Como ganhar dinheiro com o agronegócio e o mercado imobiliário, tendo baixo risco e rentabilidade acima da média?

A resposta está nas letras de crédito, conhecidas por LCA e LCI; saiba como elas funcionam - e quanto rendem

Já ouviu falar sobre os produtos financeiros LCA e LCI? Essas siglas, que querem dizer Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) e Letra de Crédito Imobiliário (LCI), são títulos de crédito que surgiram com o objetivo de fomentar o agronegócio e o mercado imobiliário. Ou seja, oferecendo crédito (funding) financeiro para o desenvolvimento dessas atividades.

“Emitidos por instituições financeiras, os produtos possuem operações de crédito no setor de agronegócio e imóveis. Além de serem isentos de Imposto de Renda para pessoa física”, explica Calil Filippelli, gestor de fundos da Ouro Preto Investimentos.

Aliás, a remuneração desses títulos pode ser prefixada, pós-fixada, indexada ao CDI ou a um índice de preços. Portanto, os investidores que compram esses títulos de crédito recebem juros de acordo com a característica de cada operação.

“Em comparação a outros investimentos de renda fixa, as Letras de Crédito são mais atrativas porque os rendimento da LCI e o rendimento da LCI são isentos de IR e têm garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). O que significa dizer, de forma bem resumida, que se o emissor da LCI ‘quebrar’, o FGC garante o pagamento do valor investido ao comprador do título”, esclarece Bruno Mori, economista com certificação CFP e sócio fundador da consultoria Sarfin.

LCA e LCI: investimentos de renda fixa

Ainda de acordo com Mori, os produtos são considerados investimentos de renda fixa. “A característica básica desse tipo de ativo é a regra de remuneração ser definida (fixada) no momento da aplicação e permanecer assim até o seu vencimento”, conta o economista.

Além disso, Juan Lucas Lopes Vieira, especialista em investimentos e comércio exterior, aponta que LCA e LCI são considerados renda fixa porque representam riscos muito baixos para o investidor. “O risco desse investimento é a não quitação das dívidas por parte do lançador ou falência do mesmo. Mas precisamos reiterar a garantia do FGC por este título”, pontua.

Perfil de investidor

Por mais que a maioria dos especialistas aponte que as Letras de Crédito são indicadas para investidores mais conservadores, já que o risco é relativamente baixo e o rendimento mais atrativo (em função da isenção do pagamento de IR), os ativos podem sim compor a carteira de qualquer pessoa.

“Para investidores com perfil mais conservador, é recomendado letras de empresas de baixo risco e bem abaixo do valor máximo coberto pelo FGC por instituição [que é de R$ 250 mil]. Por outro lado, para investidores mais agressivos, é possível investir em empresas de maior risco e que oferecem maior rentabilidade”, ensina Calil Filippelli.

Por que investir em Letras de Crédito pode ser bom?

Desse modo, ficam visíveis os motivos pelos quais tanto a LCA quanto a LCI podem ser consideradas como boas aplicações.

“Investir em LCA e LCI pode ser uma boa alternativa de rentabilidade combinada com a segurança. Visto que são investimentos de baixo risco e ainda há o fator diversificação, pois quando se investe em Letras de Crédito, você está exposto ao mercado de agronegócio e imobiliário”, afirma Juan Lucas Lopes Vieira.

Rendimentos da LCA e LCI atrelados ao CDI

Aliás, vale saber que tanto o rendimento da LCI quanto o rendimento da LCI estão vinculadas ao chamado CDI, que é o Certificado de Depósito Interbancário.

“O mercado como um todo utiliza essa taxa como indexador para emissões de títulos de renda fixa e benchmark para fundos de investimento. Então, para avaliarmos se a rentabilidade de um título ou fundo de investimento é boa, basta compararmos com o CDI. Que é a taxa de mercado que qualquer investidor pode investir em ativos com tal rentabilidade e baixo risco”, explica Filippelli.

Inclusive, o CDI acompanha de perto a taxa básica de juros, a famosa Selic, que serve para balizar todos os outros preços da economia.

Então, quando você for analisar o rendimento de certos ativos e aparecer que tal produto rende 100% do CDI, por exemplo, isso significa que o investimento vai ter rendimento exatamente igual ao do CDI. E terá o seu valor corrigido diariamente de acordo com a variação dessa taxa.

Atualmente, o CDI encontra-se no patamar de 13,15%. Afinal de contas, recentemente, houve o reajuste da taxa Selic, que teve uma queda de 0,50 ponto percentual, indo para 13,25%.

Dessa forma, então, podemos dizer que um investimento a 100% da CDI pode ser positivo? Depende! “Investimentos vinculados ao Certificado de Depósito Interbancário são pós-fixados e podem ser positivos em cenários de juros altos ou expectativa de alta de juros”, explica Mori.

Já para Juan Vieira, investir com 100% CDI traz para sua carteira ganhos de igual para igual com o mercado. “Ou seja, estaríamos falando de um portfólio que acompanha o mercado com riscos baixíssimos”, diz.

Quanto rende LCA e LCI a 100% do CDI?

Então, para você entender como funcionam as Letras de Crédito, nada melhor do que ir da teoria para a prática, não é mesmo? Por isso, pedimos a ajuda de Calil Filippelli, que fez uma simulação de quanto rendem diversos valores em letras de crédito a 100% do CDI. Veja só:

Aplicação inicialRendimento em 1 anoRendimento em 2 anosRendimento em 5 anos
R$ 100R$ 13R$ 26R$ 71
R$ 500R$ 66R$ 130R$ 355
R$ 1 milR$ 132R$ 260R$ 707
R$ 5 milR$ 660R$ 1,3 milR$ 3,5 mil
R$ 10 milR$ 1,3 milR$ 2,6 mil R$ 7 mil
R$ 30 milR$ 4 milR$ 7,7 milR$ 21,2 mil
R$ 50 milR$ 6,5 milR$ 12,9 milR$ 35,3 mil
R$ 100 milR$ 13 milR$ 26 milR$ 70 mil
R$ 500 milR$ 66 milR$ 130 milR$ 355 mil
* Levantamento exclusivo de Calil Filippelli, da Ouro Preto Investimentos, à Inteligência Financeira. Valores aproximados dos rendimentos, portanto podem variar para mais ou para menos.