RDB ou CDB: qual desses investimentos rende mais?

Especialistas apontam diferenças, retornos, vantagens e riscos dos títulos

Você já ouviu falar em Recibo de Depósito Bancário (RDB)? Esse produto da renda fixa é bem parecido com o Certificado de Depósito Bancário, o famoso CDB. Mas qual será que rende mais: RDB ou CDB?

A Inteligência Financeira conversou com especialistas que trouxeram seus olhares sobre cada um desses investimentos, apontando, claro, seus riscos e vantagens.

O que é RDB?

Então, começamos explicando para você o que está por trás do Recibo de Depósito Bancário, que nada mais é do que um empréstimo de recurso a uma instituição financeira. Em troca, claro, o banco devolve o montante investido acrescido das taxas de juros acordadas. Ou seja, é um investimento bem parecido com o Certificado de Depósito Bancário. Até por isso, vem a dúvida sobre qual escolher: RDB ou CDB.

“Lembrando que as instituições financeiras tomam recursos dos que possuem excedentes e os emprestam para os que estão deficitários. Esta é uma das formas dos bancos captarem recursos dos investidores”, explica José Carlos de Souza Filho, professor da FIA Business School.

Além disso, de acordo com Rogério Paulucci Mauad, professor de finanças nos cursos de pós-graduação da Faculdade Fipecafi, existem três formatos de rentabilidades do Recibo de Depósito Bancário. “Então, assim como o CDB, as taxas do RDB podem ser prefixadas, que são determinadas no momento do investimento, pós-fixadas, quando atreladas a um indexador, como a Selic e CDI, ou híbridas, que como o nome diz, mescla uma taxa prefixada mais a inflação”, esclarece.

Vantagens de investir em RDB

Claro que antes de definir entre RDB ou CDB, é importante conhecer as vantagens de cada um desses investimentos, que veja só, são bem parecidos. Então, os benefícios do Recibo de Depósito Bancário estão, em primeiro lugar, na sua segurança. “Afinal de contas, geralmente, esses títulos são emitidos por instituições financeiras e bancos regulamentados pelo Banco Central”, argumenta Souza Filho.

Sem esquecer que os RDBs, assim como os CDBs, são investimentos cobertos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até R$ 250 mil por CPF e por instituição. “Além disso, o produto possui uma rentabilidade atraente. Afinal de contas, normalmente o retorno financeiro do RDB costuma ser acima da rentabilidade de um título público”, afirma Mauad.

Riscos de investir em RDB

E assim como todos os tipos de produtos financeiros, o RDB também possui os seus lados não tão positivos. Mesmo que esse investimento não seja de alto risco. “Portanto, nesse caso, um dos maiores problemas do Recibo de Depósito Bancário – assim como o CDB – seria o ‘default’ ou falência da instituição emissora do RDB. Muito embora exista a garantia do FGC de até R$ 250 mil por CPF”, comenta Souza Filho.

Outro ponto não tão interessante é que o ao investir em RDBs ou CDBs, você irá pagar Imposto de Renda de acordo com uma tabela com alíquotas regressivas. Ou seja, quanto maior o prazo de investimento, menor a alíquota do IR.

A tabela de cobrança do Imposto de Renda para RDB, CDB e outros produtos da renda fixa funciona assim:

Tempo de investimentoAlíquota de IR
Entre 0 e 180 dias22,5%
Entre 181 e 360 dias20%
Entre 361 e 720 dias17,5%
Acima de 721 dias15%

E aqui um ponto de atenção: ao investir em RDB ou CDB, o investidor também deverá pagar o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) se o prazo de investimento for menor do que 30 dias. “Ou seja, passado o 1º mês, o investimento estará isento da cobrança de IOF, devendo pagar apenas o IR”, afirma Mauad.

Diferenças entre RDB e CDB

Deu para perceber que os dois investimentos são muito parecidos. Ainda assim, claro, existem distinções entre um produto e outro. E a principal diferença está na liquidez.

Leia a seguir

Leia a seguir

“Isso porque, o CDB pode ser resgatado e negociado antes do vencimento (em alguns casos com penalidades nos ganhos). Além disso, também pode ser negociado no mercado secundário. Já o RDB só pode ser resgatado no vencimento e não permite a negociação no mercado secundário. Também existem algumas cláusulas e características dos emissores de CDB que podem não ter a garantia do FGC, o que dificilmente ocorre com o RDB”, explica o José Carlos de Souza Filho, da FIA Business School.

Sem esquecer que diferentemente do RDB, nem sempre o CDB irá render mais do que os títulos públicos. Por isso, é importante sempre analisar com calma cada produto financeiro a fim de entender se o investimento tem relação com seu perfil e com seus objetivos.

Qual rende mais: CDB ou RDB?

E um dos estudos, claro, envolve a questão da rentabilidade. Mas sinto lhe informar que não existe uma resposta única sobre qual rende mais, RDB ou CDB. Isso porque existem muitos fatores a serem levados em consideração.

“Primeiramente, as taxas oferecidas por um e pelo outro. Depois, o fato de se tratarem de títulos ou recibos pré, pós-fixados ou híbridos. Se pós-fixados, por exemplo, qual o indexador de ambos? E mais: cooperativas de crédito e bancos menores costumam oferecer taxas mais atrativas, mas podem não estar cobertas pelo FGC, o que precisa ficar de olho”, comenta Souza Filho.

Além disso, as rentabilidades de um RDB e de um CDB dependem do prazo do investimento e do banco emissor. “Por exemplo, CDBs e RDBs de bancos pequenos e médios, costumam pagar maiores rentabilidades quando comparados aos títulos emitidos por bancos grandes”, afirma Rogério Paulucci Mauad, da Fipecafi.

Por isso, então, é sempre necessário fazer uma análise minuciosa das instituições em questão, além do perfil do investidor e de seu horizonte de tempo de investimento.

Aliás, a Inteligência Financeira preparou um material bastante completo sobre CDB que você confere aqui.

Quanto rende R$ 1 mil no RDB e no CDB

Então, para se ter uma ideia, Souza Filho fez uma pequena simulação do retorno financeiro de R$ 1 mil reais aplicados no Recibo de Depósito Bancário. “Tomei como base um rendimento de 1,07% ao mês”, pontua o professor.

Desse modo, quanto rende R$ 1 mil no RDB em:

  • 1 mês: em torno de R$ 8,30;
  • 6 meses: aproximadamente R$ 53;
  • 1 ano: mais ou menos R$ 109.

Vale saber, aliás, que esses valores já estão com o desconto do Imposto de Renda.

Agora a gente mostra o outro lado da moeda, ou seja, o retorno financeiro do mesmo valor se fosse aplicado no Certificado de Depósito Bancário. “Para o cálculo, levei em consideração um rendimento da taxa Selic mais 1%.

Então, veja só quanto rende R$ 1 mil no CDB em:

  • 1 mês: aproximadamente R$ 7;
  • 6 meses: mais ou menos R$ 56;
  • 1 ano: em torno de R$ 98.

Nessas simulações os valores também já estão com o desconto do IR.

Como investir em RDB?

Bem, se você ficou interessado em aplicar parte do patrimônio no Recibo de Depósito Bancário, a gente trouxe um passo a passo de como investir em RDB, que veja só, também vale para o CDB. Confira!

  1. Faça uma criteriosa avaliação das instituições financeiras e suas opções. Verifique a tradição delas e nunca se esqueça de que risco e retorno caminham de mãos dadas. Ou seja, quanto maior o retorno, maior será o risco e vice-versa.
  2. Após a escolha, abra uma conta na instituição (caso não a possua).
  3. Em seguida, escolha o tipo de RDB (prefixado, pós-fixado ou híbrido) e o prazo de vencimento que se deseja.
  4. Acompanhe seu investimento por meio de extratos e se certifique quanto às condições de resgate antecipado e suas consequências.

Ao seguir esses passos, você fica ainda mais por dentro de como está progredindo os seus investimentos, sejam eles RDBs, CDBs ou qualquer outro tipo de produto financeiro.