Por que o investimento internacional importa?

Além de diversificar riscos e investir em ativos que não existem no Brasil, investir no exterior, pode aumentar os retornos

Quando falamos de investimentos, uma das principais frases que aparece é a famosa “não coloque todos os ovos na mesma cesta”. Ela traduz de forma bem simples e objetiva a importância de termos investimentos diversificados. Mas quando pensamos em diversificação, qual a reflexão que você faz? Diversifica como? É sobre isso que quero falar com você hoje, com foco em ETFs. Quero expandir sua percepção sobre isso.

Por vezes, é muito comum pensarmos apenas em diversificar a carteira entre classes de ativos. Como fundos e/ou ETFs de renda fixa/renda variável, estratégias imobiliárias, fundos de crédito e agro, além de uma série de outras possibilidades.

Bem. Um primeiro passo nessa jornada é entender a diversificação entre classes de ativos e mesmo dentro de cada uma. Então, vamos lá.

Diversificação na renda fixa

Mesmo de dentro da renda fixa, temos possibilidades importantes de diversificação.

Por exemplo: o ETF B5P211 tem um perfil de risco baixo, considerando que é composto por títulos IPCA + do Tesouro com vencimento de até 5 anos. Isso faz com que ele consiga proteger seu dinheiro da inflação, tendendo a apresentar uma baixa volatilidade quando, por exemplo, comparado com o ETF IB5M11, esse composto também por títulos IPCA+ do Tesouro mas com vencimento superior a 5 anos.

Diversificação na renda variável

Da mesa forma, podemos pensar na diversificação em renda variável. Podemos agregar uma parcela de nossos investimentos com o ETF SMAC11, composto pelas empresas smallcaps, que tendem a apresentar um maior potencial de crescimento ( bem como maior volatilidade).

E, por outro lado, podemos incorporar uma estratégia como o ETF DIVD11, que, por ter as melhores pagadoras de dividendos segundo o índice IDIV da B3, tem um perfil de menor volatilidade.

Percebe, então, que, mesmo dentro da mesma classe de ativos, eu consigo ir adicionando exposições diferentes que ajudam os meus investimentos a estarem preparados para os diferentes.

De produto para portfólio

Para isso, preciso mudar a forma como penso sobre meus investimentos: sair de uma visão de produto para uma visão de portfólio.

Pois bem, mas o que falta nessa construção?

Falta pensar em estratégias e investimentos que sejam descorrelacionados da economia local, que ofereçam exposição a teses de investimentos diferentes daquelas existentes nos ativos brasileiros e/ou ainda tendências que sejam verificadas em outras geografias.

Estamos falando, então, dos investimentos internacionais.

Os investimentos fora do Brasil

Temos como exemplo os ETFs SPXI11 (investe em um dos principais índices da bolsa américa- S&P500), TECK11 (investe em um grupo de empresas líderes na área de Tecnologia) e BITI11 (investe em Bitcoin).

Por exemplo: você já parou para pensar o quanto do seu patrimônio – além dos investimentos – tem exposição local? Pois bem, olha a importância de adicionar elementos internacionais em seus investimentos para que eles agreguem valor, ao mesmo tempo em que adicionem descorrelação em seu portfólio.

Quando pensamos em investimentos e mercados financeiros, observar os chamados “ciclos econômicos”, mirando um horizonte de médio e longo prazo, é fundamental.

Dessa forma, evitamos a tentação de realizar o chamado “timing” de mercado e não caímos na falácia de que investir é ficar mudando a estratégia a todo instante.

Isso te protege de ser ciclotímico e, assim, não gera a ansiedade de querer acertar tudo o tempo todo.

A visão de portfólio, e onde buscamos alocar cada parte do nosso investimento de forma a agregar valor e gerar descorrelação entre as aplicações, é fundamental.

Por que investir fora do Brasil?

Além de diversificar riscos e permitir aplicar em ativos que não existem no Brasil, investir no exterior, na prática, pode aumentar os retornos dos investidores, tornando seus investimentos mais resilientes aos diversos cenários e ciclos que passamos.

Pense nisso.

*Texto de Renato Eid para o íon; para ler este e outros conteúdos, acesse ou baixe o app agora mesmo.

Leia a seguir

Leia a seguir