Análise técnica: três dicas para os investidores que queiram começar a olhar os gráficos

O método é usado para prever tendências e tomar decisões mais inteligentes; saiba como dar os primeiros passos
Pontos-chave:
  • O grafista precisa ter duas características: flexibilidade para mudar de opinião e consciência dos seus limites
  • É preciso ficar atento ao mercado e saber a hora de sair de um papel

Já falamos por aqui sobre o que é e para que serve a análise gráfica, também chamada de análise técnica. O estudo do movimento dos preços é muito usado por investidores que querem prever tendências para fazer as melhores escolhas. Qualquer investidor pode fazer uso dos gráficos para tomar uma decisão em relação a comprar ou vender uma ação. Por outro lado, alguns podem não se identificar ou não ter o perfil para se dar bem com a metodologia. 

“O investidor que pensa em usar a análise gráfica precisa ter duas características: flexibilidade para mudar de opinião rapidamente e consciência dos seus limites. O mercado é muito volátil, e o investidor tem que estar pronto para correr riscos”, explica Fabio Perina, estrategista de investimentos do Itaú BBA. A primeira dica, portanto, é saber se a análise gráfica é ou não para você.

É preciso também estar atento ao mercado e entender a hora de sair de um papel, de zerar posição, como se diz no jargão do mercado acionário. “A análise gráfica te exige usar o stop, que é uma maneira de você limitar suas perdas e reconhecer que aquela estratégia não foi tão bem sucedida. Ou seja, o investidor precisa ter essa percepção clara”, ressalta Fabio. O stop loss, ou parar a perda, é basicamente uma ordem que pode ser programada pelo investidor quando um ativo atingir determinado valor.

Por onde começar

Se você está pensando em começar a investir pela análise gráfica, Fabio dá a segunda dica: “Para iniciantes, é mais fácil operar tendências, como a média móvel. É importante ir a favor da tendência e do que o mercado está pensando, qual racional ele está usando. Se o mercado está otimista, pode ser um bom momento para comprar. Se está pessimista, é preciso ter cautela”, ressalta. 

O terceiro conselho do especialista é sobre o tempo das operações. É mais fácil começar a investir usando um gráfico semanal, quinzenal ou até mensal. A visualização do caminho que a ação está tomando fica um pouco mais evidente. “Evite usar o gráfico intraday, ou seja, o diário. Dessa forma, você pode assimilar melhor as informações e começar aos poucos”, explica Fabio.

Leia a seguir

Leia a seguir