Onde investir para ter liquidez diária e sacar o dinheiro quando você precisar?

Especialistas ainda mostram como fugir de riscos ao formar a sua reserva de emergência

Uma dificuldade nos primeiros passos do investidor é investir de uma maneira que esse recurso esteja disponível caso ele precise. Os investimentos com liquidez diária atendem a essa necessidade, permitindo rentabilidade e resgate rápido em caso de necessidade.

Ter liquidez diária significa, essencialmente, que o investimento pode ser liquidado e resgatado a qualquer momento, com a rentabilidade proporcional ao tempo em que o dinheiro ficou aplicado. Portanto, é o ideal para quem quer investir, deixar seu dinheiro rendendo, e ainda assim poder ter liquidez para contar com ele caso precise.

Mas qual o melhor investimento com liquidez diária? Para responder essa pergunta, ouvimos a economista Ariane Benedito, especialista em mercado de capitais; e Felipe Spritzer, fundador e CEO da Portfel, consultoria de investimentos do Grupo Primo.

Melhores investimentos com liquidez diária

O campeão da recomendação dos especialistas é o Tesouro Selic. “Essa modalidade de investimento está atrelada a taxa básica de juro da nossa economia, a Selic. Ou seja, vai render pelo menos a taxa de juros no período em que o investidor mantiver a aplicação, podendo retirar a qualquer momento sem deságio do seu título”, explica Ariane Benedito.

De acordo com Felipe Spritzer, “no caso de investimentos com foco na liquidez diária, geralmente buscamos a maior segurança possível nos retornos”. Por isso, o CEO da Portfel também recomenda o Tesouro Selic por três razões: “Não sofre marcação a mercado, tem resgate no mesmo dia e não envolve os riscos do crédito privado.”

O Tesouro Selic é uma modalidade do Tesouro Direto, plataforma de investimentos em títulos públicos. Nesse caso, trata-se de um produto de renda fixa no qual o investidor “empresta” um recurso ao Estado e recebe o retorno corrigido pela taxa básica de juros em um prazo pré-determinado.

No entanto, a grande vantagem para a liquidez diária é que o Tesouro Selic tem rendimento constante que não se perde em caso de resgate antecipado. Os títulos do Tesouro Direto são considerados altamente seguros por contarem com a garantia do Tesouro Nacional.

Investir em CDB com liquidez diária

Outra alternativa recomendada para se investir com liquidez diária são os CDBs de instituições financeiras. “Os próprios bancos costumam ter CDBs de liquidez diária, que pagam um percentual do CDI, garantindo que o investidor possa acessar o investimento de forma facilitada diretamente do seu aplicativo, em sua conta corrente”, explica Ariane.

No entanto, é preciso que o investidor dobre a atenção sobre as regras do produto, uma vez que apenas uma parte dos CDBs ofertados possuem liquidez diária. As opções com taxas mais vantajosas, inclusive, são as que costumam ter os prazos de retiradas mais longos. Portanto, são opções compor a cartera do investidor, mas não com a intenção principal de serem a fonte de liquidez diária.

“Como estamos buscando segurança, é melhor ficar longe de bancos menos conhecidos. A razão é que uma eventual quebra do banco pode travar os seus recursos, ainda que o FGC garanta o reembolso em cerca de um mês”, sugere ainda Felipe Spritzer. O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) assegura até R$ 250 mil investidos por instituição financeira.

Quais cuidados tomar para garantir a liquidez

De acordo com os especialistas consultados pela Inteligência Financeira, o ideal é que o investimento voltado para a liquidez diária tenha regras claras e fáceis de compreender, além da garantia do resgate em curto prazo.

“Quando for investir com foco na liquidez, as coisas deveriam ser simples: você empresta dinheiro e recebe um juro sobre o valor”, diz Felipe Spritzer. Por exemplo, o Tesouro Selic, que é corrigido pela taxa básica de juros, e os CDBs, que em geral acompanham o CDI, uma taxa prefixada ou um valor acima da inflação. “Essas opções costumam ser suficientes para a grande maioria dos casos”, diz.

Há ainda opções de produtos que possuem liquidez diária, mas não miram necessariamente nesse objetivo. Por exemplo, no caso de fundos de investimento que tem resgate rápido mas possuem volatilidade nos recursos. Pode ser uma fonte de maior rendimento, mas perde-se a garantia de resgatar o valor sem perdas.

“Caso o investidor precise do resgate num momento em que o fundo está em baixa, pode correr o risco de resgatar com uma desvalorização na cota e até mesmo incorrendo na perda de uma parcela do patrimônio investido”, explica Ariane Benedito.

A economista também reforça que deve-se considerar a tributação dos investimentos. Tanto para o Tesouro Selic quanto para os CDBs vale a regra em que investimentos de até 180 dias são tributados em 22,5%. Trata-se de uma tabela regressiva, que chega a 15% quando a aplicação supera os 720 dias.

Liquidez diária e a importância da reserva de emergência

Investimentos com liquidez diária ocupam um espaço importante na vida dos investidores, sobretudo nos primeiros passos. Esse tipo de produto ocupa um papel considerado essencial, que é o de constituir a reserva de emergência.

Portanto, por ser um valor que deve estar disponível, ele deve estar em um produto de fácil acesso e sem riscos. “A reserva de emergência garante que o investidor tenha folego em caso de um imprevisto”, diz Ariane Benedito.

“A relevância da liquidez diária é poder contar com o dinheiro numa emergência, razão pela qual focamos mais na segurança do retorno”, explica Felipe Spritzer.

Leia a seguir

Leia a seguir