Alta da inflação nos EUA, recorde da renda fixa no Brasil, economia ucraniana em retração

Isabella Carvalho e Victor Vietti comentam a alta nos preços nos EUA, a captação recorde no mercado de capitais e a ajuda do Banco Mundial à Ucrânia

Hoje (13), o Manhã Inteligente fala sobre a inflação nos EUA, a captação recorde no mercado de capitais brasileiro e a retração da economia ucraniana. Isabella Carvalho, repórter da Inteligência Financeira, e Victor Vietti, especialista em investimentos, comentam esses e outros assuntos que podem afetar seu dinheiro.

Inflação sobe nos EUA

Nos Estados Unidos, o índice de preços ao consumidor de março subiu 1,2% após alta de 0,80% em fevereiro. Essa foi a maior alta mensal desde setembro de 2005. No acumulado de 12 meses, a alta é de 8,5%, o maior ganho anual desde dezembro de 1981. A escalada da inflação foi impulsionada pelo aumento dos custos de energia e alimentação. Já são seis meses consecutivos de inflação acima de 6%, bem além da meta de 2% do Federal Reserve, o banco central americano.

Renda fixa em alta no Brasil

As empresas brasileiras tiveram captação recorde no mercado de capitais local no 1º trimestre de 2022. De acordo com a Anbima, as emissões de renda fixa foram os destaques. As empresas captaram R$ 93,5 bilhões com dívida e outros instrumentos entre janeiro e março. O volume foi 32,2% maior do que o mesmo período do ano passado. Já na renda variável, houve uma forte retração das operações. As emissões de ações somaram R$ 11,7 bilhões até março de 2022, um recuo de 63,6% em relação ao mesmo período de 2021.

Banco Mundial prepara ajuda à Ucrânia

O Banco Mundial anunciou que está preparando um pacote de US$ 1,5 bilhão em ajuda a Kiev. Em relatório divulgado no domingo, a instituição previu que a economia ucraniana deve encolher 45,1% neste ano, percentual que depende da duração da guerra. De acordo com o presidente do Banco Mundial, David Malpass, o impacto da guerra tem se refletido em toda a economia global. Com a nova contribuição, o Banco Mundial eleva para US$ 2,4 bilhões o apoio à Ucrânia desde o início do conflito.