Onde investir por apenas 2 meses?

Especialista indica três opções para esse tipo de aplicação e destaca pontos de alerta

Precisa investir por menos de 60 dias, ou só 2 meses, e não sabe quais são as melhores alternativas para fazer seu dinheiro render? Fique tranquilo porque perguntamos à Maria Luisa Nepomuceno, analista de renda fixa da Nord Research, como aplicar da melhor forma possível por um prazo tão curto. Vamos às respostas?

Qual é a melhor forma de investir em até 60 dias?

O que vai contar muito na hora de investir por menos de 60 dias não é tanto o perfil da pessoa, se ela é conservadora ou arrojada. O que conta é a previsibilidade do retorno, já que é um dinheiro que ela sabe que vai precisar nesse curto tempo.

Investidor deve arriscar no curtíssimo prazo?

Não recomendo colocar esse dinheiro em ativos com mais risco e volatilidade. Eu nem recomendo, por exemplo, o Tesouro IPCA, que apesar do título ter liquidez, ele passa pela marcação ao mercado. Ou seja, o investidor pode fazer o resgate em um momento de marcação negativa e acabar tendo menos retorno do que esperava.

Quais são as melhores opções para investir por menos de 60 dias?

Vejo três opções que seriam ideais para investir por menos de 60 dias. Uma é o Tesouro Selic, porque fornece liquidez diária e está atrelado ao rendimento da Selic. A segunda é um CDB também de liquidez diária. E a última é um CDB que não tenha liquidez diária, mas tenha vencimento dentro desses 60 dias, que são os CDBs de curtíssimo prazo.

O que é preciso observar em um investimento de curto prazo?

O investidor precisa ficar atento para resgates em menos de 30 dias. Isso porque, nas três opções que falei incide a tabela regressiva de IOF. Além disso, em qualquer resgate feito em menos de 60 dias, o investidor vai ter que pagar a taxa de 22,5% de Imposto de Renda sobre os rendimentos, que é a alíquota máxima da renda fixa.

Leia a seguir

Leia a seguir