Mercado hoje: Ibovespa sobe e fecha a semana com alta de 2,70%; dólar cai 3,61% no período

Perspectiva de desidratação do texto da 'PEC de Transição' e desaceleração do aperto monetário americano ajudam mercado local na semana

O Ibovespa fechou em alta nesta sexta-feira. O principal índice da B3 se descolou do movimento mais negativo visto nos índices americanos, com ajuda do avanço da Petrobras e de empresas ligadas ao ciclo doméstico, com recuo nos juros futuros.

No exterior, o destaque foi para a divulgação de dados sobre o mercado de trabalho nos EUA acima do esperado, que jogam pressão sobre o Federal Reserve, BC americano, na condução de sua política monetária.

Na cena doméstica, a expectativa de que o texto da “PEC de Transição” seja desidratado gerou alívio para os ativos locais.

O Ibovespa subiu 0,90%, aos 111.924 pontos. Na semana, o índice avançou 2,70%.

Natura (NTCO3) é destaque entre as altas

Na liderança das maiores altas do Ibovespa, as ações da Natura &Co fecharam com salto de 10,15% nesta sexta-feira, cotadas a R$ 12,48, com volume financeiro de R$ 328 milhões. Na semana, o ativo acumula alta de 9%, e o movimento reflete a possível venda de fatia da Aesop.

“O mercado repercutiu bem uma possível venda da fatia da Natura na Aesop”, comenta Fabiano Vaz, sócio e analista de ações da Nord Research. “A Natura está com endividamento alto, bem alavancada, e a venda pode alterar um pouco esse cenário”.

Ele acrescenta que a marca vem crescendo e já representa uma fatia importante do lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado da Natura e 7% da receita líquida, o que ele avalia ser “interessante” para a empresa, que vem apresentando margens pressionadas.

Nos últimos meses, a companhia já tinha ventilado a possibilidade de uma possível cisão e oferta primária de ações (IPO) da Aesop. Apesar dos ganhos da última semana, a Natura &Co registra queda acumulada de 50,62% em 2022.

Dólar sobe e fecha a R$ 5,21, mas acumula queda de 3,61% na semana

O dólar fechou em alta nesta sexta-feira. O câmbio acompanhou o movimento visto no exterior, onde a moeda americana se valorizou contra outros pares do real.

O movimento foi influenciado pela divulgação de dados do mercado de trabalho nos EUA acima do esperado e que jogam pressão em cima do Federal Reserve, BC americano, no combate à inflação.

Na semana, contudo, a divisa teve queda. A expectativa de desidratação da “PEC de Transição” gerou algum alívio aos ativos domésticos, com recuo nas taxas de juros futuros.

O dólar subiu 0,36%, negociado a R$ 5,2152. Na semana, a divisa caiu 3,61%.

Minério de ferro

A expectativa de alívio das medidas de restrição para conter o avanço da covid-19 no país asiático, com consequente retomada da atividade, marcaram o melhor nível em três meses e meio no mercado à vista para o minério de ferro.

Na B3, Vale, CSN e Usiminas registravam importante alta.

Payroll

Conforme os dados divulgados nesta manhã, os EUA criaram 263 mil empregos em novembro, sinal de força no mercado de trabalho. A expectativa de alguns analistas era de uma geração de 200 mil postos. A taxa de desemprego continuou em 3,7%, repetindo o resultado do mês anterior.

O desempenho melhor do que o esperado pode reduzir as expectativas de que o Fed desacelere a alta de juros já na reunião de dezembro.

Conforme dados do CME Group com base nos futuros dos Fed Funds, as apostas em alta de meio ponto porcentual nos juros este mês – o que seria uma desaceleração – caíram para 69,9%, enquanto estavam em 77% pela manhã.

PEC da Transição

Há pouco, líder do PT na Câmara dos Deputados, Reginaldo Lopes (MG), disse que o ponto de maior divergência na PEC da transição hoje é o prazo.

Ele afirmou que o período de quatro anos pode ser reduzido.

Ele disse também que, apesar de a proposta do grupo de transição para a PEC ser de gastos de R$ 198 bilhões, um “piso” seria de R$ 150 bilhões. “É o mínimo do mínimo, o ideal seria R$ 175 bilhões”, disse ele em entrevista no centro de transição.

Commodities

Entre as commodities, o minério de ferro fechou em alta de 2,2%, aos 787,5 yuans (cerca de US$ 112) a tonelada, ainda impulsionado pela expectativa de flexibilização da política de “covid zero” na China. O petróleo Brent para janeiro avançava 0,44%, aos US$ 87,26 o barril, enquanto a União Europeia aguarda notícias da Polônia sobre um acordo para limitar as exportações do óleo russo a US$ 60 o barril.

Jogo do Brasil

No âmbito local, as atenções continuam voltadas para a PEC da transição e para eventuais nomes da equipe econômica do governo eleito. No período da tarde, a liquidez do pregão tende a ser reduzida em razão da partida do Brasil na Copa do Mundo.