Morning call: bolsa opera observando votações em Brasília e de olho no Livro Bege do Fed

Ibovespa viveu ontem mais um dia de alta, com valorização de 0,64%

O morning call hoje começa mostrando que a bolsa de valores ontem viveu mais um dia de alta. O Ibovespa encerrou o pregão com elevação de 0,64%, a 126.528,32 pontos. E o dólar, por sua vez, caiu 0,57%, com a moeda norte-americana cotada a R$ 4,8719.

Espaço para cortes da Selic

O atual movimento positivo na bolsa brasileira, com a valorização do Ibovespa acima de 10% no mês, tem como um dos fundamentos a avaliação de que a taxa Selic deve seguir caindo ao longo de 2024. A consolidação do ciclo de redução dos juros tende a aumentar o apetite dos investidores por risco e é bom para o mercado de ações.

Isso mesmo depois de o IPCA-15 de novembro ter mostrado uma aceleração (0,33% ante 0,21% de outubro) e ficado acima do consenso dos agentes financeiros (0,30%). O comentário geral foi que a leitura das principais métricas, com núcleos abaixo do esperado, trouxe uma visão benigna dos dados da prévia da inflação.

“É possível observar, em prazos maiores, a dinâmica de desinflação buscada pelo Banco Central. Serviços subjacentes, os núcleos e o IPCA-15 recuaram na medida de 12 meses. Portanto, o resultado não altera a perspectiva para as próximas reuniões do Copom. O BC deve seguir o caminho planejado, com cortes de 0,50 ponto percentual por reunião”, considera Luca Mercadante, economista da Rio Bravo.

“Em nossa opinião, o IPCA-15 de novembro reforça a mensagem anterior: o processo de desinflação no Brasil está em curso. Continuamos a argumentar que, se não fosse o atual estresse nas taxas de juros dos EUA, o BC provavelmente teria espaço para acelerar o ritmo de cortes na taxa de juros”, avalia a XP em relatório.

Hoje tem vitória de Haddad?

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em discurso. Fotos: Diogo Zacarias/MF

Na cena política, a quarta é decisiva para o compromisso do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, de zerar o déficit fiscal em 2024. Está na pauta do plenário do Senado as votações da proposta que muda a taxação de fundos exclusivos e offshores e do projeto que regulamenta as apostas esportivas.

Ambas as medidas fazem parte do plano de Haddad de aumentar a arrecadação federal e assim conseguir fechar as contas no azul. Apenas com o ajuste na tributação dos fundos de alta renda, a estimativa é arrecadar R$ 13 bilhões no ano que vem. Já com a regularização das bets, o governo federal espera incrementar o caixa em R$ 700 milhões.

Outros destaques da agenda econômica

08h00: IGP-M/Inflação do aluguel de novembro (Ibre-FGV)
08h00: Sondagem de serviços de novembro (Ibre-FGV)
08h00: Sondagem do comércio de novembro (Ibre-FGV)
16h00: Livro Bege do Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA)

Bolsas de Nova York

Assim como ocorreu no Brasil, as bolsas de Nova York fecharam em alta na sessão de terça-feira. Na sessão, os índices foram impulsionados por perspectiva de relaxamento do aperto monetário pelo Federal Reserve.

Dessa forma, o índice Dow Jones encerrou o pregão em alta de 0,24%, a 35.416,98 pontos. O S&P 500 subiu 0,10% (4.554,89 pontos). Já o Nasdaq subiu 0,29% (14.281,76 pontos).

Bolsas asiáticas

Os mercados acionários da Ásia tiveram pregão em geral negativo, nesta quarta-feira (29). Na China, preocupações sobre o setor imobiliário voltaram a pesar, enquanto em Tóquio a força do iene pressionou ações de exportadoras japonesas.

A Bolsa de Xangai fechou em baixa de 0,55%, em 3.021,69 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, caiu 0,79%, a 1.977,05 pontos.

Sem uma recuperação consistente nas vendas, apoio financeiro pode dar apenas uma sustentação marginal às companhias imobiliárias da China, afirmaram analistas do Citi, em nota a clientes. Hoje, China Vanke caiu 2,5% e Poly Developments & Holdings, 1,8%, com Ping An Insurance em baixa de 2,2%. Já China Mobile esteve entre as altas, com avanço de 0,3%.

Na Bolsa de Tóquio, o índice Nikkei registrou queda de 0,26%, para 33.321,22 pontos. A força do iene prejudica ações de exportadoras japonesas, o que pressionou esses papéis. Entre ações hoje em foco, Seven & i Holdings caiu 3,8%, Kawasaki Kisen Kaisha teve baixa de 3,25% e Mizuho Financial Group, de 3,1%.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em baixa de 2,08%, em 16.993,44 pontos, com ações do setor de tecnologia sob pressão. Meituan caiu 12%, diante da projeção de perda de fôlego no crescimento nos meses finais desde ano, mesmo após balanço sólido relativo ao terceiro trimestre, enquanto Alibaba perdeu 2,2% e JD.com, 1,6%. Montadoras também caíram em Hong Kong, com BYD em baixa de 3,3% e Li Auto, de 3,4%.

Em Taiwan, o Taiex subiu 0,17%, a 17.370,56 pontos. O índice oscilou perto da estabilidade durante boa parte do dia, e chegou a exibir sinal negativo por um breve período.

Na Bolsa de Seul, o índice Kospi fechou em baixa de 0,08%, em 2.519,81 pontos. Ações ligadas ao setor de construção e ao de biotecnologia estiveram entre as quedas, mas com negócios contidos, diante de investidores à espera de decisão do BC da Coreia do Sul, nesta quinta-feira, quando o consenso do mercado é por manutenção dos juros. GS Engineering & Construction caiu 4,8% e Celltrion Inc., 2,0%.

Na Oceania, em Sydney o índice S&P/ASX 200 registrou alta de 0,29%, a 7.035,30 pontos. Leitura de inflação abaixo do previsto na Austrália para outubro deu ao mercado local impulso positivo, com ganhos em tecnologia e no setor de saúde, mas fraqueza em energia e entre papéis do setor financeiro.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo