Elon Musk compra Twitter, valorização das small caps, oscilações do Ibovespa

Isabella Carvalho e Victor Vietti comentam a oferta do dono da Tesla pelo Twitter, as turbulências da Bolsa brasileira e a valorização das small cap

No Manhã Inteligente desta terça (26), Isabella Carvalho e Victor Vietti comentam os seguintes assuntos: a compra do Twitter por Elon Musk, a possível valorização das small caps aqui no Brasil, e as oscilações do Ibovespa pelas turbulências externas.

Twitter aceita oferta de US$ 44 bi de Elon Musk

O conselho do Twitter aprovou, por unanimidade, a aquisição da empresa pelo bilionário Elon Musk. A negociação ainda será concluída ao longo de 2022. Ao final de toda a operação, a companhia terá o seu capital fechado na bolsa de Nova York. Assim, o Twitter será uma empresa privada.

Após o anúncio, as ações do Twitter saltaram mais de 6% e chegaram a valer US$ 52, pouco abaixo do valor negociado por Musk na compra, que foi de US$54,20. A empresa não alcançava esta cotação desde novembro.

Elon Musk compra o Twitter por um valor 38% maior do que valia a ação antes do empresário adquirir o 9% da empresa no último primeiro de abril. Musk pagará US$ 44 bilhões pelo negócio, que já é o maior da história envolvendo redes sociais. No passado, o Facebook comprou o Instagram e o WhatsApp por US$ 20 bilhões ao todo. Apenas a compra da fabricante de games Activision pela Microsoft, no valor US$ 69 bilhões, supera a aquisição feita por Elon Musk.

Small caps devem ter bom desempenho em 2022

A corretora Guide enviou um relatório a clientes em que afirma que as small caps, que são as ações de companhias com menor valor de mercado, devem ter desempenho forte em 2022. A plataforma de investimentos afirma que o desconto elevado desses papéis e a proximidade do fim da alta das commodities e dos juros devem ajudar essas ações a subir.

Na avaliação da corretora, o índice de small caps costuma ter desempenho melhor depois do fim de crises no mercado financeiro, ou quando a economia brasileira cresce mais rápido. Já o Ibovespa costuma ter desempenho melhor em momentos de crise e quando o preço das commodities e inflação estão em alta, como aconteceu nos últimos meses.

Ibovespa: sequência de quedas é a maior em 15 meses

O índice já tem a maior sequência de quedas em 15 meses com preocupação sobre os Estados Unidos e China. O índice fechou ontem em queda de 0,35%, aos 110.684 pontos. O volume financeiro negociado no Ibovespa foi de R$ 20,46 bilhões, valor abaixo da média diária anual de R$ 23 bilhões.

As preocupações com o cenário de rápida elevação dos juros nos Estados Unidos, E com a política chinesa para a contenção da covid-19 fizeram a B3 recuar pela sexta sessão consecutiva.


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h55
Inflação: pequenas mudanças driblam a disparada dos preços

Com regras simples, você vai tomar as melhores decisões para o seu bolso

Redação IF Publicado em 25.maio.2022 às 08h34
Bolsas europeias e futuros de NY têm alta moderada, antes da ata do Fed

À espera do documento, no pré-mercado em NY, o futuro do S&P 500 tinha leve alta de 0,06% e do Nasdaq avançava 0,18%

Valor Econômico Publicado em 25.maio.2022 às 07h36
Após nova troca, ações da Petrobras caem

Investidor volta a analisar peso político, mas efeito na bolsa foi limitado por ativo ser considerado barato

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 19h58
‘Travamos o bom combate’, disse Coelho, por WhatsApp, em mensagem de despedida

Funcionários relatam clima de falta de rumo com demissão de José Mauro Coelho; indicado para o posto é Caio Paes de Andrade

Redação IF Atualizado em 24.maio.2022 às 18h18
ADRs da Petrobras recuam 3,8% em NY com troca no comando e data de corte de dividendos

Os recibos de ações (ADRs) referenciados nas ações ordinárias da Petrobras fecharam em queda de 3,80% na bolsa de Nova York

Glossário IF Publicado em 24.maio.2022 às 17h24
B3: como surgiu, qual é sua história, o que ela faz?

A Bolsa de Valores brasileira é uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina. Saiba mais no Glossário IF

Redação IF Atualizado em 25.maio.2022 às 08h00
Nubank renova mínimas históricas e já vale menos que o BTG. Efeito colateral do fim do lock-up?

Valor de mercado do Nubank corresponde a menos de um terço do Itaú, que vale US$ 48,8 bilhões; no IPO em dezembro, o Nubank estreou com valor de US$ 41,5 bilhões