Corretoras de valores

Direto ao Ponto

Corretoras de valores

São instituições financeiras que fazem o meio de campo entre as pessoas e os investimentos disponíveis no mercado, como Tesouro Direto e a compra ou venda de ações.

Corretoras de valores fazem parte do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e por isso precisam de autorização prévia do Banco Central (BC). As operações destas são supervisionadas pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e elas ainda dependem de um registro na B3 para a realização de negócios como a compra e a venda de ações e títulos na Bolsa de Valores. A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) também é uma peça essencial neste quebra-cabeças para identificar se a corretora que chamou a sua atenção está apta e é segura para efetuar suas transações.

Por onde começar com corretoras de valores?

Não existe no Brasil a possibilidade de uma pessoa física comprar diretamente títulos do governo ou ações de empresas na Bolsa de Valores, para ficar em dois dos investimentos mais tradicionais. Com o aquecimento do mercado, houve um aumento da competição entre as corretoras de valores, o que envolve cobrança de taxas menores, consultoria, cursos com profissionais renomados, eventos fechados com nomes de peso do mercado financeiro, além de análises dos ativos e até uma gestão exclusiva da carteira do cliente.

Portabilidade: você é dono do seu dinheiro

E se você quiser mudar de corretora? Com a portabilidade, a custódia dos ativos pode ser transferida quando o cliente não estiver mais satisfeito com os serviços ou por outro motivo qualquer. Lembre-se: você é o dono do seu dinheiro. As corretoras de valores apenas realizam as suas ordens. Então, você não vai precisar se desfazer de ações ou outros ativos e ter que repetir todo o processo para fazer a mudança da casa. Nem mesmo pagar imposto de renda ou taxas de corretagem, já que não há resgate. O ideal é que o passo a passo esteja bem transparente no site das corretoras para que a migração seja feita da forma menos burocrática possível.

Glossário  Investimentos Ir para: Verbetes

Conheça os termos mais importantes para enriquecer a sua Inteligência Financeira

Direto ao Ponto

Mercado fracionário

O lote padrão de uma empresa listada na Bolsa de Valores tem 100 ações. No mercado fracionário, este lote é "quebrado" e o investidor pode comprar de uma a 99 ações.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto

Letra de câmbio

Letra de câmbio (LC) é um título de renda fixa, que pode ter rentabilidade pré, pós-fixada ou híbrida e é emitida por financeiras, que usam o dinheiro para emprestar para outros clientes.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto

Bancos de investimento (BI)

Bancos de investimento (BI) são instituições financeiras especializadas em operações estruturadas, emitindo ativos como debêntures, e prestando assessoria financeira, como nos processos de abertura de capital na Bolsa de Valores.…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto

Direito de subscrição

Direito de subscrição é a preferência dada ao acionista para adquirir mais ações, quando uma empresa decide fazer uma nova captação (follow on).…

Leia Mais Ir para:
Direto ao Ponto

Swing trade

Swing trade é uma operação feita na Bolsa de Valores, na qual o investidor compra e vende ações em pregões diferentes, com intervalo de dias ou semanas.…

Leia Mais Ir para:
Swiper Próximo
Swiper Anterior

Você também pode gostar

Redação IF

Publicado em 26.jan.2022 às 10h11

Quais fundos e ações os ricos mais compraram em 2021?

As empresas mais negociadas foram Vale, Banco do Brasil e B3

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 09h26

CVM suspende corretoras; saiba como escolher empresas idôneas

Sete empresas não tinham autorização para estar no mercado: Raw Trading, International Capital Markets Pty, IC Markets (EU), Markets, KOI Global LLC, Ventura Group e Orotrader

Redação IF

Publicado em 26.jan.2022 às 08h58

Nubank é ultrapassado pelo Bradesco, depois de perder posto de maior banco latino para Itaú

Valor de mercado da fintech no fim do pregão desta terça era de US$ 33,46 bi, atrás do "bancão", com US$ 34,32 bi

Valor Econômico

Publicado em 26.jan.2022 às 08h18

Estrangeiro já pôs R$ 20 bilhões na Bolsa em 2022

Com ajuda de cenário externo, fluxo está positivo no ano

Lucas Andrade

Atualizado em 26.jan.2022 às 07h55

Como a tensão entre Rússia e Ucrânia pode afetar a economia e os investimentos

A deflagração de um confronto militar entre os dois países pode piorar principalmente o cenário para a inflação na Europa

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h00

Afinal, o que dizem os especialistas sobre a Bolsa? Você deve comprar ações ou esperar mais um pouco?

O Ibovespa deve subir, mas com fortes emoções; veja o que levar em consideração

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h10

Estudo traça perfil do investidor em Tesouro Direto; conheça o ativo

16,3 milhões de pessoas investem nos papéis do governo

Leonardo Guimarães

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h35

Como investir no metaverso?

O metaverso não está distante de você ou da sua carteira; entenda como fazer dinheiro com ele, mas saiba que o risco de perder capital é grande

Mais lidas hoje

  1. Redação IF

    Redação IF

    Atualizado em 26.jan.2022 às 11h26
    Ferramenta lançada pelo Banco Central permite saber se você tem dinheiro a receber dos bancos

    Segundo o BC, há ao menos R$ 8 bilhões parados nas instituições financeiras – conheça o passo a passo para fazer a consulta e saber se você é credor

  2. Redação IF

    Redação IF

    Atualizado em 22.jan.2022 às 12h01
    Neymar compra NFTs por R$ 6 milhões; saiba como funciona esse investimento

    Craque passa a fazer parte de um clube restrito a bilionários, que têm direito a festas particulares

  3. Valor Econômico

    Valor Econômico

    Publicado em 24.jan.2022 às 08h37
    Cade dá aval para Joesley e Wesley Batista assumirem controle da J&F Participações

    A J&F é a controladora do Banco Original do Agronegócio e do Banco Original

  4. Valor Econômico

    Valor Econômico

    Atualizado em 07.jan.2022 às 08h27
    Conheça os fundos de investimento que lucram milhões com shows de artistas adorados pelo público

    Saiba quem são os gestores (e como são remunerados) por trás de nomes como Gusttavo Lima, Seu Jorge, Alexandre Pires, Maurício Manieri e Daniel