Nova queridinha de Warren Buffett e mais duas seguradoras para investir via BDR na B3

Berkshire Hathaway, de Buffett, revelou qual é a ação misteriosa de seu portfólio

Berkshire Hathaway, companhia de investimento do bilionário Warren Buffett, mexeu com o mercado financeiro americano em maio ao revelar a ação da carteira que estava sob sigilo de mercado. Tratava-se da Chubb (CB), uma companhia de seguros de Nova York fundada há mais 140 anos. Assim, a informação colocou fim a um mistério que intrigava os seguidores do guru de Omaha havia alguns meses.

A Berkshire Hathaway comprou quase 26 milhões de ações da empresa por cerca de US$ 6,7 bilhões, tornando-se a segunda maior detentora da Chubb, de acordo com um documento regulatório. A companhia vale cerca de US$ 107 bilhões. No dia 16 de maio, um dia após a revelação, as ações da seguradora avançaram 4,71%.

Chubb, a nova aposta de Warren Bufeett

A Chubb é uma das maiores seguradoras de acidentes patrimoniais de capital aberto do mundo. A companhia é hoje liderada por Evan Greenberg, filho do ex-CEO da American International Group Maurice “Hank” Greenberg – outro magnata do setor de seguros nos EUA.

A Chubb recentemente virou notícia no mundo por ser a seguradora da ponte Francis Scott Key, em Baltimore, que ruiu após acidente com um navio cargueiro em março.

Mercado de seguros

O mercado de seguros é hoje o principal filão da Berkshire, que detém participações da seguradora de automóveis Geico, além de diversas outras companhias do ramo. Em sua recente carta aos acionistas, Buffett escreveu que “o seguro contra acidentes de propriedade constitui a base do bem-estar e do crescimento da Berkshire”.

De acordo com o analista Thiago Guedes, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Bridgewise no Brasil, o setor de seguros vem forte já há algum bom tempo. “Desde a pandemia de Covid-19, houve uma alta de pessoas procurando seguros, e todo o setor tem andado muito bem. A captação tem sido boa. Isso tem levado bons investidores a buscar essa segurança dessas carteiras”, pontua o especialista.

Guedes destaca que, no setor, a empresa vende o seguro por um prêmio. “Ele recebe esse prêmio e vai pagar esse seguro no futuro. Então, a seguradora tem ali um capital que ela tem que investir. Assim, uma análise que deve ser feita é qual a carteira que essas seguradoras possuem de investimentos”, explica ele.

O analista reforça que “provavelmente o Warren Buffet gosta da carteira da Chubb”. “A seguradora tem uma carteira bem diversificada. É uma empresa com muitos anos de negociação, uma das maiores do mundo e sempre se demonstrou muito resistente”, diz Guedes.

Os números da Chubb

Com relação aos resultados da Chubb, o diretor da Bridgewise destaca os dados financeiro da empresa. “Ela tem um tamanho de mercado de US$ 111 bilhões. Isso é bastante coisa. Então, isso garante uma liquidez e uma segurança maior. Destaca-se na Chubb, com análise da sua última divulgação de resultados, o aumento de 17,8% na receita e de 15,5% no lucro por ação no primeiro trimestre de 2024 em relação ao ano anterior”, avalia Guedes.

Segundo o analista, a empresa demonstrou um crescimento bem consistente, com a margem Ebitda saindo de 19,9% para 21,9%. “A seguradora tem melhorado a eficiência operacional. E o fluxo de caixa livre, uma coisa muito importante para uma empresa desse tamanho, também cresceu, de US$ 969 milhões para US$ 3,22 bilhões de dólares”, diz Guedes. Em resumo, a Chubb cresceu muito.

Além disso, a empresa pagou US$ 153 milhões em dividendos e recomprou ações no último trimestre.

Como investir na Chubb?

É possível acessar a Chubb a partir do Brasil via B3 por meio de seu BDR – o código é C1BL34. “Você pode comprar tanto em plataformas globais (a ação propriamente dita), quanto na própria B3, o que acaba sendo bem interessante. Isso porque você investe em uma empresa precificada também em dólar, já que é negociada lá fora. Nesse sentido, você tem também uma proteção cambial”, explica Guedes.

Outras opções de seguradoras

Além da Chubb, o setor tem outras boas opções de seguradoras nos Estados Unidos que também podem ser acessadas via BDR, de acordo com o diretor da Bridgewise.

Uma delas é a Allstate (ALL), que fornece produtos de seguros de propriedade e acidentes, entre outros, nos EUA e no Canadá. Seu código na B3 é A1TT34. “É uma empresa que está até mais bem pontuada que a Chubb na nossa análise. Ela também divulgou bons resultados recentemente. Está entre as melhores empresas do setor e tem uma taxa de retorno sobre patrimônio líquido (ROE) muito superior em relação aos pares”, afirma Guedes.

Outra boa opção de BDR citada pelo analista é a holding de seguros Progressive Corporation (PGR), cujo código na B3 é P1GR34. “É outra seguradora grande, que também está com melhor análise na Bridgewise que a Chubb. Trata-se de outra empresa boa, que teve uma DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) muito forte. Ela teve um desempenho forte em caixa. O Ebitda também está bem interessante”, avalia Guedes.