Bitcoin ensaia recuperação com ataques a carteiras digitais no radar

Segurança das redes preocupa investidores

cotação bitcoin hoje, Bitcoin (BTC) ultrapassa US$ 24 mil após divulgação de dados da inflação nos EUA
Bitcoin (BTC) ultrapassa US$ 24 mil após divulgação de dados da inflação nos EUA

No último dia útil da primeira semana de agosto, o bitcoin e as principais criptomoedas ensaiam uma recuperação, mas anda seguem sem forças para avançar a novos patamares. A atenção dos investidores hoje se concentra nos indicadores do mercado de trabalho dos EUA, que devem dar o tom dos negócios nos ativos de risco.

Investidores de criptoativos continuam monitorando informações sobre segurança das redes. A Solana prestou novos esclarecimentos sobre o ataque sofrido nas carteiras digitais nesta semana, que passaram por auditoria de segurança.

De acordo com o perfil oficial da Solana, a vulnerabilidade se restringiu às carteiras Slope e as demais carteiras de hardware não foram afetadas. “Embora os detalhes de como exatamente isso ocorreu ainda estejam sob investigação, as informações da chave privada foram transmitidas inadvertidamente para um serviço de monitoramento de aplicativos”, disse a Solana.

Os esclarecimentos tiveram impacto na SOL, moeda da Solana, que tinha alta de 6,1%, negociada a US$ 40,88 perto das 9h (horário de Brasília), segundo o CoinGecko. Em sete dias, a SOL acumula perda de 4,7%.

Depois de recuar na véspera o bitcoin voltou a oscilar na casa de US$ 23 mil na manhã desta sexta, junto com o ether, a segunda maior moeda digital. O bitcoin era negociado a US$ 23.317,95, com valorização de 2,1% nas últimas 24 horas, mas baixa de 2,2% nos últimos sete dias. Já o ether, moeda da rede ethereum, estava em US$ 1.705,14, com ganho de 5,6% nas últimas 24 horas e recuo de 2,2% em sete dias. Em reais, o bitcoin estava em R$ 121.771,68 (alta de 0,89%) e o ether, em R$ 8.852,34 (alta de 1,7%).

Para André Franco, chefe de análise do MB, o bitcoin deve oscilar próximo do atual patamar até 10 de agosto, quando saem indicadores de inflação dos EUA, dados que devem sinalizar uma tendência mais assertiva para os mercados de risco.

“Já estamos em pelo menos o terceiro dia consecutivo no qual o bitcoin começa o dia no verde e termina o dia no vermelho. Mesmo com volumes muito reduzidos nas quedas, o bitcoin caiu pouco mais de 5% nos últimos dias, mas hoje o ativo ensaia uma recuperação de quase 3%. Sem muitas notícias no horizonte é natural que vejamos ainda mais lateralidade nos preços e alguma reação no dia 10, quando saem os dados da inflação americana”, disse.

Para Franco, no campo cripto vale a pena acompanhar informações sobre segurança e ataques a ecossistemas de negócios, que podem afetar pontualmente os ativos digitais.

Israel Buzaym, sócio da BitPreço, destaca que mesmo grandes notícias no mercado cripto, que em outros momentos resultariam em fortes movimentos na cotação, não têm tido tanto impacto no preço neste período de lateralização atual. Por outro lado, ele ressalta que as notícias ruins também não tem feito preço.

“A saída de Michael Saylor, grande entusiasta do bitcoin, da posição de CEO da MicroStrategy foi vista com maus olhos por grande parte da mídia especializada do mercado financeiro, mas o preço do criptoativo não sofreu tanta influência”, lembra.

Com conteúdo VALOR PRO, o serviço de informação em tempo real do Valor Econômico