CCR desiste de construir novo aeroporto em SP. O que muda nas ações (CCRO3)?

Entenda se vale a pena investir em ações da companhia focada em transporte de passageiros

O Grupo CCR (CCRO3) já anunciou que desistiu da realização do chamado Projeto Nasp (Novo Aeroporto de São Paulo). O objetivo era a construção do terceiro aeroporto na região metropolitana. Por isso, a empresa devolveu 29,76% do terreno adquirido em 2016.

O contrato assinado pela CCR com a Companhia Melhoramentos e a Space Empreendimentos Imobiliários em 2016 determinava que, se em sete anos não fosse confirmada a implementação do aeroporto no terreno, parte da propriedade deveria ser devolvida. Pois bem, o prazo se encerrou em fevereiro de 2023.

A notícia, entretanto, praticamente não mexeu com o desempenho de CCRO3 na B3, a bolsa de valores brasileira.

Um dia após o anúncio da desistência, a ação CCRO3 fechou em baixa de 0,85%, a R$ 12,90. Na quinta-feira já se recuperou, com alta de 0,74%, a R$ 13.

Enquanto isso, o BTG afirmou que continuava a ver a CCR como “uma tese de taxa de juros de longo prazo (se os cortes de taxa acontecerem), negociando a uma TIR de 10%, justificando assim a nossa recomendação de compra”, com preço-alvo de R$ 19.

Mas será que vale investir na empresa? A seguir, confira mais informações para tomar sua decisão. 

O que é o Grupo CCR (CCRO3)? 

O Grupo CCR é uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura e mobilidade da América Latina. Fundado em 1999, atua nos segmentos de concessão de rodovias, mobilidade urbana, aeroportos e serviços. Ademais, a companhia foi a primeira a ingressar no Novo Mercado da B3.

Atualmente, a companhia é responsável por 3.615 quilômetros de rodovias da malha concedida nacional, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Isso se dá por meio da gestão das concessionárias CCR RioSP (SP-RJ), CCR ViaLagos (RJ), CCR AutoBAn (SP), CCR ViaOeste (SP), CCR RodoAnel (SP), CCR SPVias (SP), Renovias (SP), CCR MSVia (MS), CCR ViaSul (RS) e CCR ViaCosteira (SC).

Foi responsável pelo primeiro contrato de concessão de rodovia do Brasil, com a CCR Ponte, responsável pela Ponte Rio-Niterói entre 1995 e 2015.

Também faz parte do controle acionário da concessionária ViaRio, responsável pela construção e operação do Corredor Expresso Transolímpica, no Rio de Janeiro. 

Além disso, o Grupo CCR está presente no segmento de transporte de passageiros por meio das concessionárias ViaQuatro, ViaMobilidade, CCR Barcas e CCR Metrô Bahia. Além disso, tem participação na concessão do VLT Carioca.

O grupo ingressou, em 2012, no setor aeroportuário, com a aquisição de participação acionária nas concessionárias dos aeroportos internacionais de Quito (Equador), San José (Costa Rica) e Curaçao.

Possui a concessionária BH Airport, responsável pela gestão do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

Em 2015, adquiriu a TAS (Total Airport Services), empresa norte-americana prestadora de serviços aeroportuários. Já em 2022, iniciou a administração dos Blocos Sul e Central, que reúnem 15 aeroportos no Brasil e também do Aeroporto da Pampulha, localizado em Belo Horizonte-MG.

Novo CEO

A CCR (CCRO3) tem, desde março, um novo presidente. Miguel Setas, um veterano do setor de energia e infraestrutura — e ex-presidente da EDP Brasil —, foi o escolhido pela companhia.

O posto estava vago desde agosto do ano passado, quando Marco Antonio Caduro renunciou ao cargo. O mercado soube de sua saída um dia antes de uma nova rodada de concessões de aeroportos. Na ocasião, a CCR, apontada como uma das favoritas para a disputa, optou por não participar do certame.

Últimos resultados do Grupo CCR (CCRO3)

A CCR registrou um prejuízo de R$ 217,1 milhões no quarto trimestre de 2022, o que representa uma piora de 63% em relação ao resultado negativo de R$ 133,2 milhões no mesmo período do ano anterior.

O resultado foi impactado principalmente por efeitos não recorrentes. Desconsiderando estes impactos e utilizando a comparação em mesma base, quando são excluídos ativos que saíram do portfólio ou que acabaram de ser adicionados, o resultado do trimestre teria sido um lucro de R$ 219,1 milhões, uma alta de 36,3% na comparação anual.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado teve uma queda de 27,9%, chegando a R$ 1,06 bilhão. No cenário de mesma base, que exclui efeitos não recorrentes, o Ebitda ajustado teria alta de 17,6%.

Como estão e como comprar as ações do Grupo CCR (CCRO3)? 

Para comprar ações da CCR (CCRO3) é muito simples. Primeiramente, você deve abrir uma conta em uma corretora de valores. Na sequência, você deposita o dinheiro que pretende usar para negociar e, por meio de uma plataforma, realiza o investimento.

Mas vale a pena? Após a divulgação dos resultados no quarto trimestre, em fevereiro, o Safra manteve a classificação de compra para a empresa, com preço-alvo a R$ 14,10.

“Vemos a CCR como um nome defensivo, um ativo confiável no atual cenário macroeconômico desafiador, principalmente considerando suas receitas estáveis e consistentes e previsibilidade de fluxo de caixa”, afirmam os analistas do banco.

A Toro Investimentos também tem recomendação de compra para CCRO3. De acordo com a corretora, “a CCR necessita diretamente do nível de aquecimento da economia para ampliar o fluxo de passageiros, do qual parte de seus negócios é dependente”.

Por isso, “com a retomada da atividade econômica e o aumento do fluxo de pessoas nos aeroportos, em rodovias e na utilização de veículos de mobilidade urbana, a companhia é beneficiada, gerando um melhor desempenho operacional e financeiro”, afirma a Toro.

Por fim, a XP, em outubro de 2022, atualizou as estimativas para a CCR e rebaixou a recomendação para neutro.

“Embora mantenhamos uma perspectiva positiva para o setor rodoviário brasileiro baseado em um forte cronograma de leilões e notamos grandes melhorias no nível da empresa para a CCR (por exemplo: melhoria da governança corporativa e dos padrões de gestão), tomamos uma abordagem de recomendação mais cautelosa com base em: os catalisadores positivos mais relevantes já ocorreram; potencial de valor presente relativamente pequeno de novos projetos versus capitalização de mercado da CCR; e valuation bem precificado, em nossa opinião (~11% de TIR real alavancada implica uma potencial de 20% para a CCRO3)”.

Pagamento de dividendos do Grupo CCR (CCRO3)

A CCR informou, no dia 19 de abril de 2023, que foi aprovado, em assembleia, o pagamento de dividendos no valor total de R$ 73.827.707,56, referente ao complemento do dividendo mínimo obrigatório. Sendo assim, o montante corresponde a R$ 0,03654840627 por ação ordinária de emissão da companhia.

Será considerada a posição acionária do dia 19, sendo as ações negociadas “ex-dividendos” a partir do dia 20. O pagamento está previsto para 2 de maio deste ano.