De olho na MRV? Entenda se vale a pena investir nas ações MRVE3 agora

Dividendos e ações em queda: este guia te mostra o que está acontecendo com a companhia

A construtora MRV (MRVE3) é conhecida do grande público tanto pelas suas obras em mais de 160 cidades brasileiras quanto pelas notícias que circulam na mídia frequentemente. Não por acaso, muitos investidores vêm questionando se devem ou não investir em MRVE3 neste momento.

Assim, a Inteligência Financeira (IF) foi conversar com o fundador e CEO da MRV Engenharia, Rubens Menin, há algumas semanas.

Na ocasião, Menin recebeu a equipe da IF na sede da construtora, em Belo Horizonte (MG). Dessa forma, concedeu uma entrevista recheada de boas histórias para o nosso videocast Visão de Líder e que você pode conferir aqui.

Agora, vamos dar mais um passo nessa jornada. Preparamos este guia para te ajudar a entender o que faz da MRV uma das maiores empresas do Brasil. E, assim, você define se vale a pena ou não negociar as ações da companhia.

O que é a MRV Engenharia?

A construtora e incorporadora MRV Engenharia foi fundada em 1979 com foco em empreendimentos econômicos. Posteriormente, em 2007, a empresa abriu capital com ações negociadas na BM&FBovespa.

Hoje, a empresa se define como uma plataforma de soluções habitacionais que oferece diferentes opções de moradia para cada momento na vida do consumidor.

Além disso, a MRV faz parte do Grupo MRV&CO, também formado pelas empresas Sensia, Urba, Luggo e Resia. Esta última é o novo nome da AHS, que constrói e vende prédios residenciais para locação nos Estados Unidos.

Quem é o dono da MRV?

A MRV foi fundada por Rubens Menin e familiares na capital de Minas Gerais, cidade natal do fundador. Formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em Engenharia Civil, ele é reconhecido como um dos maiores empreendedores do Brasil e o bilionário por trás do time de futebol Atlético Mineiro.

Como investir em ações da MRV?

Conforme nos explica Luis Assis, analista de Real State da Genial Investimentos, você pode comprar as ações da MRV em qualquer corretora de investimentos. Assim, basta buscar pelo ticker MRVE3 (em lotes de 100) ou MRVE3F (caso queira comprar unidades de ações).

Vale a pena comprar MRVE3 neste momento?

“Hoje temos recomendação de compra para as ações da MRV”, afirma Luis. “Na nossa visão, a companhia já começa a se beneficiar das mudanças mais recentes no Programa Minha Casa Minha Vida e acreditamos que está bem descontada”, ressalta.

Mas, atenção: isso não significa que os papéis da empresa só decolam.

Recentemente, a XP soltou um relatório informando que o setor de construção civil como um todo tem potencial aumento da margem bruta. Mas que mesmo assim os analistas estavam “mais cautelosos sem descartar um potencial risco de alta na margem bruta daqui para frente”. E derrubou o preço-alvo da MRV e de outras companhias do segmento.

O que fazer quando a ação está caindo

Com ações caindo ou subindo, é importante você ficar sempre atento aos resultados dessa ou de qualquer outra empresa, mas pensar no longo prazo. Pelo menos essa é a recomendação dos especialistas em finanças.

De toda forma, para investir em MRVE3, Luis ainda recomenda que a pessoa tenha um perfil um pouco mais arrojado. Isso porque um investidor arrojado (ou agressivo) é capaz de lidar com a volatilidade dos papéis do setor de construção. As ações também são válidas para quem tem a intenção de segurar os papéis por algum tempo.

Na opinião do especialista, no curto prazo existem poucos gatilhos claros para o destrave de preço das ações da companhia. Dessa forma, a recomendação visa um intervalo mais longo de investimento, de um ano ou mais.

“É preciso ficar de olho em melhoria dos números operacionais, principalmente margem bruta e geração de caixa operacional, queda da taxa de juros real da economia. E até capitalização da Resia, que estava bem encaminhada mas foi suspensa há 2 semanas devido às condições do mercado de capitais nos EUA”, afirma.

A Resia, antiga AHS, anunciou que iria construir sua própria fábrica nos Estados Unidos.

Por que as ações MRVE3 estão caindo tanto?

Segundo o especialista, em outubro as ações MRVE3 caíram devido à suspensão da capitalização da Resia. Isso, nas palavras dele, traria folga para o balanço da companhia, assim como um possível re-rating das ações.

Aliás, você sabe o que é re-rating? Re-rating, ou reclassificação no mercado de ações, é um termo usado para quando investidores estão dispostos a pagar um preço mais elevado pelas ações de uma companhia. Assim, antecipam lucram mais altos no futuro.

Voltando a falar da MRV, mais recentemente a queda das ações MRVE3 esteve relacionada com a prévia do resultado operacional da companhia. “Os lançamentos vieram em queda e a queima de caixa reportada (R$ 1,2 bilhão) assustou o mercado”, diz ele.

“Entendemos que a reação foi um pouco exagerada, já que a queima foi principalmente relacionada às operações da Resia (R$ 960 milhões). Isso deveria ter sido antecipado pelo mercado, uma vez que já era sabido que a Resia tinha aproximadamente R$ 8 bilhões de imóveis em construção”, afirma.

“As ações se recuperaram um pouco ao longo da semana, conforme o mercado foi compreendendo melhor o funcionamento da dinâmica de geração e queima caixa da Resia”, esclarece.

Quanto a MRV paga de dividendos?

O analista de Real State da Genial Investimentos aponta que, na média, a MRV pagou aproximadamente 43% do lucro líquido em dividendos nos últimos sete anos. Ou seja, R$ 2,2 bilhões ou cerca de 46% do valor de mercado da empresa hoje.

“Todos os anos a MRV paga pelo menos o dividendo mínimo de 25% do lucro, retirada a reserva legal”, diz ele. “Na prática, significa que distribuem pelo menos 23,75% do lucro líquido anual”, explica.

Em períodos mais difíceis para a economia brasileira, como em 2014 e 2016, o pagamento ficou no mínimo.

MRVE3 dividendos: quais e quando foram as últimas distribuições?

Tradicionalmente, a MRV paga dividendos de duas a três vezes por ano. “Em 2022 já foram pagos os 25% e achamos que não devemos ver mais pagamentos até o ano que vem”, afirma Luis. “Nossa estimativa é de R$ 75 milhões para o ano que vem”, aponta.