Credit default swap (CDS) ou Risco-país

CDS (credit default swap) é a troca de risco de crédito. O CDS é um contrato derivativo que funciona como um seguro para quem empresta dinheiro. Por levar em sua precificação o risco de inadimplência do tomador do empréstimo, o CDS é muito usado como termômetro para o risco de um país.

O credit default swap (CDS) é uma forma de se trocar o risco de crédito com outra pessoa. Quem empresta o dinheiro compra um CDS como uma forma de seguro. Caso o tomador do empréstimo não pague o que deve, o emissor do CDS reembolsa quem emprestou o dinheiro. 

Um CDS pode ser feito em diversos contextos, mas os mais comuns são de hipotecas e de títulos de dívida de países emergentes, de cidades e de empresas. O emissor do credit default swap arca com a dívida caso eventos drásticos aconteçam, como o banco emissor ir à falência, ou o país declarar moratória. Apesar de extremos, estes casos são vistos com certa frequência no mercado financeiro.

As características de um credit default swap

Existem diversos prazos de credit default swap, entre um a dez anos, mas os mais negociados no caso de países são os de cinco anos. O preço dos contratos também muda conforme as condições financeiras. A venda é feita no mercado de balcão em negócios que envolvem investidores institucionais e bancos. A remuneração do emissor do CDS varia de acordo com a percepção de risco envolvendo o empréstimo. Caso um calote pareça mais provável, o CDS fica mais caro. Esta precificação da curva de juros do CDS é feita em pontos base, e um ponto base equivale a 0,01%. 

Como tudo começou 

credit default swap foi desenvolvido pelo banco americano JP Morgan nos anos 1990 para reduzir o risco de sua carteira de crédito. Tudo começou com um derramamento de óleo no Alasca, em 1989, por um navio da Exxon. A empresa precisou se preparar para pagar os custos de multas e indenização relativos ao acidente ambiental. A petroleira procurou o JP Morgan para conseguir uma linha de crédito de cerca de US$ 5 bilhões. 

O problema é que, de acordo com normas financeiras, o banco teria de se proteger caso a Exxon não conseguisse pagar, comprometendo uma grande parte do caixa. Para reduzir a exposição ao risco, o JP Morgan vendeu este risco de crédito ao Berd (Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento). Caso a Exxon não pagasse o empréstimo, o Berd arcaria com o prejuízo. Em troca, o JP Morgan remunerava o Berd com uma taxa. O dinheiro do empréstimo saiu dos caixas do JP Morgan, mas o banco não teve mais que fazer uma reserva para se proteger de um possível calote. Desde então, a operação se popularizou até ser um dos fatores-chave da crise financeira de 2008. 

Por que o CDS é importante? 

credit default swap ligado ao título de dívida de um país é tido pelo mercado financeiro como uma forma de medir o risco de se investir ali, pois oscila de acordo com a percepção de risco em torno do seu endividamento e do seu desempenho econômico. 

Se a pontuação do contrato sobe, é um sinal negativo para o país, já que investidores estão receosos quanto à saúde financeira local e cobram mais pelo CDS. Se a pontuação cai, é um bom sinal, já que os investidores veem uma maior probabilidade de ele quitar suas dívidas e cobram menos pelo credit default swap. 

credit default swap de cinco anos, também chamado de risco-país, é o contrato mais utilizado para proteção contra calotes. Só para você ter uma ideia, em agosto de 2021, o CDS de cinco anos do Brasil estava em 183 pontos, o que representa uma chance de 3,05% de calote. 

Nos últimos anos, o risco-país brasileiro chegou à máxima de 374,9 pontos em março de 2020, depois de uma mínima de 91,8 pontos em fevereiro de 2020. 

Explore mais termos
Swiper Anterior
Swiper Próximo

Direto ao Ponto Juros sobre capital próprio (JCP)

Juros sobre capital próprio (JCP) é uma maneira de empresas de capital aberto distribuir lucro aos investidores. Os JCP são semelhantes aos dividendos, com diferença no Imposto de Renda, e foram inventados pelo mercado financeiro brasileiro.…

Leia Mais Ir para: Juros sobre capital próprio (JCP)
Direto ao Ponto Minoritários

Acionista minoritário é aquele que tem menos de 50% das ações de uma empresa.…

Leia Mais Ir para: Minoritários
Direto ao Ponto IPO

Uma oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) é um processo em que uma empresa privada decide abrir o capital e tem as suas ações vendidas pela primeira vez em Bolsa de Valores. …

Leia Mais Ir para: IPO
Direto ao Ponto Letra de câmbio

Letra de câmbio (LC) é um título de renda fixa, que pode ter rentabilidade pré, pós-fixada ou híbrida e é emitida por financeiras, que usam o dinheiro para emprestar para outros clientes.…

Leia Mais Ir para: Letra de câmbio
Direto ao Ponto Swing trade

Swing trade é uma operação feita na Bolsa de Valores, na qual o investidor compra e vende ações em pregões diferentes, com intervalo de dias ou semanas.…

Leia Mais Ir para: Swing trade
Direto ao Ponto Teto de gastos

Teto de gastos é um mecanismo que surgiu em 2016 e passou a ser aplicado em 2017, que nasceu com a missão de evitar o aumento da relação dívida pública/PIB. As despesas e os investimentos do governo ficam, assim, limitados aos mesmos valores gastos nos 12 meses anteriores terminados em junho e corrigidos pelo IPCA.…

Leia Mais Ir para: Teto de gastos

Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 17.fev.2024 às 09h17
Unigel volta a sofrer pressão de credores e fica mais próxima da recuperação judicial

O pedido de execução foi encaminhado ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) pela Vórtx, agente fiduciário das debêntures, na última quinta-feira, 15

Redação IF Publicado em 16.fev.2024 às 13h43
Haddad: pedido para bancos apoiarem projetos sobre crédito é para acelerar tramitação

Segundo o ministro da Fazenda, projetos não são novos, mas são primordiais para o ambiente de crédito no Brasil

2 min.
Aluísio Alves Publicado em 05.fev.2024 às 19h18
Itaú Unibanco (ITUB4) anuncia dividendo extra de R$ 11 bi; lucro chega a R$ 9,4 bi no 4º tri

O valor do dividendo extraordinário era amplamente aguardado por investidores e analistas

Bora Investir Publicado em 30.jan.2024 às 15h43
Onde estão as oportunidades no mercado de crédito?

Saiba como investir em um setor que vem crescendo há cinco anos

Aluísio Alves Publicado em 24.jan.2024 às 06h00
Caixa Econômica busca parceiros internacionais para financiamento imobiliário; assista vídeo

A informação é do presidente-executivo do banco estatal, Carlos Vieira, em entrevista à Inteligência Financeira

Redação IF Publicado em 15.jan.2024 às 13h21
Senacon acolhe denúncia de ‘parcelado sem juros pirata’ contra PagBank, Mercado Pago, Stone e PicPay

De acordo com a denúncia feita pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), PagBank, Mercado Pago, Stone e PicPay cobram juros dos consumidores de forma dissimulada em alguns de seus produtos

3 min.
Redação IF Publicado em 11.jan.2024 às 20h42
Teto de juros do consignado do INSS cairá para 1,76% ao mês

O novo teto do consignado é 0,04 ponto percentual menor que o antigo limite, de 1,80% ao mês, nível que vigorava desde dezembro. O teto dos juros para o cartão de crédito consignado caiu de 2,67% para 2,61% ao mês

3 min.
Redação IF Publicado em 04.jan.2024 às 19h04
Juros futuros sobem com redução das apostas em corte de juros nos EUA

Taxas futuras emendaram o quarto dia de aumento moderado, novamente seguindo a alta dos títulos do tesouro americano

2 min.
Redação IF Publicado em 04.jan.2024 às 09h57
Concessões no crédito livre sobem 4,4% em novembro ante outubro, afirma BC

O saldo de financiamentos do BNDES para empresas teve redução de 0,6% em novembro ante outubro

Clique e veja mais

Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Continue acompanhando a gente aqui no nosso site, pelo seu e-mail e nas nossas redes sociais. Informação é investimento!

A partir de agora, enviaremos a você as últimas notícias e análises para orientar seus investimentos com inteligência. Não esqueça de checar se nossa mensagem de boas vindas caiu na sua caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira a mensagem para a sua caixa de "Entrada". Obrigada!
Caso ainda não esteja recebendo nossas mensagens, cheque sua caixa de spam e permita o recebimento dos emails da Inteligência Financeira.

Verifique se o e-mail com o vídeo caiu na caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira essa mensagem para a sua caixa de "Entrada".

< Voltar ao site