Cofrinho recheado: como juntar R$ 50 mil em 1 ano? E em 6 meses e 5 anos?

Nossos especialistas olharam para o mercado e indicaram bons investimentos para atingir R$ 50 mil em diferentes períodos

A gente sabe que guardar dinheiro não é uma tarefa muito fácil. Afinal de contas, requer planejamento e disciplina. Por outro lado, o resultado desse esforço, como bem sabemos, é bastante satisfatório. Então, como uma forma de incentivo, nós da Inteligência Financeira te mostramos como juntar R$ 50 mil em um ano.

E se você precisa do dinheiro mais rapidamente, apresentamos como conseguir chegar ao mesmo montante em 6 meses. Mas, se você tiver um tempo maior, a gente te conta como chegar a R$ 50 mil em 5 anos.

Opções de investimentos

Como o objetivo é obter um montante determinado ao final da aplicação, André Carvalho, gestor de investimentos da Acura Capital, não recomenda fundos em geral e nem ações.

“Apesar de considerarmos excelentes alternativas de investimento, não é possível determinar qual será a rentabilidade destes produtos. Seria praticamente impossível afirmar ou determinar que no prazo de 6 meses, 1 ano ou 5 anos o comportamento da bolsa de valores ou fundos de investimento em geral, atingirá a rentabilidade esperada para asseguramos o montante desejado de R$ 50 mil”, esclarece.

Por isso, nesse caso, o mais indicado são os investimentos em renda fixa. Para Carvalho, o melhor ainda é optar pelos produtos prefixados. “Pois são os investimentos que permitem ter certeza de qual será o retorno do investimento”, afirma.

Desse modo, como juntar R$ 50 mil em um ano? Algumas boas opções de investimentos são:

  • CDBs prefixados, que são títulos emitidos por bancos;
  • Títulos públicos prefixados, como as Letras do Tesouro Nacional (LTNs);
  • LCI e LCA, que tem a grande vantagem de serem isentos de Imposto de Renda.

“No caso dos CDBs, LCAs e LCIs, os investimentos estão garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), até o valor de R$ 250 mil. Os títulos públicos, LTNs, são considerados sem risco de crédito”, acrescenta o gestor de investimentos.

Já Diego Hernandez, economista, especialista em investimentos e diretor da Ativo Investimentos, acredita que os ativos financeiros que pagam até 120% do CDI também podem ajudar a acumular R$ 50 mil em 12 meses.

Por outro lado, Felipe Spritzer, Fundador e CEO da Portfel, empresa de consultoria de investimentos do Grupo Primo, outra ótima escolha é o Tesouro Selic, que é bem conservador.

Como juntar R$ 50 mil em um ano?

Agora que você já está por dentro de quais investimentos podem ser considerados boas alternativas para conseguir chegar ao montante no final de 12 meses, bora para os cálculos?

Então, como juntar R$ 50 mil em um ano com LCI e CDB? “Será necessário aplicar aproximadamente R$ 4,3 mil durante 11 meses para, ao final de 12 meses, termos o valor desejado”, afirma Carvalho.

O especialista faz uma ressalva. “A LCI é um ativo isento de IR, mas o CDB não. Os aportes e as taxas apresentados já consideram o rendimento líquido. Ou seja, com o desconto do imposto quando aplicável. Vale ressaltar que as taxas oscilam todos os dias. Portanto, as taxas que estamos usando hoje como exemplo podem ser diferentes amanhã.”

E como juntar R$ 50 mil em um ano com ativos da renda fixa que paguem até 120% do CDI? “Nas condições atuais, o investidor precisa fazer 11 aportes de, aproximadamente, R$ 4,16 mil, cujo rendimento elevaria para R$ 50 mil em 12 meses”, calcula Hernandez.

Já no Tesouro Selic, Felipe Spritzer afirma que aportes mensais de R$ 1,41 mil, mais ou menos, serão necessários para chegar ao montante em um ano. “Isso considerando uma taxa de rendimento bruta de 13,75% ao ano (líquida de 10,65%)”, esclarece.

Como juntar R$ 50 mil em 6 meses?

Na simulação para conseguir chegar ao montante em menos de um ano os aportes mensais, claro, aumentam significativamente. Por isso, se a ideia for investir em LCI ou CDB, de acordo com André Carvalho, a aplicação deverá ser de aproximadamente R$ 9,7 mil em 5 meses. “No sexto mês, teríamos aproximadamente R$ 50 mil”, diz.

Já na opção de produtos da renda fixa com 120% do CDI, Diego Hernandez, afirma que o investidor precisa investir cerca de R$ 8,33 mil em 5 meses para chegar ao montante de R$ 50 mil no sexto mês.

Mas, se a escolha estiver no Tesouro Selic, aí Spritzer explica que será necessário investir aproximadamente R$ 8,15 mil por mês.

E como juntar R$ 50 mil em 5 anos?

Quando se tem um prazo maior para chegar ao valor estipulado, obviamente que os aportes mensais serão menores. Aliás, o tempo de resgate do investimento pode ajudar caso você não tenha tanta pressa para ter os R$ 50 mil no seu bolso.

Nesse caso, portanto, o CEO da Portfel afirma que o mais adequado seria deixar de lado o Tesouro Selic e investir em ativos prefixado. “Afinal de contas, a taxa Selic está sujeita a oscilações importantes ao longo deste prazo. Por isso, é difícil prever o rendimento dela nos próximos anos”, esclarece.

Ainda segundo Spritzer, atualmente, é possível encontrar produtos com rentabilidade próxima aos 13%, que traria uma rentabilidade líquida de 71,60% no período de 60 meses.

Dito isso, então, como juntar o valor em 5 anos? “Aproximadamente R$ 632 mensais serão necessários. Lembrando que para aportes recorrentes em ativos prefixados, as taxas podem não ser as mesmas. E isto pode levar o investidor a ter que aportar mais ou menos dinheiro. O que vai depender da variação das curvas de juros”, explica Spritzer.

Para a opção de LCI ou CDB, Carvalho afirma que “para obtermos R$ 50 mil em 5 anos, deverá ser investido R$ 650, aproximadamente, durante 59 meses”.

Por outro lado, em produtos de renda fixa que rendem 120% do CDI, Hernandez conta que com R$ 600 mensais é possível obter a meta de R$ 50 mil.

Partiu, investir?

Viu só como pode ser possível juntar R$ 50 mil? Seja em 6 meses, 1 ou 5 anos… ou no período que você se sentir mais confortável. O importante, como já mencionado, é que investir exige disciplina, tempo e estudo.

“Não existem fórmulas nem métodos mágicos que irão tornar o investidor rico da noite para o dia. Se possível procure um profissional de confiança para não cair em ciladas de investimentos”, aponta Diego Henandez.

Mas, se você não tiver como contratar um especialista, entre em contato com seu banco, veja se a instituição possui um profissional em investimentos para te auxiliar e sempre busque informações em lugares confiáveis. Afinal de contas, é o seu dinheiro e seus planos que estão em jogo.