Na volta ao Brasil, Lula inicia maratona de anúncios para melhorar imagem

Presidente terá agenda no Nordeste e anunciará reajuste na tabela do Imposto de Renda

Lula volta da viagem aos Estados Unidos disposto a mostrar que o governo começou e deixou para trás os atos golpistas de 8 de janeiro.

O presidente tem uma maratona de agendas populares, que incluem desde a visita de catadores de lixo ao Planalto até a retomada de programas sociais que foram vitrines de administrações anteriores do PT.

E a região escolhida para dar início a esse pacotão de bondades é o Nordeste, onde o petista teve seu melhor desempenho na eleição do ano passado.

Relançamento do Minha Casa Minha Vida

Na Bahia, Lula vai relançar o Minha Casa Minha Vida, programa de habitações populares que ele mesmo lançou e foi modificado nos últimos anos.

Em seguida, vai a outros Estados para inaugurar obras e prometer outras, sempre mirando a infraestrutura.

Na economia, os anúncios positivos devem ficar para depois do Carnaval. Programa de renegociação de dívidas, reajuste da tabela do Imposto de Renda para quem ganha menos e um novo valor para o salário mínimo. Medidas que seriam anunciadas em maio, por ocasião do Dia do Trabalho, mas foram antecipadas porque o presidente tem se queixado da agenda negativa e da dificuldade de mostrar que o novo governo virou a página da crise institucional.

Em paralelo a esse movimento do Planalto para melhorar a imagem de Lula, a área econômica ainda cuida das sequelas do embate do presidente com o Banco Central.

E a revisão da meta de inflação, que pode ocorrer já ou mais tarde, está no centro das atenções, sobretudo porque Roberto Campos Neto, indicado para o cargo por Jair Bolsonaro, vai participar de uma série de programas de TV no transcorrer da semana e falar sobre as críticas de Lula à autonomia da instituição.

A tendência é de uma tentativa de armistício, sinalizando para um entendimento entre os responsáveis pela política fiscal e pela política monetária.