CVC (CVCB3) sobe quase 4% após pedido de registro para oferta de ações que pode movimentar cerca de R$ 700 milhões

Operadora de turismo pretende usar os recursos da operação para fortalecer o capital e recomprar dívida

A CVC (CVCB3) pediu nesta quinta-feira (15) registro para fazer uma oferta pública de ações que pode movimentar perto de R$ 700 milhões, com a operadora de turismo buscando recursos no mercado para fortalecer seu balanço, enquanto tenta se recuperar dos efeitos da pandemia combinados com uma crise interna.

Em documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa explicou que pretende vender um lote inicial de 83,3 milhões de ações. Considerando o valor de fechamento da ação na quarta-feira (14), R$ 4,10 cada, a transação somaria cerca de R$ 341,5 milhões.

Porém, a CVC acrescentou que pode dobrar o total de papéis vendidos, dependendo da demanda do mercado, o que levaria a operação para R$ 683,3 milhões.

Pelos termos da operação, cada duas ações compradas na oferta darão ao detentor o direito de receber um bônus para uma ação extra.

A coleta de intenções de investimento vai até a próxima quarta-feira, com a definição do preço por ação na oferta sendo definido no dia seguinte (22).

A CVC explicou que pretende usar R$ 75 milhões dos recursos captados na oferta para recomprar suas próprias debêntures no mercado. O restante vai para reforço do capital de giro e melhoria da estrutura de capital da companhia. A operação será coordenada por Citi e Itaú BBA.

No pregão desta quinta, as ações da companhia subiram 3,90% na B3, cotadas a R$ 4,26.

Os papéis ainda acumulam queda acima de 50% nos últimos 12 meses, em meio a uma sucessão de revezes que levaram a companhia a acumular prejuízos e culminaram na renúncia de Marcelo Kopel como CEO da companhia, no mês passado, semanas depois do diretor financeiro, Marcelo Kopel, também ter deixado o cargo.

A CVC agora é presidida por Fabio Godinho.