Lula diz que nível da Selic é ‘irracional’ após BC manter taxa em 13,75% ao ano

Presidente concedeu declaração na Itália, pouco antes de embarcar para a França

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu à decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de manter a taxa básica de juros da economia em 13,75%, sem indicar uma queda futura. O presidente afirmou que o nível da Selic é “irracional” e que a direção do Banco Central (BC) joga contra os interesses do País.

“É irracional o que está acontecendo no Brasil, uma taxa de 13,75% e inflação de 5%”, afirmou, sem citar Roberto Campos Neto, presidente do BC.

Lula concedeu entrevista coletiva antes de decolar da Itália para a França. O chefe do Executivo argumentou que a Selic acaba por aumentar o juro real, quando há queda da inflação, e que ninguém no Brasil está tomando crédito porque a sociedade não consegue pagar.

O presidente afirmou ainda que o questionamento ao BC, vocalizado por ele desde o inicio do mandato, não é apenas do governo federal, mas da sociedade como um todo, inclusive dos industriais.

“O problema com o BC não é do governo, é da sociedade”, afirmou Lula. “Não é o governo que está brigando com o BC, quem está brigando com o Branco Central é a sociedade brasileira, a Confederação Nacional da Indústria está brigando, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, a maior do Brasil, está brigando com taxa de juros, os maiores varejistas estão brigando com taxa de juros.”

Campos Neto tem de ser cobrado, diz Lula

Segundo Lula, os senadores que autorizaram a indicação de Campos Neto ao BC durante o governo passado agora devem tomar providências.

“Foram os senadores que colocaram o cidadão lá, tem que verificar se ele está cumprindo com o que tem de cumprir. Ele tem que ser cobrado”, disse. “Acho que esse cidadão joga contra a economia brasileira. Ele não tem explicação, não existe explicação aceitável por que a taxa de juros está em 13,75%, Não temos inflação de demanda.

O presidente disse que passou a cobrar os senadores para pressionar a diretoria do Banco Central. Integrantes do governo falaram em “declaração de guerra” e “boicote” por parte do presidente do BC, Roberto Campos Neto, indicado no governo Jair Bolsonaro. Lula evitou os termos. Ele tem mandato de quatro anos no cargo e já disse que não pretende encurtar sua gestão, prevista para terminar no ano que vem.

Com informações do Estadão Conteúdo