Analistas veem resultados do Nubank como fortes, com inadimplência abaixo do esperado

O Goldman Sachs avalia que o Nubank apresentou um conjunto forte de resultados no período, com o lucro líquido “bem acima das expectativas”.

Analistas avaliam os resultados no Nubank (NU) no terceiro trimestre, divulgados na segunda-feira após o fechamento do mercado, como positivos. Para eles, houve sólido crescimento das receitas e do crédito, enquanto a alta na inadimplência veio abaixo do que era esperado.

O Goldman Sachs avalia que o Nubank apresentou um conjunto forte de resultados no período, com o lucro líquido “bem acima das expectativas”. A fintech registrou lucro líquido contábil de US$ 7,8 milhões no terceiro trimeste e atingiu o ponto de equilíbrio entre receitas e despesas (“breakeven”).

De acordo com o Goldman Sachs, a companhia entregou crescimento sólido de receita e o avanço do crédito continua forte apesar da desaceleração nos empréstimos pessoais. Enquanto isso, as despesas estão sob controle.

“Acreditamos que os resultados devem dar ao mercado mais confiança de que a companhia pode executar sua estratégia apesar do ambiente macroeconômico desafiador’, diz o Goldman Sachs. O banco tem recomendação de compra para os papéis do Nubank.

O Credit Suisse vê os resultados como positivos para as ações. O banco destaca o sólido crescimento do crédito e depósitos e diz que a inadimplência cresceu menos do que o esperado e mostra deterioração menor do que a observada, em geral, no mercado de cartões de crédito.

No terceiro trimestre, a inadimplência na instituição ficou em 4,7%, de 4,1% no segundo trimestre. O Credit Suisse esperava uma alta de 83 bps. “Em nossa visão, os resultados reforçam a força do modelo de negócios do Nubank e devem ajudar a reduzir as preocupações do mercado em relação à qualidade dos ativos.”

O banco iniciou a cobertura das ações do Nubank na semana passada. No relatório divulgado agora, reafirma a recomendação de compra.

O Bank of America destaca que há pontos positivos e negativos no balanço. Por um lado, há fatores como a geração de receita sólida e os custos de captação que começam a refletir os benefícios da recente mudança promovida na remuneração dos depósitos.

Por outro lado, a originação de crédito pessoal desacelerou à luz da contínua deterioração na qualidade dos ativos, enquanto a administração observou que a visibilidade econômica continua baixa e que a lucratividade pode ficar sob pressão nos próximos trimestres na esteira da continuidade dos investimentos em novos produtos e em expansão na região. A recomendação é “neutra”.

Ontem, as ações do Nubank na bolsa de Nova York (Nyse) subiram 12,87%. Hoje, por volta das 14h10, caíam cerca de 2,34%.