Morning call: qual será a reação da bolsa após a decisão sobre a taxa Selic?

Copom indicou que manterá o ritmo de corte da Selic ao passo de 0,5 ponto porcentual

O morning call de hoje começa com uma pergunta: qual será a reação da bolsa após a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom)?

O Comitê indicou, após a reunião desta semana, que manterá o ritmo de corte da Selic ao passo de 0,5 ponto porcentual. O sinal apareceu em comunicado que acompanhou a decisão de reduzir a taxa básica de juros de 13,25% para 12,75% ao ano. A votação foi unânime.

O pregão de ontem foi de alta, embora a bolsa tenha perdido fôlego no final do pregão. No fim do dia, o Ibovespa marcou 0,72% de alta, aos 118.695 pontos.

Para além do mercado interno, a ver também como o mercado reagirá ao desempenho das bolsas asiáticas. Vamos acompanhar neste morning call o que ocorreu por lá a partir de agora.

Bolsas asiáticas

As bolsas asiáticas fecharam em baixa generalizada nesta quinta-feira, um dia após o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) manter seus juros, mas também sinalizar um novo aumento das taxas ainda este ano.

Liderando as perdas na região, o índice sul-coreano Kospi teve queda de 1,75% em Seul, a 2.514,97 pontos, enquanto o Hang Seng caiu 1,29% em Hong Kong, a 17.655,41 pontos, e o Taiex mostrou perda de 1,32% em Taiwan, a 16.316,67 pontos.

Bolsa em Tóquio

Em Tóquio, o Nikkei recuou 1,37%, a 32.571,03 pontos, à medida que o rendimento do bônus do governo japonês (JGB, pela sigla em inglês) de 10 anos aumentou 2,5 pontos-base a 0,745%, atingindo o maior nível desde setembro de 2013.

O Banco do Japão (BoJ) anuncia decisão de política monetária na madrugada desta sexta-feira, 22. Em julho, o presidente do BC japonês, Kazuo Ueda, disse que a instituição consideraria a hipótese de tomar medidas se o juro do JGB de 10 anos se aproximasse de 1%.

Bolsas na China

Na China continental, o Xangai Composto caiu 0,77%, a 3.084,70 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,83%, a 1.877,64 pontos, pressionados também por preocupações com a frágil recuperação da segunda maior economia do mundo.

Ontem, o Fed manteve seus juros principais na faixa de 5,25% a 5,50%, como era amplamente esperado, mas também indicou uma possível nova elevação das taxas antes do fim do ano. Além disso, o BC dos EUA avaliou que os juros americanos deverão ficar em patamares altos por mais tempo.

E na Oceania?

Na Oceania, a bolsa australiana seguiu o mau humor asiático, registrando a maior queda diária em mais de cinco semanas.

O S&P/ASX 200 caiu 1,37% em Sydney, a 7.065,20 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo