Investir em imóveis ou aplicar em renda fixa: o que rende mais?

Especialista fez todas as contas e você vai se surpreender. Mas atenção: leve sempre em conta seu perfil de risco

Você já parou para pensar no que rende mais: investir em imóveis ou viver dos juros da renda fixa?

Nesta entrevista a Inteligência Financeira, Paulo Carneiro, responsável por Produtos Imobiliários e Alternativos do Andbank no Brasil, explica tintim por tintim por que uma alternativa é bem mais rentável que a outra.

É melhor investir em imóveis ou aplicar em renda fixa?

Os juros (CDI) médios dos últimos 10 anos ficaram em torno de 9% ao ano, enquanto a remuneração anual de um imóvel residencial alugado gira em torno de 5%.

Então, em números, o que posso dizer é que a renda fixa entrega um retorno maior do que o aluguel de um apartamento, por exemplo.

Isso não significa que essa seja a melhor alternativa para todo investidor porque isso depende do perfil de cada um.

Por exemplo: há investidores que não suportam pensar em renda fixa e querem – a qualquer preço – ter imóveis.

Então, não podemos dizer que a opção mais rentável seja necessariamente a melhor escolha para eles.

Qual é o cálculo para saber o que rende mais?

Um leitor da IF perguntou se valia mais a pena vender um imóvel por R$ 350 mil ou deixar alugado por R$ 1 mil.

Vamos usar esses dados para fazer a simulação, considerando que esse seja o valor líquido da venda.  

Eu divido o valor do aluguel (R$ 1 mil) pelo valor do imóvel (R$ 350 mil). O resultado é 0,002857.

Portanto, alugado, ele rende 0,286% ao mês (0,002857 x 100).

Estamos falando, então, de um retorno de 3,42% ao ano (0,286% x 12).

Leia a seguir

Leia a seguir

Quando você compara esse retorno com uma Selic que hoje está em 13,75% e, na média dos anos anteriores, fica em 9%, não há dúvidas.

Portanto, a renda fixa é mais rentável.

Se ele resolver aplicar o valor do imóvel, quais são os melhores investimentos?

Produtos bancários como LCI e LCA isentos de Imposto de Renda – de bancos de primeira linha com risco de credito baixo – são as melhores opções para este montante.

Isso partindo do princípio de que o investidor tem perfil de risco conservador e considerando o elevado nível de juros médios e atuais.

Então, todo investidor deve optar por bancos de primeira linha?

Novamente, depende do perfil.

Mas, se for o caso de arriscar, optando por produtos bancários como CDBs de bancos com maior risco de crédito que remuneram melhor o investimento, sugiro ficar atento para que o montante investido esteja enquadrado no Fundo Garantidor de Créditos de R$ 250 mil por emissor.

Investir em imóveis vale a pena em alguma situação?

Investir em imóvel pode valer a pena em cenários de juros muito baixos e em momentos oportunos, como quando o imóvel está com preço muito descontado em regiões muito valorizadas.

Nessa situação, você pode capturar uma valorização patrimonial porque imóvel é localização, localização e localização.

Como começar a investir em imóveis para alugar?

Eu digo que a comparação primordial é entre o retorno do aluguel e o retorno do CDI.

Fazendo esse cálculo, o investidor pode chegar à conclusão de que o custo de oportunidade de um está melhor que o outro.

É preciso tomar algum cuidado especial?

Sim, quando uma pessoa decide comprar um apartamento para alugar, ela deve observar o valor final que o potencial inquilino terá de desembolsar.

Isso inclui IPTU e condomínio, por exemplo.

Não custa alertar que condomínios muito caros refutam inquilinos e podem forçar o proprietário a praticar um preço de aluguel abaixo do mercado.

Além disso, também vale considerar que o imóvel pode ficar vazio por algum tempo e que precisa de reparos periódicos.

Vale mais a pena investir em imóveis através de fundos imobiliários?

Na minha visão, os fundos Imobiliários são mais eficientes porque permitem que o investidor ganhe exposição ao mercado imobiliário sem arcar com o ônus de ter que participar e cuidar desse ativo diretamente.