Cripto: após Fed afastar corte de juros em março, ativos oscilam sem direção única

Cenário induziu uma certa cautela entre ativos digitais, amplificadas pelas dúvidas em relação à saúde do sistema bancário dos EUA

As principais criptomoedas do mundo oscilaram sem um direção definida ao longo desta quinta-feira, diante de novas incertezas sobre o setor bancário dos Estados Unidos e perspectivas de que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) corte juros depois do primeiro trimestre.

Por volta das 17h30 (de Brasília), o bitcoin subia 0,21%, a US$ 43.102,12, enquanto o ethereum caía 0,33%, a US$ 2.302,44, de acordo com a a Binance.

Após a decisão de manter juros ontem, o presidente do Fed, Jerome Powell, praticamente descartou a possibilidade de o primeiro corte na taxa básica acontecer no próximo encontro, em março.

Diante disso, o mercado consolidou em maio a aposta majoritária para o começo do ciclo de relaxamento, conforme mostrou a plataforma do CME Group que monitora a curva futura. Analistas que previam uma redução em março também absorveram o comentário de Powell: o Barclays, por exemplo, mudou para maio a previsão para a primeira baixa.

O cenário induziu uma certa cautela entre ativos digitais, amplificadas pelas dúvidas em relação à saúde do sistema bancário dos EUA. As preocupações refletem principalmente o balanço do New York Community Bancorp, que amargou prejuízo no quarto trimestre por conta de perdas no mercado imobiliário comercial.

Apesar disso, o sentimento do mercado cripto não se deteriorou completamente porque Wall Street encontrou espaço para ganhos. A queda dos juros dos Treasuries ajudou as ações de tecnologia a subirem fortemente e os três principais índices acionários subiam entre 0,90% e 1,30% na reta final do pregão.

Com informações do Estadão Conteúdo