Morning call: bolsa começa o dia pressionada por desempenho ruim na véspera

Bolsa recuou aos 113 mil pontos e dólar apresentou forte avanço diante do real

O morning call de hoje mostra que o Ibovespa começa o dia pressionado. Isso devido ao resultado negativo da sessão anterior e por conta da escalada do dólar.

O contexto local de taxa Selic ainda elevada, juros futuros com alta expressiva e, no exterior, a escalada do rendimento dos Treasuries americanos nas últimas semanas vêm afetando a atratividade dos investimentos em renda variável, prejudicando o desempenho da bolsa.

No fechamento de terça-feira, a bolsa recuou 1,42%, a 113.419,04 pontos. O dólar, por outro lado, avançou com força diante do real: alta de 1,73%, cotado a R$ 5,1543. A máxima do dia de ontem foi de R$ 5,16.

Análise de William de Castro mostra o que explica neste momento o pessimismo com os ativos de risco.

A agenda da semana apresenta dois dados importantes. Isto é, há uma reunião da Opep, a Organização dos Países Exportadores de Petróleo, e nos Estados Unidos há a divulgação da variação de empregos privados de setembro. São assuntos para não perder de vista.

Como sempre, é preciso ficar de olho no que ocorreu na Ásia e como isso afeta o morning call por aqui. Vamos ao fechamento por lá:

Bolsas asiáticas

As bolsas asiáticas encerraram os negócios desta quarta-feira (4) em forte baixa. Afinal, acompanharam o Wall Street, que ontem sofreu expressivas perdas após novos sinais de que os juros nos EUA deverão permanecer em níveis elevados por mais tempo.

O índice japonês Nikkei caiu 2,28% em Tóquio, a 30.526,88 pontos, e o sul-coreano Kospi recuou 2,41% em Seul, a 2.405,49 pontos, ao retornar de uma sequência de feriados, enquanto o Hang Seng cedeu 0,78% em Hong Kong, a 17.195,84 pontos, e o Taiex registrou queda de 1,10% em Taiwan, a 16.273,38 pontos.

Na China, os mercados seguem fechados devido ao feriado da Semana Dourada.

O mau humor na Ásia veio após as bolsas de Nova York caírem entre 1,3% e 1,9% nesta terça, à medida que dados positivos do mercado de trabalho dos EUA reforçaram a visão de que os juros americanos continuarão altos por mais tempo, levando os rendimentos dos Treasuries a renovar máximas em 16 anos.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou igualmente no vermelho hoje, terminando o pregão no menor nível em 11 meses. O S&P/ASX 200 caiu 0,77% em Sydney, a 6.890,20 pontos.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo