Entretenimento é o novo aliado da educação financeira no Brasil

União entre entretenimento e finanças busca expandir educação financeira para novos públicos

Falar da educação financeira continua sendo um desafio, apesar do aumento do interesse da população pelo assunto: parece que todos já entendem o quanto lidar com as finanças é importante, mas ainda acham isso bem complicado.

Por isso, alternativas surgem para auxiliar nessa disseminação de conhecimento. Uma delas é o entretenimento.

Para Vera Rita de Mello Ferreira, presidente da Iarep – sigla em inglês para Associação Internacional de Pesquisa em Psicologia Econômica – a utilização do entretenimento atrai novos públicos, já que ele contorna alguns desafios como a falta de interesse no assunto.

“Quando a educação financeira se apresenta dessa forma, ela dribla a falta de vontade e de interesse em aprender o tema, e quando a pessoa vê já está envolvida”, afirma ela.

A especialista em psicologia econômica ainda ressalta que músicas e jogos podem ajudar no aprendizado, pois fixam melhor o conteúdo na memória. Ela ainda diz que o método tem potencial de atingir novas pessoas já que se compartilhado pode gerar discussões e troca de experiência.

Música e jogos a favor das finanças

Misturar entretenimento e investimentos é a aposta da Órama, que lançou um novo projeto, o Órama Records, onde usa a música para ajudar as pessoas a se lembrarem de conceitos e do papel de alguns produtos do mercado financeiro nas suas vidas. 

O novo projeto lançado no TikTok da plataforma, começa com o hit “Dragões da Emergência”, que mostra a importância de estar preparado para imprevistos e ensina quanto seria o montante ideal que se deve guardar para uma reserva de emergência.

Outra música traz as vantagens e o papel do Tesouro Direto no hip hop “Papo Reto”, e os Fundos Imobiliários, são explicados no samba “O Apê deu Ruim”. A ação da Órama é uma parceria com a Moodbrothers e conta com composição de Dom Jardim.

“O entretenimento é o melhor meio para passar conhecimento. Se você está se divertindo, você dedica mais tempo e mais atenção ao assunto, se divide com outras pessoas e repete a experiência”, afirma Dedé Eyer, CMIO da Órama. 

Aprender a investir jogando

Em parceria com a B3, a Órama também lançou recentemente o projeto “Altos e Baixos”, disponível na Órama TV no YouTube.

A proposta é ensinar sobre investimentos através de um jogo, onde quatro personagens escolhem entre 5 caminhos possíveis de investimentos: BolsaCriptomoedasFundos de InvestimentoTítulos de Renda Fixa e Poupança. A cada rodada os jogadores vivenciam questões relativas às características do caminho escolhido. 

A volatilidade de Cripto, a falta de rentabilidade da poupança, as várias possibilidades (além das ações) da bolsa ou as vantagens das gestões ativas dos fundos, por exemplo, são algumas das aprendizagens.

Explicações extras e observações são feitas por Gilvan Bueno, sócio e gerente educacional, e Phil Soares, chefe de análise de ações.

“A ideia é inspirada nos tradicionais jogos de tabuleiro. Pensamos em desenvolver algo parecido, mas com foco nas temáticas do mercado financeiro. O intuito é unir pessoas com diferentes níveis de conhecimento sobre investimentos, inclusive pais e filhos”, conta Bruno Almeida, gerente de criação da Órama. 

O projeto já alcançou cerca de 6 milhões de pessoas, em mais de 264 mil horas assistidas no canal.

Leia a seguir

Leia a seguir