Com a queda da Selic, vale a pena comprar Tesouro Direto agora?

Saiba também quais títulos devem render pelo menos 20% ao ano, nos próximos anos

Se você já investe em títulos públicos e quer ampliar sua carteira ou mesmo se está pensando negociar o Tesouro Direto, atenção. Com a queda da Selic, vale a pena comprar Tesouro Direto com planos de ganhar dinheiro revendendo o título?

Especialistas ouvidos pela Inteligência Financeira explicam que não é apenas porque a Selic deve continuar caindo, como antecipou o Banco Central, que o título vá necessariamente seguir valorizando.

“O Copom indicou novos cortes de 0,50 ponto percentual, mas isso o mercado já precificou. Para você ganhar dinheiro, o Copom precisaria acelerar mais do que isso”, diz o analista da Guide, Victor Beyruti. Ele vê espaço para valorização, uma vez que há possibilidade de o corte de juros ser acelerado no próximo ano.

E, sim, há títulos do Tesouro Direto que se valorizaram em mais de 20% ao ano, todos com vencimento de médio a longo prazos. Então, vale a pena comprar Tesouro Direto? Calma. Há um porém nessa história, que você confere logo abaixo.

Os seis títulos com maior rentabilidade em 12 meses

TítuloVencimentoRentabilidade (12 meses)
Tesouro Prefixado 202901/01/202927,05%
Tesouro Prefixado com Juros Semestrais 203301/01/203327,02%
Tesouro IPCA+ 204515/05/204525,88%
Tesouro IPCA+ 203515/05/203521,37%
Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 205515/05/205521,09%
Tesouro Prefixado 202601/01/202620,12%
Fonte: Balanço do Tesouro Direto (BTD) – Julho/2023

No entanto são apostas e análises de mercado que não são simples de cravar. “Você precisa ter convicções muito fortes para um lado ou para o outro para você poder surfar nisso”, diz a economista da Empiricus, Laís Costa.

Para saber se vale a pena comprar Tesouro Direto agora, você deve observar que parte dos títulos que tiveram altas em 12 meses observaram quedas no último mês registrado no balanço. É o caso do Tesouro IPCA+ Juros Semestrais 2055, que subiu 21,09% em 12 meses, mas caiu 0,11% em 30 dias, o que demonstra a volatilidade.

O que fazer se o título perder valor?

Victor Beyruti explica que para saber se vale a pena comprar Tesouro Direto – ou até vender-, você deve observar se o título perdeu valor. Se sim, a melhor indicação é evitar vendê-lo. Mesmo que o papel veja uma desvalorização, se ele for levado até o vencimento pactuado no momento da aplicação, o governo garante o pagamento da taxa acordada.

“Se eu segurar até o vencimento, eu nunca vou perder dinheiro”, diz.

O Tesouro Direto reforça a indicação no último balanço divulgado, ao mencionar um título que perdeu valor de mercado. “Por exemplo, o Tesouro IPCA+ 2035, que apresentou rentabilidade negativa no mês de julho, pagará, em seu vencimento, em torno de 5,25% a.a., acrescida da variação do IPCA no período, para aqueles que o adquiriram em 30/06/2023”, explica.

Quanto rende o Tesouro Direto

Agora que já falamos sobre os cenários para o resgate antecipado, vamos falar sobre qual é o rendimento do Tesouro Direto para os diferentes títulos disponíveis se forem levados ao vencimento. Aí sim você consegue avaliar se vale a pena comprar papéis do Tesouro Direto.

Todas as taxas citadas referem-se ao rendimento do Tesouro Direto antes do desconto de Imposto de Renda e foram consultadas na quinta-feira (21) e são sujeitas a alterações diárias.

O Tesouro Selic rende a taxa básica de juros mais um pequeno percentual. A taxa atual do Tesouro Selic 2026 é soma dos juros (hoje em 12,75%) + 0,04% ao ano. Portanto, rendimento estimado em 12,79% ao ano.

Da mesma maneira, o título com vencimento em 2029 paga a Selic + 0,16 a.a. Portanto, cerca de 12,91% ao ano.

O Tesouro Prefixado tem uma opção com vencimento em 2026 e rentabilidade de 10,30% ao ano e outra com término em 2029 e rendimento de 11,12%. Por fim, há uma opção com o pagamento de juros ao longo do investimento e não apenas ao final, os cupons semestrais. Nesse caso, há um título com vencimento em 2033 e rentabilidade de 11,37%.

O rendimento do Tesouro IPCA+ (assim como o do Educa+ e o do Renda+) depende diretamente da inflação. De acordo com os dados de agosto, o índice acumulado em 12 meses está em 4,61%.

Os títulos IPCA+ atualmente disponíveis oferecem um prêmio acima da inflação que vai de 5,36% a 5,75%. Portanto, estamos falando de taxas de rendimento de apromixadamente 9,97% até 10,36% ao ano. Vale lembrar que a meta de inflação perseguida pelo governo para o próximo ano é de 3% a.a., que, se alcançada, reduzirá o potencial de rentabilidade.