Ata detalha divisão do Copom; inflação nos EUA vai determinar humor do mercado

Semana começa com balanço da Petrobras; BTG Pactual e Nubank também divulgam resultados financeiros do 1º trimestre

A política monetária no Brasil e nos Estados Unidos estará mais uma vez no centro das atenções na semana de 13 a 17 de maio. A seguir, a Inteligência Financeira destaca o calendário econômico com os indicadores e assuntos mais importantes para acompanhar nos próximos dias.

Logo na segunda (13), o Boletim Focus atualiza as projeções do mercado financeiro para os principais dados da economia brasileira. O foco dos agentes fica por conta de ajustes nas previsões para IPCA e taxa Selic.

Enquanto as expectativas para a inflação ao longo do horizonte continuam desancoradas, acima da meta de 3%, as apostas para o rumo dos juros apresentam tendência de queda menos intensa.

Divisão do Copom

Na sequência do calendário econômico, a divulgação da ata do Copom é o evento mais aguardado da terça (14). Sobretudo porque o documento irá trazer detalhes do racha no comitê, que com divergências entre os integrantes reduziu o ritmo de cortes da Selic.

Dessa maneira, o mercado irá digerir porque prevaleceu a opção de baixar os juros em 0,25 ponto percentual e não em 0,50 ponto percentual, como foi sinalizado anteriormente.

Adicionalmente, a ata do Copom será essencial para os agentes calibrarem as expectativas do que vem pela frente. Em suma, se haverá uma pausa na queda da Selic ou quanto mais a taxa pode ser reduzida.

Inflação nos Estados Unidos

Então, na quarta-feira (15) está previsto o indicador mais importante da semana. O CPI de abril, mais conhecido como a inflação dos Estados Unidos. Após dados do mercado de trabalho (payroll) abaixo do esperado em abril, uma leitura benigna do CPI no mês tem potencial de animar o mercado financeiro.

Isso não significa que o Fed (Federal Reserve) vai antecipar para junho ou julho o início do ciclo de corte dos juros. Mas pode ganhar força a expectativa de flexibilização da taxa na reunião de setembro do banco central americano.

Aliás, a queda dos juros nos Estados Unidos tende ainda a quebrar a tensão do Copom dividido. Já que um alívio por parte do BC americano é apontado pelos analistas como um dos fatores que permitiria um corte maior da Selic.

Balanço da Petrobras

Juntamente com a política monetária, a atividade econômica também terá novidades nos próximos dias. Aqui no Brasil, entre os destaques, estão marcadas as divulgações da pesquisa de serviços referentes a março e do IBC-Br (prévia do PIB) do mesmo mês.

Na cena internacional, outras agendas relevantes serão as vendas no varejo dos Estados Unidos em abril, o PIB do primeiro trimestre na zona do euro, os dados de inflação de abril do bloco europeu, além da produção industrial do mesmo mês na China.

Já na temporada de balanços, que caminha para a parte final, o protagonismo será o resultado da Petrobras (PETR3; PETR4), previsto para ocorrer após o fechamento do mercado na segunda-feira. Também teremos os desempenhos financeiros de Nubank (ROXO34), BTG Pactual (BPAC11) e outras companhias brasileiras.

Finalmente, o foco do noticiário seguirá na tragédia das chuvas no Rio Grande do Sul, com a perspectiva de novos anúncios dos governos.

Calendário econômico – 13 a 17 de maio

Segunda (13)

08h25: Boletim Focus (Banco Central)
Balanços: Petrobras (PETR3; PETR4), BTG Pactual (BPAC11), Itaúsa (ITSA4), Azul (AZUL4), Localiza (RENT3), Raízen (RAIZ4), IRB Brasil (IRBR3) e Natura&Co (NTCO3)

Terça (14)

08h00: Ata do Copom (Banco Central)
09h00: Dados de março do setor de serviços (IBGE)
Balanços: Nubank (ROXO34), JBS (JBSS3) e Bradespar (BRAP4)

Quarta (15)

06h00: PIB do 1º trimestre da zona do Euro
09h00: IBC-Br/Índice de atividade econômica (Banco Central)
09h30: CPI/Inflação de abril nos EUA
09h30: Vendas no varejo de abril nos EUA
Balanços: Marfrig (MRFG3) e Equatorial (EQTL3)

Quinta (16)

10h15: Monitor do PIB de março (FGV-Ibre)
23h00: Produção industrial de abril na China

Sexta (17)

06h00: Inflação de abril na zona do euro