Derivativos

Derivativo é, como o próprio nome nos faz lembrar, um ativo que deriva de outro via um contrato padrão de negociação

Os derivativos são instrumentos de alto risco que podem ser usados no endividamento de empresas para aumentar o lucro, fazer hedge (proteção) ou para especulação.  

Nos derivativos, os investidores não negociam o ativo referenciado em si, mas um contrato referente a ele. Este contrato pode ser uma opção de venda ou compra de ações, ou um swap cambial, por exemplo. 

Todos os derivativos são padronizados, ou seja: os compradores adquirem o mesmo tipo de contrato, sem possibilidade de negociação. Assim, quantidade, qualidade, prazo de liquidação e cotação são previamente conhecidos.

Opções com papéis da Vale e da Petro
– Ilustração: Marcelo Andreguetti

Tipos de derivativos

Os derivativos são divididos em quatro categorias. São elas: 

  • Mercado a termo 
  • Mercado futuro 
  • Opções 
  • Swaps  

O mercado a termo é o mais simples. Ele consiste em contratos de compra ou venda, com tudo determinado: quantidade, qualidade, prazo e condições para a liquidação. 

O mercado futuro é semelhante ao mercado a termo. A diferença é que o preço do contrato de compra e venda oscila diariamente. 

No mercado de opções o que se negocia é a opção de comprar e vender um ativo, e que não precisa necessariamente ser efetuada. 

Já os swaps são contratos de troca. Com eles, geralmente, se trocam os rendimentos de dois ativos distintos. Os mais comuns são os swaps cambiais, utilizados com frequência pelo Banco Central, em que se troca a variação do câmbio por uma taxa de juros. Há também o CDS, conhecido como risco-país, que é uma troca de risco de calote pelo recebimento de juros periódicos. 

Opções de ações 

Opções de ações ou opções sobre ações são derivativos que garantem o direito de compra ou venda de uma ação em uma data futura por um preço acertado. A opção de compra é chamada de call e a opção de venda, de put. 

Este tipo de instrumento financeiro foi criado para diminuir os riscos do mercado de ações, porque oferecem uma proteção à oscilação de preços. 

As opções de compra (call) geralmente são adquiridas quando o investidor vê uma possibilidade de valorização, mas não tem o dinheiro para comprá-lo no momento.  

Caso o invetidor aposte na queda do papel, é possível lucrar com a desvalorização adquirindo opções de venda (put). Caso a queda projetada se concretize, o investidor adquire a ação desvalorizada e a vende a um preço maior, preestabelecido. 

Além da opção de compra e venda, também é possível operar opções como lançador. Lançador é a pessoa que efetua a venda ou compra do papel para o comprador da opção, sendo recompensado com o prêmio sobre as opções, que é o custo que o comprador de opções tem com a operação. 

Como tudo começou 

Segundo estudiosos, os derivativos são tão antigos quanto a escrita. Historiadores identificaram exemplos de contratos derivativos na Mesopotâmia em escrita cuneiforme.  

Um dos derivativos mais antigos é do século 19 a.C. e diz respeito a uma entrega futura de madeira. Outro, do século 18 a.C., envolvia o empréstimo de uma certa quantidade de sementes de cevada que teriam que ser devolvidas na colheita. 

Os derivativos seguiram sendo utilizados, geralmente combinados a um empréstimo, em todas as civilizações, com registros destes contratos no Egito, em Roma, no Império Bizantino, entre outros. 

Explore mais termos
Swiper Anterior
Swiper Próximo

Direto ao Ponto BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financia projetos que tenham caráter socioeconômico.…

Leia Mais Ir para: BNDES
Direto ao Ponto ADR (American Depositary Receipt)

ADR, ou recibos depositários de ações, é um ativo negociado em dólar nos Estados Unidos, mas emitido em outros países.…

Leia Mais Ir para: ADR (American Depositary Receipt)
Direto ao Ponto IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central)

O IBC-Br é divulgado todos os meses pelo Banco Central (BC) desde março de 2010. O objetivo do índice é mensurar a evolução da atividade econômica do país e ajudar na estratégia de política monetária.…

Leia Mais Ir para: IBC-Br (Índice de Atividade Econômica do Banco Central)
Direto ao Ponto Oferta hostil

Também conhecida como aquisição hostil, a oferta hostil acontece quando uma empresa ou um grande investidor toma o controle de uma companhia listada em Bolsa, comprando suas ações.…

Leia Mais Ir para: Oferta hostil
Direto ao Ponto Circuit breaker

O circuit breaker é um mecanismo de proteção acionado pelas Bolsas de Valores. O objetivo é suspender temporariamente todas as negociações quando há uma queda brusca dos índices durante o pregão em relação ao fechamento anterior. …

Leia Mais Ir para: Circuit breaker
Direto ao Ponto Juros sobre capital próprio (JCP)

Juros sobre capital próprio (JCP) é uma maneira de empresas de capital aberto distribuir lucro aos investidores. Os JCP são semelhantes aos dividendos, com diferença no Imposto de Renda, e foram inventados pelo mercado financeiro brasileiro.…

Leia Mais Ir para: Juros sobre capital próprio (JCP)

Você também pode gostar
Lucas Andrade Publicado em 03.mar.2024 às 10h00
Balanço da Petrobras e payroll de fevereiro nos EUA são os destaques na agenda do investidor

Divulgação do resultado da gigante da bolsa de valores brasileira é marcada pela expectativa de pagamento de dividendos extraordinários

Redação IF Publicado em 02.mar.2024 às 12h37
Previ quer que Vale (VALE3) publique ata de reunião que expôs racha sobre quem deve comandar companhia

A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, é o maior acionista individual da Vale, com 8,7% do capital

Aluísio Alves Publicado em 02.mar.2024 às 12h00
Balanços da semana: confira previsões para Petrobras (PETR4), Raia (RADL3) e CSN (CSNA3)

Também estão previstos os resultados de Vibra, Petrorecôncavo, Dexco, SLC, Taesa, 3R, CSN Mineração, Fleury e Petz. Veja a programação

Redação IF Publicado em 02.mar.2024 às 08h57
Vale (VALE3): veja perguntas e respostas sobre a sucessão no comando da empresa

Saiba o que quer o governo Lula e os nomes cotados para substituir Eduardo Bartolomeo se o mandato dele não for renovado

Redação IF Publicado em 01.mar.2024 às 13h20
XP eleva projeção para Ibovespa em 2024 de 142 mil pontos para 149 mil

Conforme a corretora, a saída de investimento externo da Bolsa brasileira não muda a sua visão estrutural de que o Brasil está bem posicionado globalmente

Raphael Coraccini Publicado em 01.mar.2024 às 10h24
Zero a zero na bolsa: Ibovespa termina a semana estável apesar da alta no dia com PIB; dólar cai

Bolsa de valores hoje: veja o desempenho do Ibovespa e do dólar nesta sexta-feira (1) e o que tem movimentado os ativos

Redação IF Publicado em 01.mar.2024 às 08h53
Entenda o caso que envolve a JBS (JBSS3) nos Estados Unidos

A procuradora-geral de Nova York acusa a empresa brasileira de mentir sobre metas ambientais para aumentar vendas

Pedro Knoth Publicado em 01.mar.2024 às 07h00
Agenda de dividendos: Itaú (ITUB4) paga R$ 1 por ação, enquanto Vale (VALE3) paga R$ 2

Março está repleto de companhias que distribuem JCP e dividendos ao mesmo tempo na agenda; confira as principais ações que pagam no mês

Redação IF Publicado em 01.mar.2024 às 06h00
Morning call destaca que não há nada mais importante do que o resultado do PIB

PIB deve ter crescido entre 2,9% e 3,1% em 2023. Análise parte de levantamento feito pela Inteligência Financeira com 13 instituições

Clique e veja mais

Continue acompanhando a gente aqui no nosso site, pelo seu e-mail e nas nossas redes sociais. Informação é investimento!

A partir de agora, enviaremos a você as últimas notícias e análises para orientar seus investimentos com inteligência. Não esqueça de checar se nossa mensagem de boas vindas caiu na sua caixa de "Spam" ou "Promoções". Se isso acontecer, transfira a mensagem para a sua caixa de "Entrada". Obrigada!

< Voltar ao site