisições desde 2021, maior empresa de transporte rodoviário do país prevê colher resultados da integração a partir da segunda metade de 2024

POR
Bora Investir 25 maio. 2024, 12:00
Quais são os 10 BDRs com mais retorno em 2024 até agora?

Levantamento mostra que o destaque foi o setor de tecnologia, especialmente as empresas envolvidas com inteligência artificial

José Eduardo Costa Publicado em 25.maio.2024 às 09h28
Lucio Aldworth, da Eve: ‘Devemos entrar em serviço em 2026, com preço próximo de US$ 5 milhões’

Em entrevista à Inteligência Financeira, executivo da Eve, controlada pela Embraer, fala do 'frio na barriga' na atual fase do projeto e que 'carro elétrico voador' deve chegar ao mercado em 2026, ao preço de aproximadamente US$ 5 milhões

POR
Pedro Knoth 24 maio. 2024, 18:58
Banco do Brasil (BBAS3) anuncia JCP de R$ 1,1 bilhão a ser pago em junho

Confira no calendário a data-base para receber o JCP bilionário do Banco do Brasil (BBAS3) e valor por ação

POR
Redação IF 24 maio. 2024, 15:52
Ações da Nvidia (NVDC34) quebram recordes e valor de mercado é maior do que Amazon (AMZO34) e Tesla (TSLA34) somadas

Capitalização de mercado da Nvidia chegou a US$ 2,59 trilhões, de acordo com a FactSet. Para comparação, a Amazon vale US$ 1,88 trilhão, enquanto a Tesla vale US$ 554 bilhões

POR
Raphael Coraccini 24 maio. 2024, 14:44
Dividendos da Auren (AURE3): o que esperar após compra da AES Brasil

Pagamento de dividendos da Auren pode ser significativamente afetado depois da compra da AES Brasil, diz analista; saiba o que esperar

POR
Redação IF 24 maio. 2024, 12:53
Renda fixa: confira o retorno esperado de nova emissão de debêntures da B3

Companhia lançou oferta de R$ 4,5 bilhões após resgate antecipado de emissões que venceriam em 2026 e 2027

Clique e veja mais