Fundo de investimento imobiliário

Fundo de Investimento Imobiliário, ou simplesmente FII, é um investimento coletivo que reúne pessoas com um mesmo objetivo: investir em negócios imobiliários. Fundos de renda (tijolo) e fundos de recebíveis (papel) são os dois principais tipos de fundo imobiliário.

Um fundo de investimento imobiliário é criado e administrado por uma instituição financeira, que preenche uma série de requisitos e envia um pedido de autorização à CVM. Depois de aprovado, o fundo faz uma oferta pública inicial de distribuição de cotas, apresentando ao mercado sua estratégia de investimento e rentabilidade esperada. Os investidores interessados reservam suas cotas de acordo com o montante que desejam investir.  

Também é possível investir em um fundo de investimento imobiliário por meio da compra e venda de cotas na Bolsa de Valores — o que é chamado de mercado secundário, uma vez que os ativos já foram lançados anteriormente na oferta pública inicial. Nos dois casos é preciso ter uma conta em uma corretora de valores e acessar o home broker.  

Ao investir em um fundo de investimento imobiliário, você se torna um cotista, junto com outros investidores. Em outras palavras, é “dono” de um pedacinho do imóvel ou empreendimento, mas não exerce qualquer direito real e não responde legalmente por ele. Os FIIs são controlados por uma gestora de fundos e têm um gestor especializado que acompanha o mercado e faz as movimentações dos ativos e composição da carteira. Ou seja, é o gestor que cuida do dinheiro investido.  

Todos os investidores pagam o mesmo valor na cota e a rentabilidade depende do desempenho da carteira. Os resultados devem ser repassados de forma igual para todos os cotistas. Dessa forma, o quanto você ganha ou perde depende do número de cotas que comprou. 

Cinco fatos sobre o fundo de investimento imobiliário: 

  1. Eles foram criados em junho de 1993, com a Lei Federal 8.668/93. A regulamentação estruturou, trouxe segurança e impulsionou o investimento nesse mercado, facilitando a entrada de investidores. Em 2008, a Comissão de Valores Mobiliários criou a Instrução CVM 472 — atual regulamentação com regras para administração e funcionamento dos FIIs. 
  1. Existem dois principais tipos de FIIs. Os fundos de tijolo são aqueles que focam na construção ou aquisição de empreendimentos imobiliários físicos. Ou seja, os cotistas investem em shoppings, galpões, prédios comerciais e outros imóveis. Já os fundos de papel investem em títulos financeiros ligados ao mercado imobiliário, como Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI). 
  1. Os investimentos em FIIs são isentos de Imposto de Renda. Os cotistas não pagam impostos sobre os rendimentos — apenas se venderem as cotas do fundo. Isso faz com que o investimento se torne mais atrativo. Em agosto de 2020, os FIIs alcançaram 1 milhão de investidores pessoas físicas, de acordo com a B3. 
  1. Assim como as ações, as cotas de um fundo imobiliário oscilam na Bolsa de Valores e são influenciadas por diversos fatores e condições do mercado. Por isso, os FIIs são considerados investimentos de renda variável. 

Explore mais termos
Swiper Anterior
Swiper Próximo

Direto ao Ponto Ticker de ações

Ticker de ações (ou ticker) é o código formado por quatro letras maiúsculas e um número, que compõem o nome de uma ação na B3, nossa Bolsa de Valores.…

Leia Mais Ir para: Ticker de ações
Direto ao Ponto Bolsa de Valores

Bolsa de Valores é um ambiente de negociações financeiras. Nela, investidores realizam operações de compra e venda de ações, títulos de dívidas, dólar, juros futuros e commodities. Existem várias Bolsas de Valores espalhadas pelo mundo. NASDAQ, B3 e Australian Securities Exchange são algumas delas. …

Leia Mais Ir para: Bolsa de Valores
Direto ao Ponto Rali de Natal

É um fenômeno de alta no mercado acionário que, em geral, acontece nos últimos três meses do ano quando os investidores estão mais otimistas.…

Leia Mais Ir para: Rali de Natal
Direto ao Ponto Bancos múltiplos

Bancos múltiplos são instituições financeiras que oferecem uma série de serviços financeiros e fazem operações de várias outras instituições, como investimentos, crédito imobiliário, financiamentos. Eles são regulados pelo Banco Central e podem atuar no varejo e no atacado.…

Leia Mais Ir para: Bancos múltiplos
Direto ao Ponto Fundo Garantidor de Créditos (FGC)

O FGC funciona como um muro de contenção para o sistema bancário como um todo, limitando um efeito dominó que poderia ser gerado no caso de quebra de um dos integrantes.…

Leia Mais Ir para: Fundo Garantidor de Créditos (FGC)
Direto ao Ponto Teto de gastos

Teto de gastos é um mecanismo que surgiu em 2016 e passou a ser aplicado em 2017, que nasceu com a missão de evitar o aumento da relação dívida pública/PIB. As despesas e os investimentos do governo ficam, assim, limitados aos mesmos valores gastos nos 12 meses anteriores terminados em junho e corrigidos pelo IPCA.…

Leia Mais Ir para: Teto de gastos

Você também pode gostar
Lucas Andrade Publicado em 22.fev.2024 às 12h09
Governo arrecada R$ 4,1 bilhões com super-ricos em janeiro, mostra Receita Federal

Mês marcou a entrada em vigor da nova lei de offshores e dos fundos exclusivos para investimentos no exterior

PodInvestir Publicado em 21.fev.2024 às 07h15
Como Rogério Xavier, da SPX, avalia o momento do banco Bradesco (BBDC4)

Em entrevista ao PodInvestir, fundador da SPX também fala sobre as ações vencedoras para o futuro

Redação IF Publicado em 20.fev.2024 às 15h38
BNDES investe até R$ 500 milhões em fundo de crédito para infraestrutura gerido pelo Pátria

Aporte do BNDES deverá ser investido em projetos dos setores de energia, saneamento, logística e transporte, mobilidade urbana e telecomunicações

3 min.
PodInvestir Publicado em 20.fev.2024 às 07h00
PODINVESTIR: para Rogério Xavier, da SPX, eleição de Trump seria negativa para Brasil e o mundo

Rogério Xavier comenta qual entre os dois candidatos à presidência dos EUA seria a melhor opção para o mundo

5 min.
Redação IF Publicado em 19.fev.2024 às 20h59
Governo proíbe criação de fundos exclusivos de Previdência para fechar brecha a super-ricos

Objetivo é coibir o planejamento tributário da camada mais rica da população e corrigir o que o governo considera como distorções no mercado financeiro

Redação IF Publicado em 18.fev.2024 às 09h23
Construtora da gestora VBI quer aportar R$ 450 mi em novas moradias estudantis pelo Brasil

Movimento marca o início do segundo ciclo de aportes neste mercado, já bastante forte na Europa e nos Estados Unidos

Redação IF Publicado em 15.fev.2024 às 12h08
Cade aprova venda de fundos imobiliários do Credit Suisse para Pátria Investimentos

Acordo selado em dezembro prevê a transferência de oito fundos imobiliários do Credit Suisse para o Pátria

Raphael Coraccini Publicado em 15.fev.2024 às 07h00
Calendário de pagamentos de dividendos de FIIs (fevereiro 2024): veja quais fundos ainda vão pagar

Veja o calendário de pagamentos de dividendos de fundos de investimento imobiliário referente às cotas de janeiro de 2024

Clique e veja mais

Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Continue acompanhando a gente aqui no nosso site, pelo seu e-mail e nas nossas redes sociais. Informação é investimento!

A partir de agora, enviaremos a você as últimas notícias e análises para orientar seus investimentos com inteligência. Não esqueça de checar se nossa mensagem de boas vindas caiu na sua caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira a mensagem para a sua caixa de "Entrada". Obrigada!
Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Verifique se o e-mail com o vídeo caiu na caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira essa mensagem para a sua caixa de "Entrada".

< Voltar ao site