Ações em alta: Vamos (VAMO3) salta quase 19% na semana com queda de juros futuros

Ações de varejistas como Magazine Luiza (MGLU3) e Pão de Açúcar (PCAR3) tiveram retornos de mais de 10% e dominaram bloco de altas

As ações da Vamos (VAMO3) saltaram quase 19% na semana, impulsionadas pela própria alta do Ibovespa, queda do dólar e baixa das taxas de juros futuros de curto e longo prazo.

Apoiadas por uma postura mais dócil do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em relação ao controle de gastos do governo federal e ao anúncio de medidas de corte de despesas para cumprimento do arcabouço fiscal, as ações de varejistas e outras sensíveis aos juros dominaram o bloco de ações em alta.

A valorização do papel da Vamos, por outro lado, ajudou a ação de sua holding, a Simpar (SIHM3). As ações da dona da concessionária de caminhões subiram 29% na semana.

Por outro lado, o setor de papel e celulose foi o que registrou as maiores quedas na bolsa de valores, liderado por desvalorização de 4% nas ações da Suzano (SUBZ3).

Ações em alta: PCAR3, MGLU3 e mais

Além da Vamos, as varejistas foram as mais beneficiadas pela alta de quase 2% no Ibovespa nesta semana. A bolsa de valores subiu 1,91% no agregado, positiva em todos os cinco pregões.

Também no agregado, o varejo alimentício teve como líder do bloco de ações em alta as ações do Pão de Açúcar (PCAR3). O ativo da rede varejista listado no Ibovespa subiu mais de 16% na bolsa, seguido pelas ações de Magazine Luiza (MGLU3) e Yduqs (YDUQ3).

“O Ibovespa de hoje perdeu fôlego pressionado pelas quedas de Vale e Petrobras, mas teve apoio na alta de ações sensíveis aos juros”, destaca Alexsandro Nishimura, economista da Nomos.

Essas ações mais sensíveis aos juros foram beneficiadas não apenas pela queda da curva futura aqui no Brasil. Nos Estados Unidos, uma indicação do presidente do Federal Reserve (banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, de que os cortes de juros poderiam estar próximos, aliviou a pressão dos Treasuries americanos.

Os yields dos títulos do Tesouro Americano de 10 anos foram de 4,48% para 4,28%.

A desvalorização do dólar na semana também levou as ações da Azul (AZUL4) a saltarem quase 12% no Ibovespa. A companhia tem a maioria das despesas em dólar, já que importa o combustível para aeronaves.

Top 10 ações em alta da semana no Ibovespa (01 a 05/07)

  1. Vamos ON (VAMO3): +18,89%
  2. Pão de Açúcar ON (PCAR3): +16,67%
  3. Magazine Luiza ON (MGLU3): +13,61%
  4. Yduqs ON (YDUQ3): +12,49%
  5. Carrefour Brasil ON (CRFB3): +12,42%
  6. PetroReconcavo ON (RECV3): +12,41%
  7. Azul PN (AZUL4): +11,99%
  8. Assaí ON (ASAI3): +10,74%
  9. Locaweb ON (LWSA3): +10,37%
  10. Sabesp ON (SBSP3): +9,48%

Ações em baixa: Suzano (SUZB3), JBS (JBS3) e mais exportadoras

Se a alta do dólar leva à valorização de ações de exportadoras, o movimento de alta no câmbio derrubou papéis de empresas como Suzano (SUZB3), JBS (JBSS3) e Petrobras (PETR4).

Na ponta oposta das ações em alta na semana, o papel da Suzano (SUZB3) caiu quase 4% no Ibovespa. Há uma semana, os ativos da empresa chegaram a subir 14% após a desistência de aquisição da IP.

Leia a seguir

Leia a seguir

No movimento desta sexta-feira, Nishimura avalia que houve uma “realização de lucros” por parte dos investidores na bolsa em geral.

As ações da JBS (JBSS3) lideraram perdas entre os frigoríficos. Duas empresas do setor, JBS e Marfrig (MRFG3) ficaram no saldo negativo na semana. Enquanto isso, BRF (BRFS3) e Minerva (BEEF3) terminaram a sexta-feira no campo positivo.

As ações preferenciais da Petrobras, por fim, figuraram entre as dez maiores baixas na semana. O papel sofreu impacto da depreciação do dólar, mas também entrou no radar dos investidores por supostas trocas de executivos.

De acordo com a colunista Malu Gaspar, de O Globo, a presidente Magda Chambriard estaria trocando antigos gerentes por funcionários mais próximos do PT e de sindicatos como a FUP (Federação Única dos Petroleiros).

Top 10 baixas do Ibovespa na semana (01 a 05/07)

  1. Suzano ON (SUZB3): -3,96%
  2. JBS ON (JBSS3): -3,32%
  3. IRB ON (IRBR3): -3,16%
  4. Totvs ON (TOTS3): -3,06%
  5. Klabin UNIT (KLBN11): -2,52%
  6. Gerdau PN (GGBR4): –2,07%
  7. Petrobras PN (PETR4): -1,39%
  8. Raia Drogasil ON (RADL3): -1,37%
  9. Santander UNIT (SANB11): -1,27%
  10. TIM S.A ON (TIMS3): -1,01%