Mercado hoje: Ibovespa fecha em alta e dólar cai a R$ 5,16 com aceno de Meirelles a Lula

Investidores aguardam decisões de juros nos EUA e Brasil

O Ibovespa fechou em forte alta nesta segunda-feira (19) e interrompeu sequência de quatro quedas, com investidores digerindo sinalizações do ex-presidente e candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A Bolsa subiu 2,33%, para 111.823 pontos. Já o dólar recuou 1,79% ante o real, negociado a R$ 5,1667. 

Apesar da volatilidade no exterior, duas sinalizações do ex-presidente Lula, que lidera as pesquisas de intenção de voto para a presidência, foram bem recebidas pelo mercado.

A primeira e mais importante é a presença do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles em um evento onde ex-presidenciáveis se uniram em apoio ao petista. “Lula deixa claro que irá ficar ao centro econômico. Bem, pelo menos este é o desejo dele. Se vai conseguir, só o tempo dirá”, afirma André Perfeito, economista-chefe da Necton.

Ainda mexeu com o humor do mercado um post do ex-presidente Lula dizendo que, se eleito, vai voltar a investir no Prouni e no Fies. A notícia fez bem a papéis do setor de educação.

Mais cedo, uma nova rodada da pesquisa FSB/BTG Pactual, mostrou que voltou a crescer a diferença entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) na corrida presidencial.

Lá fora, a sessão de hoje foi marcada pela volatilidade, enquanto agentes esperam o anúncio de uma alta mais agressiva dos juros nos Estados Unidos. Na próxima quarta (21), o Federal Reserve e o Banco Central divulgam decisões sobre taxa de juros nos EUA e Brasil. A previsão majoritária é de mais alta de juros nos EUA e em partes da Europa e de manutenção da Selic no Brasil, mas alguns projetam mais agressividade.

Após oscilar entre perdas e ganhos, os principais índices acionários dos Estados Unidos fecharam em alta. O Nasdaq Composite subiu 0,76%, enquanto o S&P 500 avançou 0,69% e o Dow Jones ganhou 0,64%. As Bolsas da Europa fecharam com sinais mistos.

Uma coleta de dados do Valor com 109 instituições financeiras apontou que 82 delas esperam que a Selic continue em 13,75% ao ano. Outras 27 preveem uma alta residual de 0,25 ponto percentual, que levaria o juro a 14% no final do ciclo de aumento.

Ainda no cenário doméstico, o Boletim Focus, do BC, mostrou que agentes do mercado financeiro reduziram a projeção para a inflação neste ano de 6,4% para 6%. Foi a 12ª redução seguida. 

Destaques do Ibovespa

Empresas de educação tiveram as maiores altas do índice depois que o ex-presidente e candidato à presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou em suas redes sociais que, se eleito, voltará a investir no Prouni e no Fies. A notícia é vista como positiva para os players do setor e Yduqs (YDUQ3) subiu 14,1% e Cogna (COGN3) avançou 9,77%.

A Petrobras (PETR3, PETR4) anunciou hoje redução no preço do Diesel, de R$ 5,19 por litro, para R$ 4,89 por litro. O corte é de 5,78%. Como os combustíveis impactam diretamente a inflação, a notícia foi bem recebida pelo mercado. As ações preferenciais da Petrobras (PETR4) subiram 1,59%, enquanto o contrato do petróleo Brent para novembro – a referência global da commodity – fechou em alta de 0,71%

Vale (VALE3) subiu 3,24%, em dia positivo para ações ligadas ao minério de ferro. Usiminas (USIM5) avançou 5,23%, Gerdau (GGBR4) subiu 5,74% e CSN (CSNA3) teve valorização de 3,82%.