Vencedores do BBB que perderam tudo: quais foram e como não cometer os mesmos erros

E aí, quando pintar uma grana extra, você já saberá o que fazer - e o que evitar

Vencedores do BBB ficam tão deslumbrados com a fama e com o dinheiro, que muitas vezes perdem tudo o que ganharam em um piscar de olhos. Duvida? Pois você vai ver o que aconteceu com alguns deles nas histórias que vamos relembrar logo abaixo.

“Tá, mas e eu com isso?”. Pode ser que você queira se candidatar ao Big Brother Brasil (BBB) do ano que vem e a produção do programa e o Boninho vão te fazer o convite. Você pode até aceitar e, quem sabe, ganhar.

Mas são muitas variáveis. Agora pense que você pode receber uma grana inesperada (por favor, Deus!). Nem precisa ser R$ 1,5 milhão. Podem ser R$ 5 mil ou R$ 50 mil, de um trabalho antigo que te pagou hoje ou da venda de um lote. Ou mesmo do FGTS. Não importa.

Importante é saber como pessoas que se tornaram milionárias, como os irmãos do BBB, ficaram pobres e NÃO repetir o mesmo erro.

Então, nossa dica é que você leia logo abaixo algumas dessas histórias e aproveite para ouvir as recomendações de especialistas para não repetir os mesmos erros – ainda que com menos dinheiro.

O cowboy que perdeu gado e fazendas

Rodrigo Leonel, o Cowboy, ganhou o BBB2
Conhecido como Cowboy, Rodrigo Leonel no BBB2 e hoje em dia, aos 51 anos – Fotos: Reprodução/TV Globo Instagram

Rodrigo Leonel, o ‘Cowboy’, vencedor da segunda edição do Big Brother Brasil, admitiu em uma entrevista que investiu o prêmio (R$ 500 mil, na época) em gado, aluguel de fazendas e em dois apartamentos que deu para as filhas.

Ele esperou apenas um mês para sacar o dinheiro do banco e pensar no que iria fazer. Em pouco tempo, perdeu tudo o que investiu.

Hoje, paga aluguel em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, treina cavalos e atua como corretor de imóveis.

Como não cometer o mesmo erro

Quem ganha uma bolada de uma vez, ou seja, um montante que pode realmente mudar o padrão de vida, precisa de tempo para organizar as ideias e se planejar financeiramente.

Quanto tempo? De acordo com Ariane Benedito, economista especialista em mercado de capitais, quem recebe uma grande quantidade de dinheiro de uma vez precisa de três a seis meses, no mínimo, para estruturar três pilares que ela considera fundamentais:

  1. Identificar seu novo padrão de vida;
  2. Criar um reserva de emergência;
  3. Definir o valor que sobra para ser utilizado.

Nesse período de organização, a dica de Ariane é aplicar o dinheiro em algo que tenha liquidez.

Carlos Castro, planejador financeiro com certificação CFP e sócio fundador da SuperRico – Projetos de Vida, concorda com ela. “Se você não sabe o que fazer com o dinheiro, o melhor é deixar tudo na reserva”, afirma.

A dica de Carlos, claro, é não deixar o dinheiro parado. Porque ele, inevitavelmente, será engolido pela inflação. “Renda fixa é uma boa alternativa para o curto prazo porque deve render pelo menos 5% acima da inflação”, afirma.

O dono de posto de gasolina que hoje vende cosméticos

Dhomini foi um dos vencedores do BBB. Nas imagens, o brother aparece no BBB3 versus atualmente - Fotos: Reprodução/TV Globo
Dhomini foi um dos vencedores do BBB. Nas imagens, o brother aparece no BBB3 versus atualmente – Fotos: Reprodução/TV Globo e Instagram

Dhomini Ferreira, vencedor do BBB3, também não fez um bom planejamento financeiro para o dinheiro que recebeu.

Sem pensar muito, investiu os R$ 500 mil em terrenos, imóveis e em um posto de gasolina, que não deu certo levou boa parte do prêmio.

Atualmente, o ex-BBB se define como “empresário de saúde e bem estar” e leva a vida vendendo cosméticos e dando palestras motivacionais.

Como não cometer o mesmo erro

O erro de Dhomini é bem semelhante ao do Cowboy. Ambos não tiveram aquele tempo necessário para organizar os sonhos e o novo padrão de vida.

“Por não ter ideia do que representa de fato aquele prêmio, a pessoa acha que a cifra não tem fim, que pode gastar para sempre, e acaba investindo de forma errada, comprando ativos que acabam gerando mais passivos”, alerta Carlos Castro.

“Há casos extremos, por exemplo, em que as pessoas compram um barco para mostrar status, mas o custo de manutenção é muito grande e não gera renda”, diz ele. “Ou seja, é mais um passivo que vai corroendo o valor do patrimônio”, alerta.       

A generosa que rapidamente acabou falida

Cida Santos também está entre os vencedores do BBB que perderam tudo
Antes e depois de Cida, que também está entre os vencedores do BBB que perderam tudo – Fotos: Reprodução/TV Globo e Instagram

Cida dos Santos, vencedora do BBB4, foi a primeira mulher a levar o prêmio de R$ 500 mil.

A ex-babá quis resolver a vida de muita gente, emprestou dinheiro a amigos e foi até fiadora de uma conhecida que não pagou a conta do imóvel. Para completar, ela teve de contratar advogado para se defender de um ex-marido que queria parte do dinheiro que ela ganhou no BBB.

Resultado: rapidamente Cida perdeu tudo o que ganhou.

Como não cometer o mesmo erro

Respire fundo e organize os seus sonhos. A dica de Ariane é que a pessoa mantenha seu antigo padrão de vida por um ano, pelo menos, e vá fazendo uma migração de hábitos aos poucos.

“A ideia é ficar na sua velha realidade enquanto o dinheiro aplicado vai trabalhar para você”, diz ela. “Este é o cenário perfeito, que diminui as chances de cometer um erro grande em 12 meses”, alerta.

Isso porque, ela explica, depois de ano, é provável que a euforia da transição de vida já tenha passado, que a pessoa esteja menos emocionada e pensando com mais clareza. Ou seja, menos suscetível também a pedidos de amigos e familiares.

O ex-BBB que trocou o sonho por um pesadelo de dívidas

Max Porto, dentre os vencedores do BBB, perdeu tudo
Max Porto venceu o BBB9 (foto à esquerda), mas também perdeu tudo; à direita, registro atual – Fotos: Reprodução/TV Globo e Instagram

O vencedor do BBB9 foi Max Porto, que já confessou que não sobrou nada daquele do valor de R$ 1 milhão que recebeu. Ele disse que tinha muitos sonhos e quis realizá-los.

“O prêmio para mim foi um vale-sonho. De lá para cá, me endividei bem. Hoje tenho dívidas milionárias”, disse em uma entrevista, em 2019.

Como não cometer o mesmo erro

Para não transformar o sonho de ser milionário no pesadelo de acumular dívidas milionárias, a recomendação é fazer uma lista dos seus principais sonhos e calcular quanto custa cada um.

“O que ele quer? Comprar carro, viajar, comprar casa? Precisa calcular o custo de tudo isso e decidir se é melhor financiar e pagar com juros do dinheiro investido ou pagar à vida com desconto que vale a pena, por exemplo”, alerta.

“É preciso ter clareza do quanto vai custar o padrão de vida novo, quais são seus objetos de desejo e entender que é preciso investir parte do prêmio para custar tudo isso”, ressalta Ariane.

A influencer que acha que dinheiro é para gastar (e gastou tudo)

Paula von Sperling, do BBB19, pode não ter mudado tanto fisicamente em quatro anos; mas o mesmo não pode se dizer do bolso, pois gastou todo o prêmio - Fotos: Reprodução/TV Globo e Instagram
Paula von Sperling pode não ter mudado tanto fisicamente em quatro anos; mas o mesmo não pode se dizer do bolso, pois gastou todo o prêmio – Fotos: Reprodução/TV Globo e Instagram

Paula von Sperling, vencedora do BBB19, disse nas redes sociais que gastou seu prêmio de R$ 1,5 milhão inteirinho em menos de um ano.

“Espero que os sites de fofoca não vejam isso, mas já gastei. Dinheiro é pra quê?”, disse a ex-BBB, que continua ostentando uma vida de luxo e viagens no Instagram.  

Como não cometer o mesmo erro

Roberto Chaves, head de riscos da Nexoos, tem duas dicas fundamentais.

A primeira é tomar cuidado com gastos supérfluos, que podem minar todo o dinheiro antes que a pessoa se dê conta. “É fundamental saber o que fazer com o prêmio e organizá-lo”, afirma.

Outra dica é a de aproveitar o auge da fama para maximizar a renda, fazendo campanhas publicitárias, sem precisar mexer no dinheiro recebido.

“A recomendação é aproveitar o momento para ampliar receitas com redes sociais, campanhas publicitárias e parcerias, otimizando o montante recebido”, diz ele.

E ainda alerta: “Pode não parecer, mas o valor de R$ 1,5 milhão pode evaporar muito rápido em caso de descontrole com carros, festas e viagens”.

Como evitar? “Faça uma boa gestão de carreira, amplie fortemente as receitas e não mexa no prêmio a não ser que tenha dívidas anteriores que sejam mais onerosas que os rendimentos”, recomenda.

Como administrar seu dinheiro com inteligência?

Ainda que você não esteja planejando participar do Big Brother Brasil, é sempre interessante imaginar o que você faria com o prêmio de pelo menos R$ 1,5 milhão que o ganhador desta 23ª edição deve levar neste ano.

Além disso, pode pingar na sua conta uma grana extra, que você não estava contando, vinda de alguma fonte inesperada. Pode ser uma herança, um trabalho feito há meses que só te pagou agora, a venda de um bem, enfim. Nem precisa ser de R$ 1,5 milhão.

Para que você não repita os erros de ex-vencedores do reality show, confira estas dicas rápidas de Carlos Castro, planejador financeiro com certificação CFP e sócio fundador da SuperRico – Projetos de Vida, para administrar esse montante quando ele aparecer na sua conta.

  • Organize seus objetivos em curto, médio e longo prazo. Pense no que você quer fazer nos períodos de até 2 anos, até 5 anos e acima de 5 anos. Depois de fazer a lista (comprar carro, viajar, comprar casa), calcule quanto custa cada objetivo. “Esse cálculo ajuda a entender quanto o dinheiro extra representa e o que é possível fazer com ele”, afirma.  
  • Entenda o seu perfil de investidor. Saiba se você tem perfil de investidor conservador, moderado ou agressivo para saber quais são os investimentos mais adequados para você. Se você não conhece seu perfil, faça o nosso teste e descubra agora mesmo.            
  • Divida o valor a ser investido de acordo com seus objetivos

O que fazer com o dinheiro extra?

Agora é hora de dividir o dinheiro de acordo com seus objetivos de curto, médio e longo prazo, respeitando o seu perfil de investidor.

“Para seus objetivos de curto prazo, o ideal é investir em aplicações mais conservadoras, como a renda fixa, que oferece liquidez”, afirma.

Para a cesta do longo prazo, para quem esteja se planejando para viver de renda, por exemplo, Carlos Castro afirma que podem ser interessantes fundos imobiliários, títulos do tesouro ligados ao IPCA e previdência privada.

“No médio prazo, a ideia é fazer a diversificação, buscando mais rentabilidade”, explica. “E para saber quanto vai em cada cesta, você precisa respeitar seu perfil”, ressalta.