Vivara (VIVA3) entra na carteira de small caps do Itaú BBA: ‘excelente oportunidade’

Já a Santos Brasil (STBP3) deixa a lista de recomendações do banco: 'principal notícia já aconteceu'

O Itaú BBA informou nesta quinta-feira (24) uma mudança em sua carteira Small Caps, composta por dez ações negociadas na B3, a bolsa brasileira, com valor de mercado inferior a R$ 10 bilhões.

A Vivara (VIVA3) entra no lugar da Santos Brasil (STBP3) na lista de recomendações do banco de investimentos.

“Sim, as ações da Vivara já subiram 38% no ano, mas avaliamos que ainda há potencial de mais 23% de alta até o final de 2023”, escreve em relatório o estrategista Victor Natal.

“A companhia é uma das poucas no universo de varejo/consumo que apresenta uma composição de resultados recentes muito fortes (com tendência de continuidade), potencial de crescimento relevante e múltiplos razoáveis”, acrescenta o especialista.

Para o Itaú BBA, muito da opinião positiva em relação à Vivara vem da marca Life, principal meio de crescimento da empresa.

Além disso, na visão do estrategista do banco, as lojas novas da companhia já maturadas vêm mostrando margens mais fortes do que o esperado.

“Crescimento acelerado, com margens (rentabilidade) crescentes e a um P/L (preço em relação ao lucro) de aproximadamente 15 vezes para 2024 nos soam como uma excelente
oportunidade”, destaca Victor Natal.

Sobre a saída da Santos Brasil da carteira Small Caps, ele ressalta que a empresa cumpriu seu papel e rendeu 9% no período em que esteve na composição, ante um Ibovespa que subiu 3%.

“Avaliamos que a principal notícia para a tese de Santos Brasil já aconteceu e foi precificada”, explica.

“O forte reajuste de preço do contrato da companhia com a Maersk, principal cliente e responsável por 60-65% do volume transportado pela Santos Brasil, foi anunciado em abril desse ano”, lembra.

Por fim, o estrategista relata que a carteira do Itaú BBA tem mostrado uma performance “robusta” em 2023.

“Enquanto o Ibovespa sobe 7,7%, a Small Caps já ultrapassa a marca dos 19,7% no ano – ante o SMAL11 (ETF que replica o índice de small caps da B3), a carteira acumula 4,8% de excesso de retorno”, diz.

A lista de recomendações ainda traz: PetroReconcavo (RECV3), 3R Petroleum (RRRP3), Smartfit (SMFT3), Minerva (BEEF3), M. Dias Branco (MDIA3), Vivara (VIVA3), Cyrela Realty (CYRE3), 3tentos (TTEN3), Track & Field (TFCO4) e Alupar (ALUP11).