Mercado hoje: Ibovespa fecha em alta depois de queda de braço ao longo do dia; dólar cai mais de 2%

Confira o desempenho das ações no dia seguinte ao pleito eleitoral

O Ibovespa tem um dia agitado nesta segunda-feira (21), com uma constante troca de sinais desde o início do pregão. Na pauta, a eleição presidencial, em que o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) derrotou o presidente Jair Bolsonaro (PL), e as expectativas relacionadas ao próximo governo.

Depois de abrir em queda, o Ibovespa subiu com um certo vigor e tem oscilado desde então. No fechamento, o índice registrou alta de 1,31%, a 116.037 pontos.

A vitória de Lula pesou negativamente sobre os papéis da Petrobras. Já outras ações, como as de construtoras e companhias de educação, foram beneficiadas pela eleição do petista.

Incorporadoras de baixa renda se destacam

Após a vitória de Lula nas eleições, no domingo (30), as incorporadoras de capital aberto que atuam no segmento de baixa renda, no programa Casa Verde e Amarela, começaram o dia com ações em alta. Em discursos durante a campanha eleitoral, Lula criticou o Casa Verde e Amarela e afirmou que traria de volta o Minha Casa, Minha Vida.

Durante o começo da tarde, a Tenda (TEND3) se destacava, com a maior alta do setor e ações cotadas a R$ 6,18, aumento de 4,75%. A segunda maior alta, até o momento, é da Plano&Plano (PLPL3), com ações cotadas a R$ 4,35, aumento de 4,32%.

No final do pregão, a Tenda fechou com valorização de 3,22%, e a Plano&Plano, com alta de 9,35%.

Lula tem a preferência dos estrangeiros

Para agentes de mercado, a virada da bolsa brasileira está relacionada à entrada de investidores estrangeiros, que têm uma visão mais positiva de Lula do que os locais.

“O estrangeiro tem preferência por Lula por ele ter uma agenda mais amigável do ponto de vista do meio ambiente”, disse Rogério Xavier, sócio-fundador da SPX Capital, que tem uma das suas bases em Londres.

Ele mencionou também pautas de igualdade de gênero, restrição ao uso de armas e a política externa de Lula como fatores positivos.

Neste mês, os não residentes já haviam aportado R$ 11,65 bilhões na B3, e o saldo anual era de R$ 81,74 até a última quinta-feira (27).

Merril Lynch, J.P. Morgan, Morgan Stanley e Goldman Sachs, que tradicionalmente proporcionam a entrada do investidor estrangeiro na bolsa local, registram forte atividade na sessão.

Petrobras

Na Bolsa brasileira, porém, a Petrobras sofreu grande queda devido a operações de especulação relacionadas à eleição.

Muitos especuladores montaram operações com opções de compra e de opções venda da estatal de petróleo para fazer apostas para o cenário eleitoral, esperando uma disparada em caso de vitória de Jair Bolsonaro (PL) ou de queda acentuada na hipótese de Lula vencer, segundo o Valor Investe.

No fechamento, as ações preferenciais (PETR4) registraram queda de 8,47%, e as ordinárias, 7,04%.

Ontem, em live, o chefe de pesquisa da Guide Investimentos, Fernando Siqueira, afirmou: “Na bolsa, esperamos um pouco de reversão do que aconteceu após o primeiro turno. O Ibovespa deve abrir em queda, e particularmente as estatais devem cair mais – em especial Petrobras e Banco do Brasil.”

Para investidores, há menos chances de privatização das companhias num governo do petista.

Sabesp

Entre as estatais, há possibilidade de alta para a ação da Sabesp após a eleição de Tarcísio de Freitas (Republicanos) para o governo de São Paulo – ele já se declarou mais aberto a privatizar a companhia – ontem mesmo, ele se disse interessado em estudar a privatização.

Analistas estão animados com o papel com o novo governador eleito de São Paulo.

A Ativa Investimentos elevou a recomendação das ações da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) de neutro para compra e reiterou o preço-alvo em R$ 72, potencial de alta de 27,7% sobre o fechamento da última sexta-feira.

Câmbio

Nesta segunda, o dólar fechou em forte queda, de 2,55% cotado a R$ 5,1654. Veja como a eleição de Lula impacta o câmbio no day after das eleições.

Varejo, construção e educação podem ter alta

Para a XP, empresas que podem ter desempenho positivo são as de setores como varejo, construção e educação, afirma o estrategista-chefe da gestora, Fernando Ferreira. Construção e educação tendem a receber mais investimentos estatais no governo Lula, enquanto o varejo pode se beneficiar de propostas como aumento real do salário mínimo e de mais auxílios sociais.

Além do resultado imediato, hoje e nos próximos dias o mercado também tende a monitorar a reação do presidente Bolsonaro e os nomes que irão compor a equipe de Lula.

Até agora, o presidente não se manifestou sobre o resultado eleitoral. Caso ele conteste o resultado, a incerteza e a volatilidade tendem a aumentar.

Mesmo assim, declarações aceitando os resultados de autoridades como o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Alexandre de Moraes, a presidente do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e o presidente da Câmara, Arthur Lira – um nome importante por ser próximo a Bolsonaro –, podem aliviar investidores.

Quanto a Lula, definições de seu ministério – em especial o da Economia – são aguardados ansiosamente.

Até agora, ele divulgou poucos detalhes de sua política econômica, e um nome para o ministério daria uma ideia melhor a investidores do rumo de seu governo.

Nos últimos dias, a possibilidade de o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles retornar ao posto animou o mercado, mas ainda não há confirmação nesse sentido.

Entre as commodities, o minério de ferro teve novo pregão de queda expressiva na bolsa de Dalian: 4,11%, aos 606,50 yuans (cerca de US$ 83) a tonelada. O petróleo Brent também trabalhava no campo negativo.

No noticiário corporativo, Cielo, CSN Mineração, PetroRio, RaiaDrogasil e outras apresentam resultado do terceiro trimestre hoje, após o fechamento do mercado.