Inflação em queda: como isso afeta seus investimentos de renda fixa?

Sim, você pode ganhar dinheiro com essa virada de cenário; saiba qual estratégia usar

Você já se perguntou qual é o impacto da inflação mais baixa no preço dos ativos de renda fixa? Se você tem esse tipo de aplicação ou se pensa em aumentar a participação deles em sua carteira, é bem possível que já tenha se deparado com essa dúvida. Então, falamos com especialistas para esclarecer melhor este ponto.

Como a queda da inflação impacta o preço dos ativos de renda fixa

Paloma Lopes, economista da Valor Investimentos, desvenda o mistério. “Em geral, a queda da inflação costuma ser positiva para o preço dos ativos de renda fixa”, acredita.

Isso porque, ela explica, como a queda da inflação gera uma queda na taxa de juros, os títulos prefixados e os que estão atrelados à inflação acabam sendo valorizados.

“No momento da queda dos juros, as pessoas acabam saindo dos títulos pós-fixados para os prefixados atrelados à inflação, que têm uma tendência de valorização”, afirma.

Apenas para lembrar, os títulos prefixados têm a taxa de juros definida no ato da aplicação. Os atrelados à inflação, por sua vez, têm parte da taxa de juros também definida no ato da aplicação e outra parte atrelada ao IPCA, por exemplo.

Christopher Galvão, analista de Renda Fixa da Nord Research, segue o mesmo raciocínio. Na opinião dele, a queda da inflação e a redução dos juros são ótimas notícias para quem investiu nesses títulos no início do ano.

“De lá para cá é possível encontrar CRAs e CRIs de emissores seguros pagando inflação +7% ou 8%”, diz ele. “Agora está cada vez mais difícil encontrar boas companhias que pagam essas taxas”, avalia.

Ou seja, quem investiu nesses ativos provavelmente tenha tido um bom ganho na marcação a mercado nesses últimos meses.

E quem ainda não investiu? Bem… “Ainda há boas oportunidades em IPCA+ por meio de crédito privado corporativo, mas, claro, a quantidade já é menor”, afirma Christopher.

Ainda é possível ganhar com juros de renda fixa no Brasil?

Paloma não tem dúvidas que exista espaço para ganhar com os rendimentos da renda fixa. Ainda que a queda das taxas tenha como consequência rentabilidades mais baixas. “Mesmo com a redução, temos ainda uma taxa de juros muito elevada”, justifica.

Christopher concorda. “A queda da Selic deve continuar resultando em rentabilidades mais baixas para os pós-fixados nos próximos trimestres”, acredita. “Ainda assim, vejo esse indexador com bons olhos porque a Selic deve seguir em patamares elevados mesmo com as quedas que devem vir”, avalia.

Para ele, aliás, a Selic é um indexador que permite ter uma carteira mais líquida, principalmente por meio dos ativos pós-fixados de liquidez diária. “Eles permitem a criação de uma reserva de oportunidade que é importante neste momento para viabilizar movimentações ao longo do caminho”, diz ele. “Afinal, outras oportunidades devem surgir no mercado.”