IF HOJE: IGP-M de outubro, que reajusta aluguel, fica em 21,73% em 12 meses

O que mais pesou no mês foi o óleo diesel, que subiu 6,61%

O IGP-M é geralmente o indicador inflacionário utilizado na correção dos aluguéis (Foto: Edilson Dantas/Agência O Globo)

A FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgou nesta manhã que o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) de outubro ficou em 0,64%, bem acima do 0,17% esperado pelos analistas de mercado. O acumulado de 12 meses desse índice, que é muito frequentemente usado para reajustar os contratos de aluguel, ficou em 21,73%. Em setembro, o índice tinha caído 0,64%, acompanhando a queda nos preços do minério de ferro.

Segundo a FGV, o que mais pesou no IGP-M de outubro foi o óleo diesel, que subiu 6,61% no mês – ainda sem considerar o reajuste anunciado no dia 25.

Por que importa?

Além de servir de referência para o reajuste de contratos, o IGP-M é visto como mais uma prévia do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), índice oficial de inflação, embora tenha um peso maior de matérias-primas e por isso venha avançando mais rápido.

Como afeta seus investimentos

A partir da leitura do mercado do IGP-M, ativos de renda variável e fixa podem oscilar no pregão desta quinta. Se o índice inflacionário vier acima do esperado, os juros futuros podem subir, favorecendo ativos de renda fixa, especialmente os pós-fixados, e os ativos de renda variável podem cair. Caso o IGP-M venha dentro do esperado, ou menor, o inverso pode ocorrer, especialmente após a alta da Selic na noite de quarta (27).

Fique por dentro

Selic sobe para 7,75%

Conforme o esperado, o Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) subiu a Selic, a taxa básica de juros do país, em a 1,5 ponto percentual, para 7,75% ao ano, o maior nível desde setembro de 2017. A autoridade monetária avisou, ainda, que vai fazer mais um aumento de 1,5 ponto percentual na sua última reunião do ano, em 8 de dezembro.

Essa sexta e forte elevação tem como objetivo domar a inflação. O IPCA-15 de outubro, divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), foi uma surpresa negativa: ficou em 1,2%, contra a previsão média do mercado financeiro de 0,97%. No acumulado de 12 meses, chegou a 10,34%.

CPI da Covid

O presidente Jair Bolsonaro foi ao STF (Supremo Tribunal Federal) contra a quebra de seu sigilo telemático e suspensão das suas contas nas redes sociais determinados pela CPI da Covid. A AGU (Advocacia-Geral da União), responsável pela defesa judicial do governo, alega que a CPI não tem o poder para tomar estas decisões e pede a anulação do requerimento.

PEC dos Precatórios

Sem quórum, a votação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) —projeto que adia o pagamento de dívidas judicias do governo e que muda a correção inflacionária do teto de gastos— foi adiada para a semana que vem. Nos corredores de Brasília, se articulam mudanças no texto para que ele seja aprovado. A principal delas é a retirada do Fundef (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério) do teto, para garantir o seu repasse aos estados.

Desemprego cai

Segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, a taxa de desemprego no Brasil caiu para 13,2% no trimestre móvel encerrado em agosto, uma queda de 1,4 ponto percentual em relação ao trimestre fechado em maio (14,6%). O número, divulgado na quarta (27) pelo IBGE, veio melhor que o esperado pelo mercado.

“Às vezes eu mesmo me pergunto o que estou fazendo aqui”

Paulo Guedes sobre seu papel no governo de Jair Bolsonaro, segundo o jornal Folha de S.Paulo

Para prestar atenção hoje

Brasil

8h IGP-M de outubro

Exterior

8h45: o BCE (banco central europeu) define como fica a taxa de juros da região. A estimativa é que o juro negativo de 0,5% seja mantido.

09h30: nos Estados Unidos, há, ao mesmo tempo, a divulgação de três dados importantes.

Um deles é o resultado preliminar do PIB (Produto Interno Bruto) do terceiro trimestre, com expectativa de alta de 2,7% na comparação com o segundo trimestre, quando a economia americana cresceu 6,7%.

Outro é o PCE de setembro, indicador de inflação mais observado pelo Fed (banco central dos EUA) para traçar sua política monetária. A expectativa é de alta de 4,50%, após uma avanço de 6,10% em agosto.

Por último, há o número de pedidos iniciais de auxílio desemprego na semana passada, com previsão de manutenção do ritmo, com 290 mil pedidos.


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 04.maio.2022 às 18h00
Ibovespa fecha em alta de 1,7%, aos 108.343 pontos

Presidente do Fed, Jerome Powell, descartou alta mais forte dos juros nas próximas reuniões do banco central dos EUA