Morning call: Mercado opera com cautela antes de decisões de juros no Brasil, nos EUA, na China e no Japão

No Brasil, a expectativa é que o Comitê de Política Monetária do Banco Central anuncie uma redução de 0,50 ponto percentual na taxa Selic , para 12,75%

Investidores locais e de outras partes do mundo estão na expectativa para a decisão de juros na Super Quarta (20). Portanto, o cenário é de cautela no morning call desta segunda-feira (18). Afinal, a data é marcada pelas definições dos bancos centrais do Brasil e dos EUA para a taxa básica de juros.

No Brasil, a expectativa é que o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anuncie uma redução de 0,50 ponto percentual na taxa Selic. Isto é, para 12,75%.

Nos EUA, as chances são de quase 100% de que o Fed mantenha seus juros básicos nos níveis atuais. É o que indica a ferramenta de monitoramento do CME Group.

Ainda nesta semana, os bancos centrais da China (PBoC) e do Japão (BoJ) também definirão juros. Enquanto a China passa por um momento de frágil recuperação econômica, o Japão poderá dar sinais de quando pretende começar a reverter sua política monetária ultra-acomodatícia.

O tom de cuidado já pode ser notado no morning call de hoje olhando para as bolsas europeias, que operam em baixa na manhã desta segunda-feira (18). A bolsa de Paris lidera as perdas após notícias que afetaram empresas locais.

No fim da semana, o regulador de mercado da França revelou que multou a Rallye, holding por trás do Casino (que no Brasil controla o Pão de Açúcar), pela divulgação de informações falsas ou enganosas sobre sua posição financeira.

Às 6h42 (de Brasília), a Bolsa de Londres recuava 0,37% e a de Frankfurt cedia 0,58%. Já as de Milão, Madri e Lisboa tinham perdas de 0,61%, 0,24% e 0,25%, respectivamente.

Calendário econômico da Segunda-Feira (18)

08h: IGP-10 (Ibre-FGV)

08h25: Boletim Focus (Banco Central)

Bolsas da Ásia fecham em baixa

As bolsas da Ásia fecharam majoritariamente em queda no morning call desta segunda-feira, demonstrando cautela em uma semana que trará anúncios de política monetária nos EUA, na China e no Japão.

O índice Hang Seng caiu 1,39% em Hong Kong, a 17.930,55 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi recuou 1,02% em Seul, a 2.574,72 pontos, e o Taiex registrou perda de 1,32% em Taiwan, a 16.698,24 pontos. Em Tóquio, não houve negócios hoje devido a um feriado nacional no Japão.

Na China continental, por outro lado, os mercados tiveram modesto desempenho positivo, apagando perdas da sessão anterior, quando foram divulgados indicadores mistos da segunda maior economia do mundo. O Xangai Composto subiu 0,26%, a 3.125,93 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto avançou 0,54%, a 1.921,48 pontos.

Mercado na sexta-feira (15)

Aqui e em Nova York, investidores evitaram tomar risco na última sessão da semana que antecede decisões sobre a Selic e a taxa de juros de referência dos EUA.

Assim, o Ibovespa permaneceu em faixa relativamente estreita, com mínima a 118.666,46 e máxima de 119.780,20, em variação de pouco mais de 1,1 mil pontos até o fechamento aos 118.757,53, em baixa de 0,53%.

O giro financeiro subiu a R$ 29,6 bilhões, em dia de vencimento de opções sobre ações. Em Nova York, as perdas ficaram entre 0,83% (Dow Jones) e 1,56% (Nasdaq) na sessão de sexta (15).

O dólar à vista encerrou o pregão de sexta em baixa de 0,03%, cotado a R$ 4,8712. Houve oscilação de pouco menos de dois centavos entre mínima (R$ 4,8599) e a máxima (R$ 4,8794). Termômetro do apetite por negócios, o contrato de dólar futuro para outubro movimento pouco mais de US$ 10 bilhões.

Com informações da Dow Jones Newswires