IF HOJE: Guerra entre Rússia e Ucrânia leva petróleo a encostar em US$ 139

O conflito na Europa tem impactado o preço das commodities

O presidente russo Vladimir Putin em Moscou (Foto: Sputnik/Alexey Nikolsky/Kremlin via REUTERS)

Os Estados Unidos estão discutindo com seus aliados europeus a ideia de proibir a compra de petróleo russo como mais uma sanção econômica imposta ao governo de Vladimir Putin a fim de pressionar pelo fim da guerra na Ucrânia. A notícia levou o petróleo tipo Brent, que é referência no mercado internacional (e para a Petrobras) a encostar em US$ 139 o barril durante a noite. No início da manhã no Brasil, subia 6,2%, para US$ 125,48.

O preço tão alto do combustível vai pressionar a inflação mundial que já vinha alta por causa da pandemia de Covid-19. As Bolsas asiáticas terminaram o pregão desta segunda-feira (7) em baixa, e as europeias também sofrem quedas de mais de 2%. Os índices futuros de Wall Street apontam para um dia negativo.

Por que importa?

O conflito na Europa tem impactado o preço das commodities e aumentado o fluxo de dólares destinado a investimentos em emergentes para o Brasil em detrimento da Rússia. Caso a disputa se intensifique e prolongue, os efeitos na inflação serão piores do que o esperado e, ao mesmo tempo, a economia global deve crescer menos.

Como afeta seus investimentos?

Com uma inflação mais forte, o mercado espera juros maiores, o que beneficia investimentos de renda fixa pós-fixados.

Fique por dentro:

PIB de 2021 melhor do que o esperado gera revisões para 2022

Os dados do PIB (Produto Interno Bruto) de 2021, que cresceu acima do esperado (4,6%), levam a revisões nas previsões de economistas. “Prevíamos um carrego estatístico negativo de 0,1% e agora está em 0,3% positivo. Com isso, há risco de melhorarmos nossa projeção para o PIB deste ano, de queda de 0,5% da economia”, disse Luka Barbosa, economista do Itaú Unibanco.

Novas sanções à Rússia

Os países do G7 se comprometeram a aplicar novas sanções à Rússia por causa da invasão da Ucrânia e exigiram que Moscou interrompa a ofensiva militar contra o vizinho. Eles também prometeram punir os responsáveis por crimes de guerra durante o conflito. Em comunicado, os chanceleres das maiores economias do mundo condenaram os ataques realizados pela Rússia contra civis e também exigiram que Moscou deixe de realizar operações perto das usinas nucleares da Ucrânia, como a ocorrida durante a madrugada de hoje em Zaporizhzhia, o maior complexo nuclear da Europa.

Para acompanhar hoje:

  • 08h25: Boletim Focus
  • 10h: PMI Composto e de serviços do Brasil em fevereiro, segundo a consultoria Markit

(Com Valor Econômico)


Você também pode gostar
Redação IF Atualizado em 23.jun.2022 às 16h27
Carteira recomendada Itaú: sai Banco do Brasil entra Bradesco

Banco faz parte das recomendações de duas carteiras: Top 5 e a de Dividendos

Redação IF Publicado em 23.jun.2022 às 15h01
O que a crise do Lehman Brothers tem a ver com o risco de faltar gás na Europa?

Parte do continente declarou 'emergência inicial' com as ameaças da Rússia de cortar o fornecimento do produto

Manhã Inteligente Atualizado em 30.jun.2022 às 12h12 Duração 15 min.
Momento crucial para moedas digitais, americanos seguem pressionados e Luva de Pedreiro movimenta conversas entre brasileiros no Twitter

Manhã Inteligente de quinta, 23, está disponível sob demanda por aqui na IF, LinkedIn e YouTube. Bora pro play?

Valor Econômico Publicado em 22.jun.2022 às 11h14
Europa deve se preparar para a interrupção total do fornecimento de gás russo

O alerta foi feito por Fatih Birol, chefe da Agência Internacional de Energia

Redação IF Publicado em 17.jun.2022 às 16h15
Compra de dólar e euro em espécie no Itaú cresce 900% em 2022

Aumento é relativo aos primeiros cinco meses do ano, em relação ao mesmo período de 2021

Redação IF Publicado em 16.jun.2022 às 13h02
Sem o gás russo, fábricas começam a fechar na Europa

Custos da energia para o setor industrial estão disparando na Europa, na esteira da guerra da Rússia na Ucrânia

Valor Econômico Publicado em 10.jun.2022 às 20h00
Ucrânia vai acelerar a separação EUA-China?

Guerra na Ucrânia expôs a dependência da Europa em relação à energia importada da Rússia. E parece estar fazendo os EUA atentarem mais às sua dependência em relação à China?