Quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil (BBAS3)?

Confira os cálculos dos especialistas para o retorno financeiro em diferentes períodos da instituição que pretende pagar mais de R$ 3 bilhões em proventos só neste mês de junho

Recentemente, o Banco do Brasil (BBAS3) anunciou o pagamento de proventos aos seus acionistas. O valor total chamou a atenção dos investidores: R$ 3.779.728.007,32. Desse montante, mais de R$ 940 mil são dividendos e mais de R$ 1,673 bilhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP), que serão pagos dia 21 de junho, uma sexta-feira. Já uma semana depois, no dia 28 de junho, a instituição irá pagar mais de R$1,165 bilhões também em JCP.

Diante disso, muitas pessoas ficam curiosas em saber qual seria o retorno financeiro ao investirem os dividendos. Por isso, com a ajuda de especialistas, a Inteligência Financeira traz os cálculos de quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil.

O que são dividendos?

Mas antes, claro, a gente explica para você, meu querido leitor e minha querida leitora, um pouco sobre o mundo do pagamento de proventos feito pelas empresas de capital aberto. Portanto, vale saber que os dividendos são um percentual do lucro líquido que a empresa distribui a seus acionistas.

“Então, ao comprar uma ação, o investidor está comprando um pedacinho da empresa. Que passa a ser sua propriedade. O racional é esperar que essa companhia gere lucros e que distribua parte desses lucros como dividendos”, esclarece Vicente Guimarães, CEO da VG Research.

Desse modo, os dividendos são pagos proporcionalmente à quantidade de ações que cada acionista possui. “Por meio dos dividendos, que hoje são isentos de Imposto de Renda para pessoas físicas, os investidores podem sentir qual o ‘termômetro’ da empresa. Afinal de contas, a capacidade de uma empresa de pagar dividendos consistentemente pode ser um forte indicativo de sua saúde financeira e de sua capacidade de gerar valor para os acionistas ao longo do tempo”, analisa Lucas Ghilardi, especialista em mercado de capitais e sócio da The Hill Capital.

Como os dividendos são calculados

Viu só que investir em empresas que pagam proventos pode ser uma alternativa interessante, certo? Até por isso gera uma curiosidade em saber quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil (BBAS3), por exemplo. Mas claro que antes de incorporar esse tipo de produto à carteira de investimentos é preciso analisar o seu perfil de risco e objetivos.

E também conhecer um pouco mais sobre como funciona o cálculo para determinar os valores dos proventos.  

De acordo com Ghilardi, o dividendo por ação é determinado com base no lucro líquido gerado pela empresa e no número de ações em circulação. “E os dividendos são distribuídos conforme um cronograma que garante que apenas os acionistas registrados em determinadas datas recebam os pagamentos”, afirma.

A empresa, portanto, decide quanto do lucro líquido será distribuído aos acionistas como dividendos. Esse percentual pode variar, e é chamado de payout ratio. “Por exemplo, se a empresa decide distribuir 50% do lucro líquido como dividendos e o lucro líquido é de R$ 10 milhões, o total distribuído em dividendos será R$ 5 milhões”, calcula o especialista.

E o melhor indicador para saber se uma empresa paga bons dividendos é o dividend yield ou yield. “Ele mostra uma relação entre os proventos (dividendos e JCP) pagos nos últimos 12 meses e o preço da ação. Em outras palavras, um yield de 10% significa que quem investiu R$ 100 em uma ação X, ganhou R$ 10 em dividendos nos últimos 12 meses”, ensina Vicente Guimarães.

Como os dividendos são distribuídos?

Cada empresa possui uma política de dividendos diferente. Algumas pagam os proventos mensalmente, outras a cada trimestre, semestre e até anualmente. Os dividendos do Banco do Brasil (BBAS3), por exemplo, são pagos a cada 3 meses. “E em todos os casos, o pagamento cai direto na conta do investidor em sua corretora”, fala Guimarães.

Benefícios de investir com foco em dividendos

Bem, então agora que você já conhece um pouco sobre como funciona o pagamento de proventos das empresas de capital aberto, é importante ficar de olho no lado positivo e no lado negativo de investir em ações.

Leia a seguir

Leia a seguir

Por isso, antes de saber quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil (BBAS3), confira só os benefícios desse tipo de investimento.

  • Mais segurança: empresas que pagam dividendos são lucrativas e rentáveis. Por isso, claro, que distribuem esses proventos. “São companhias sólidas e estáveis. Raramente uma empresa de dividendos vai gerar grandes prejuízos ao seu investido, como sofrer com problemas de mercado, passar a ter prejuízos ou chegar à falência (recuperação judicial)”, afirma Guimarães;
  • Menor volatilidade: as ações de dividendos tendem sim a ter volatilidade (movimentos de alta e queda nos preços). Mas, no geral, as flutuações de preços são menores;
  • Maior resiliência: empresas que pagam dividendos geralmente estão em setores resilientes (bancos, seguros, energia, saneamento). “São companhias que dificilmente sofrem impacto de crises ou ciclos econômicos. Ou seja, mesmo em momento críticos elas mantém suas receitas e lucros e, por consequência, seus dividendos”, diz o CEO da VG Research.
  • Maior tranquilidade: ainda de acordo com o especialista, o investidor que acompanha o movimento de preços e a valorização da carteira está constantemente preocupado e com medo. “Por outro lado, o investidor que acompanha o crescimento dos seus dividendos ano a ano sempre verá seus dividendos crescendo (muitas vezes dobrando de ano a ano). O desempenho dos dividendos geralmente é crescente, estável e previsível ao contrário do movimento dos preços das ações”, acredita.

Riscos do investimento

E como já dissemos, investir em dividendos, sejam do Banco do Brasil (BBAS3) ou de qualquer outra empresa, possui seu lado não tão positivo. Veja só.

  • Problemas na empresa: “os principais riscos de se investir com foco em dividendos estão atrelados a fatores que são difíceis de prever com exatidão. Empresas podem reduzir ou suspender dividendos em períodos de dificuldades financeiras, impactando a renda esperada dos investidores”, argumenta Lucas Ghilardi;
  • Mudanças em políticas de dividendos: as empresas podem fazer alterações na forma de pagamento dos proventos. E isso, claro, pode trazer prejuízos aos acionistas;
  • Altas taxas de juros e inflação: esses dois fatores podem diminuir o valor real dos dividendos. “E assim, tornar as ações menos atraentes em comparação com outros investimentos de renda fixa”, analisa o especialista em mercado de capitais.

Por isso, Ghilardi pontua que é necessário diversificar a carteira de investimentos. “Além de realizar uma análise cuidadosa e considerar múltiplos fatores, como o rendimento de dividendos, para assim tentar mitigar esses riscos e fazer investimentos mais conscientes”, ensina.

Quanto o BB pretende pagar de dividendos?

Já falamos dos valores a serem entregues aos acionistas do BB ainda neste mês de junho. Mas, por outro lado, é interessante saber a evolução dos dividendos do Banco do Brasil (BBAS3) ao longo dos últimos anos.

Então, em 2019, o BB pagou 4,83% em dividendos. No ano de 2020, pagou 3,81%. Já em 2021, o pagamento foi de 7,85%. Em 2022, pagou 11,99%. No ano passado, 2023, pagou 8,25%. “Em 2024, até agora, já pagou 7,04% e a expectativa é que termine o ano acima dos 9,5%”, diz Ghilardi.

E quanto o Banco do Brasil (BBAS3) paga de dividendos por ação?

Segundo Vicente Guimarães, com um preço por ação de R$ 26,50 e um yield de 7,5%, a instituição paga cerca de R$ 1,98 por ação. “Basta multiplicar 26,50 x 0,075, que dá R$ 1,98”, explica.

Quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil (BBAS3)

Depois dessa verdadeira aula sobre pagamento de proventos das empresas de capital aberto, é hora de revelarmos os cálculos sobre quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil (BBAS3). As simulações, aliás, foram divididas em períodos que vão de 3 meses até 20 anos.

Desse modo, começamos com os cálculos feitos por Lucas Ghilardi, especialista em mercado de capitais e sócio da The Hill Capital. “Levei em consideração um dividend yield médio ponderado de 8,5% ao ano. Sem contar com potencial valorização da ação”, afirma. Veja só quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil (BBSA3) em:

  • 3 meses: em torno de 2 mil;
  • 3 anos: aproximadamente R$ 27,7 mil;
  • 15 anos: mais ou menos R$ 339,9 mil;
  • 20 anos: em torno de R$ 511,2 mil.

Já Vicente Guimarães, CEO da VG Research, tomou como base para a simulação o yield de 10% ao ano. Assim, confira quanto rendem R$ 100 mil em dividendos do Banco do Brasil (BBSA3) em:

  • 1 ano: mais ou menos R$ 10 mil;
  • 2 anos: aproximadamente R$ 20 mil;
  • 5 anos: em torno de R$ 50 mil;
  • 10 anos: mais ou menos R$ 100 mil.

“Essas contas desconsideram a inflação e a o crescimento provável nos dividendos. Mas em termos reais, podemos considerar que tanto os resultados do banco quanto os seus dividendos são naturalmente corrigidos pela inflação”, conclui o especialista. E para entender mais sobre os dividendos do Banco do Brasil (BBSA3), confira a página oficial da instituição sobre o assunto clicando aqui.