Defasagem no preço da gasolina nas refinarias chega a R$ 0,89, aponta associação

Petrobras não faz reajuste no combustível há 3 meses

Foto: Hermes de Paula/Agência O Globo

Os preços da gasolina vendida pela Petrobras às distribuidoras nas refinarias estão 19% abaixo das cotações no mercado internacional, segundo cálculos da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), com base nas cotações desta quinta-feira. A estatal está há quase três meses sem realizar alterações nos preços da gasolina, vendida em média por R$ 3,86 o litro nas refinarias desde o dia 11 de março.

Com isso, a Abicom estima que é necessário um aumento de R$ 0,89 por litro na gasolina vendida pela estatal. Segundo cálculos da consultoria StoneX, a defasagem da gasolina está em 11,2%.

A prática de preços abaixo do mercado externo gera risco de desabastecimento, segundo especialistas do setor. No caso da gasolina, a possibilidade de problemas no abastecimento é menor pois o mercado é menos dependente de importações. O risco maior está no segmento de diesel, pois mais de 30% mercado é suprido por exportações de outras empresas, que não conseguem competir com a Petrobras quando a companhia não acompanha os preços internacionais.

Na estimativa da StoneX, o diesel vendido pela Petrobras está 17,5% abaixo das cotações internacionais. Com isso, a consultoria estima que o próximo reajuste médio da estatal será de R$ 0,86 por litro de diesel. Segundo os cálculos da Abicom, o diesel tem uma defasagem de 15% e precisa de um aumento e R$ 0,89 por litro.

O último reajuste do diesel ocorreu há cerca de um mês, em 10 de maio, quando a Petrobras aumentou o litro do diesel vendido nas refinarias em 8,9%, para R$ 4,91.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico


Você também pode gostar
Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 17h45
Juros futuros fecham em queda, em linha com taxas dos títulos públicos globais

Medo de recessão nos EUA pesou mais do que riscos fiscais no Brasil

Papo de Finanças Atualizado em 02.jul.2022 às 08h21
Como as eleições interferem nos seus investimentos?

De alguma maneira, seu bolso será afetado pelas eleições do fim do ano. O que pode acontecer? Nina Silva explica

JOTA Publicado em 01.jul.2022 às 16h58
Semana política: PEC “vale-tudo” une governo e oposição por votos

Enquanto isso, em campanha, Lula acena a empresários e ao mercado, diz Fábio Zambeli, do JOTA

Redação IF Publicado em 01.jul.2022 às 15h28
Bilionários dão adeus a US$ 1,4 tri no 1º semestre; veja quem perdeu mais

A fortuna de Elon Musk caiu quase US$ 62 bilhões. Jeff Bezos viu sua riqueza diminuir em cerca de US$ 63 bilhões. O patrimônio líquido de Mark Zuckerberg foi reduzido em mais da metade

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 15h08
Efeito bumerangue: entenda como quem tem menos grana vai pagar, no futuro, a conta da ‘PEC Eleitoral’

Aumento de gastos tende a pressionar a inflação e prejudicam, principalmente, as pessoas de menor poder aquisitivo

Redação IF Atualizado em 01.jul.2022 às 18h17
União Europeia chega a acordo histórico para regular critpoativos. ‘É o fim do Velho Oeste digital’, diz parlamentar

NFT com preço fixo, como ingressos para eventos ou itens em games, não serão regulados. Provedores deverão divulgar impacto ambiental dos ativos digitais