Como escolher ações de empresas menores, as small caps?

Stock picking ou ETFs: conheça as alternativas e decida o que é melhor para sua carteira

Como escolher small caps
– Ilustração: Renata Miwa

Pontos-chave

  • Com o stock picking, o próprio investidor garante a qualidade dos ativos que selecionou
  • Já os ETFs oferecem alta liquidez em papeis nem sempre tão desejados

As pequenas empresas da Bolsa de Valores podem representar grandes oportunidades. Afinal, se o objetivo é crescer e ter sua ação compondo o Ibovespa, elas ainda não chegaram lá e há chance de grande valorização dos papéis. Muita gente já sabe que investir em small caps pode ser uma boa alternativa. Mas qual é o melhor jeito para fazer isto? Será via ETFs, que agrupam vários papéis num só instrumento, ou investindo diretamente nas ações? A resposta é: você precisa conhecer o racional de cada uma das estratégias antes de fazer sua escolha. Então, vamos lá. 

Stock picking: escolhendo as ações com lupa

Uma das formas de investir em small caps (e em ações, no geral) é fazendo o que o mercado chama de stock picking. Por essa estratégia, você compra ações com grandes chances de valorização e lucra vendendo os ativos por um preço maior que pagou. A ideia é escolher ações pela qualidade das empresas, olhando sempre o preço do papel. Portanto, é preciso analisar bem o histórico de rentabilidade da companhia, a administração dos gestores e o preço do ativo para desenhar um potencial de valorização. 

André Zonaro, analista da Nord Research, diz que para buscar um bom retorno, o ideal é que você faça a escolha de ativos. “O problema dos ETFs é que eles são compostos por muitas empresas, umas com resultados excelentes, outras medianas e há ainda aquelas cuja rentabilidade é bem ruim”. 

Uma coisa é fato: o velho ditado que diz que o olho do dono engorda o gado vale também para o mercado financeiro. “Um ponto de atenção ao investir em small caps é escolher boas empresas e acompanhar resultados, afinal, estamos nos tornando sócios delas”, diz Rodrigo Wainberg, head de ações Brasil na Suno Research. Escolher bem e acompanhar pode ser ainda mais importante no caso das small caps, já que você deve precisar carregar essas ações por um bom tempo para ter lucro. 

ETFs: o pacote vem pronto

Os ETFs trazem uma cesta de ativos diversificada, que pode incluir boas ações e outras não tão boas. Os fundos mais famosos desse segmento no Brasil replicam o índice de Small Caps (SMLL). SMALL11, gerido pela BlackRock, XMALL11, gerido pela XP Vista Asset Management, e SMABB11, do BTG Pactual, seguem o índice de ações com menor captalização da Bolsa. 

Mas nem todo ETF precisa apenas replicar o rendimento de um setor, sem adicionar critérios. A Teva Indices desenvolveu, em parceria com a Trígono Capital, um ETF que acompanha o índice Teva Ações Micro Caps, que reúne 91 empresa de 16 setores. São selecionadas as menores companhias que cobrem 5% da capitalização de mercado da Bolsa. Portanto, há pouca intersecção com o Ibovespa. Ou seja: empresas do ETF, em geral, não compõem o Ibovespa, o que pode acontecer no SMLL.

As vantagens do ETF

Há algumas vantagens de investir em um ETF de small caps como o TRIG11. A liquidez é uma delas. Essas empresas menores não são tão negociadas quantas as que estão no Ibovespa e, portanto, pode ser difícil comprar ou vender seus papéis individualmente. O fundo cumpre o papel de comprar essas ações e ainda entrega mais liquidez ao investidor, endereçando uma das maiores preocupações quando o assunto são as small caps. “Se você for comprar todos os 91 ativos que compõem o ETF vai gastar um bom dinheiro, mas consegue comprar uma cota do fundo por R$ 50”, explica Gabriel Verea, CEO da Teva Indices.

Há ainda outros critérios que aumentam a qualidade dos ativos que compõem o ETF. Alguns deles são liquidez mensal superior a R$ 50 milhões, free float (percentual de ações livre para negociação no mercado) maior do que 20%; não estar em processos de recuperação judicial e filtros ESG que excluem empresas dos setores de tabaco e armamentos, empresas com patrimônio líquido negativo ou que não publicam seus demonstrativos financeiros nos prazos regulatórios.


Você também pode gostar

Redação IF

Publicado em 26.jan.2022 às 14h13

Pesquisa mostra que mercado financeiro ainda não adotou os critérios ESG

Gestoras e bancos entendem a importância da sustentabilidade, mas poucos incluem o tema nos códigos de conduta

Valor Econômico

Publicado em 26.jan.2022 às 13h41

Stone se organiza para reconquistar o investidor

A Stone se transformou numa das mais badaladas empresas de pagamentos. No entanto, nos últimos 12 meses, suas ações acumulam queda de 81%. Agora, o CEO Thaigo Piau quer reverter este quadro.

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 09h26

CVM suspende corretoras; saiba como escolher empresas idôneas

Sete empresas não tinham autorização para estar no mercado: Raw Trading, International Capital Markets Pty, IC Markets (EU), Markets, KOI Global LLC, Ventura Group e Orotrader

Redação IF

Publicado em 26.jan.2022 às 08h58

Nubank é ultrapassado pelo Bradesco, depois de perder posto de maior banco latino para Itaú

Valor de mercado da fintech no fim do pregão desta terça era de US$ 33,46 bi, atrás do "bancão", com US$ 34,32 bi

Valor Econômico

Publicado em 26.jan.2022 às 08h18

Estrangeiro já pôs R$ 20 bilhões na Bolsa em 2022

Com ajuda de cenário externo, fluxo está positivo no ano

Lucas Andrade

Atualizado em 26.jan.2022 às 07h55

Como a tensão entre Rússia e Ucrânia pode afetar a economia e os investimentos

A deflagração de um confronto militar entre os dois países pode piorar principalmente o cenário para a inflação na Europa

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h00

Afinal, o que dizem os especialistas sobre a Bolsa? Você deve comprar ações ou esperar mais um pouco?

O Ibovespa deve subir, mas com fortes emoções; veja o que levar em consideração

Redação IF

Atualizado em 26.jan.2022 às 08h10

Estudo traça perfil do investidor em Tesouro Direto; conheça o ativo

16,3 milhões de pessoas investem nos papéis do governo

Mais lidas hoje

  1. Redação IF

    Redação IF

    Atualizado em 26.jan.2022 às 11h26
    Ferramenta lançada pelo Banco Central permite saber se você tem dinheiro a receber dos bancos

    Segundo o BC, há ao menos R$ 8 bilhões parados nas instituições financeiras – conheça o passo a passo para fazer a consulta e saber se você é credor

  2. Redação IF

    Redação IF

    Atualizado em 22.jan.2022 às 12h01
    Neymar compra NFTs por R$ 6 milhões; saiba como funciona esse investimento

    Craque passa a fazer parte de um clube restrito a bilionários, que têm direito a festas particulares

  3. Valor Econômico

    Valor Econômico

    Publicado em 24.jan.2022 às 08h37
    Cade dá aval para Joesley e Wesley Batista assumirem controle da J&F Participações

    A J&F é a controladora do Banco Original do Agronegócio e do Banco Original

  4. Valor Econômico

    Valor Econômico

    Atualizado em 07.jan.2022 às 08h27
    Conheça os fundos de investimento que lucram milhões com shows de artistas adorados pelo público

    Saiba quem são os gestores (e como são remunerados) por trás de nomes como Gusttavo Lima, Seu Jorge, Alexandre Pires, Maurício Manieri e Daniel