Vendendo bolsas, francês desbanca Musk como homem mais rico do mundo

Empresário é presidente-executivo de marca que controla Louis Vuitton, Dior e mais. Conheça.

Elon Musk perdeu o posto de homem mais rico do mundo. Pois quem assume é Bernard Arnault, presidente-executivo da marca de luxo francesa LVMH (LVMHF), segundo ranking da revista Bloomberg. Ele é o primeiro europeu a liderar a lista. Desta forma, Musk amargou um segundo lugar.

A fortuna de Arnault é de mais de US$ 171 bilhões (cerca de R$ 940 bilhões). Sendo assim, o valor supera os US$ 164 bilhões (cerca de R$ 920 bilhões) do bilionário sul-africano, ainda de acordo com o mesmo ranking.

Segundo lista da Forbes, Elon também já tinha perdido seu posto de mais rico do mundo para Arnault.

De onde vem a fortuna de Bernard Arnault?

Bernard Arnault é sócio majoritário e lidera os negócios da LVMH desde 1989. O conglomerado de luxo controla Louis Vuitton, Dior, Marc Jacobs, Sephora, Chandon, e mais de 70 marcas de roupas, hotelaria, bebidas alcoólicas, cosméticos e outros artigos.

O mercado de luxo se manteve relativamente estável neste ano, mesmo com índices de inflação altos nos EUA e Europa, seus maiores mercados. Sendo assim, a LVMH manteve seu valor de US$ 386 bilhões, cerca de R$ 2,1 trilhões.

A última aquisição do grupo foi a empresa de joias americana Tiffany & Co, por mais de US$ 15,8 bilhões, o maior negócio já feito na indústria de artigos de luxo.

Bernard Arnault também doou cerca de 200 milhões de euros em 2019 para reconstruir a Catedral de Notre Dame, depois que o um incêndio destruiu o local.

O empresário é casado e pai de cinco filhos, sendo que todos trabalham em alguma das unidades de negócio da LVMH, de acordo com a Bloomberg.

Por que Elon Musk não é o mais rico do mundo?

Escolhas de negócio de Elon Musk nos últimos meses fizeram sua fortuna sangrar. Primeiramente, as ações da Tesla (TSLA) na bolsa flutuaram cerca de 54% em 2023, de acordo com a CNN, enquanto as da LVMH, de Bernard Arnault, ficaram estáveis por conta de vendas sólidas nos Estados Unidos e Europa.

A compra do Twitter (TWTR) também não ajudou. Em outubro, o bilionário terminou de comprar a rede social por US$ 44 bilhões, após meses de batalhas na Justiça. Mesmo assim, ele não tem nenhum risco de sair do segundo lugar da lista tão cedo. Sua fortuna continua bem a frente do dinheiro acumulado pelo empresário indiano Gautam Adani (US$ 125 bilhões) e de Jeff Bezzos (US$ 116 bilhões), fundador da Amazon (AMZN), terceiro e quarto do ranking, respectivamente.

Leia a seguir

Leia a seguir