Morning call: bolsa repercute prévia da inflação, dados de emprego e plano da Petrobras (PETR4)

Ontem, a bolsa oscilou durante todo o pregão, mas terminou em alta

O morning call de hoje (28) indica um dia cheio para o mercado repercutir. Afinal, haverá a divulgação do Caged, os dados oficiais de emprego e desemprego, além da prévia da inflação com o IPCA-15.

Também pode repercutir hoje o detalhamento do plano de investimento da Petrobras (PETR4), anunciado na segunda-feira e que prevê pagar R$ 270 bilhões em dividendos até 2028.

Ontem, a bolsa de valores oscilou durante todo o pregão, mas terminou o dia em alta. Assim, o Ibovespa fechou em elevação de 0,17%, a 125.517,27 pontos e deu sequência aos ganhos da semana anterior. O dólar avançou 0,03%, cotado a R$ 4,8997.

Divulgação mais importante

Dado mais importante do dia e que pode impactar o morning call, pela mediana das estimativas do mercado o IPCA-15 deve avançar 0,30% em novembro depois de subir 0,21% em outubro, mostra as Projeções Broadcast. Além disso, no acumulado em 12 meses, o consenso das expectativas dos agentes financeiros aponta uma desaceleração da prévia da inflação de 5,05% para 4,81%.

“Esperamos uma alta mensal de 0,29%, impulsionada pelos preços dos alimentos no domicílio”, diz o Itaú Unibanco em relatório.

“Vale ressaltar que, mais uma vez, esperamos uma composição benigna com queda do núcleo da inflação na margem”, acrescenta o banco, mencionando o cálculo que desconsidera as maiores e as menores variações dos preços que compõem o índice cheio.

“Nossa expectativa para o IPCA-15 de novembro é de 0,27%”, sinaliza a Warren Investimentos. Andréa Angelo, estrategista de inflação da casa, observa, aliás, que a aceleração da taxa mensal deve ser puxada pelas carnes e alimentos in natura.

Por outro lado, além da gasolina, o alívio nos preços pode vir do grupo higiene pessoal, avalia a especialista. “Estamos considerando que uma parte dos descontos da Black Friday em itens de cuidados pessoais já pode apresentar algum efeito”, comenta Andréa.

Menos vagas formais

Ainda na agenda de indicadores, o Ministério do Trabalho informa no começo da tarde os números de outubro do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Até setembro, o saldo de empregos com carteira assinada no Brasil em 2023 era positivo em 1.599.918 vagas.

A mediana do mercado, de acordo com as Projeções Broadcast, indica a criação líquida de 135 mil postos formais de trabalho ante 211 mil do mês anterior.

“O Caged deve seguir em trajetória de desaceleração na criação de vagas com carteira assinada, apesar do resultado de setembro ter vindo acima do esperado, diante do quadro de crescimento mais brando da atividade econômica”, diz o Banco do Brasil em relatório.

Bolsas asiáticas

Os mercados acionários da Ásia não tiveram direção única no morning call desta terça-feira (28). Entre os principais, Xangai exibiu ganho, mas Tóquio caiu, embora nos dois casos o impulso tenha sido limitado.

O índice Nikkei fechou em baixa de 0,12%, a 33.408,39 pontos, em quadro de força do iene, que pressiona ações de exportadoras do Japão. Houve ainda relatos sobre ajustes de posições, antes do fim do mês. Entre papéis em foco, Denso caiu 4,8%, Ono Pharmaceutical teve baixa de 2,8% e Mazda Motor, de 2,3%. Já Sojitz subiu 8,5%, após estabelecer meta de lucro líquido que agradou o mercado.

China

Na China, a Bolsa de Xangai registrou alta de 0,23%, a 3.038,55 pontos, e a de Shenzhen, de menor abrangência, subiu 0,60%, a 1.904,81 pontos.

Ações de montadoras apoiaram o mercado local, após a mídia chinesa reportar que a Huawei havia convidado parceiras a investir em joint venture para carros inteligentes com a Chongqing Changan Automobile.

Changan subiu 9,8% e Seres Group, 3,7%. O sentimento pode ter sido apoiado também pelo tom otimista sobre a perspectiva econômica do país, em discurso do presidente do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês), Pan Gongsheng. Ações de farmacêuticas subiram, mas incorporadoras estiveram sob pressão.

Hong Kong

Em Hong Kong, o índice Hang Seng fechou em queda de 0,98%, em 17.354,14 pontos. Ações ligadas ao setor de tecnologia e a alimentos e bebidas estiveram sob pressão. Meituan caiu 5,2%, antes de publicar balanço do terceiro trimestre, e Alibaba recuou 2,1%.

Taiwan e Coreia do Sul

Em Taiwan, o índice Taiex avançou 1,19%, a 17.341,25 pontos.

Na Coreia do Sul, o Kospi registrou alta de 1,05% em Seul, a 2.521,76 pontos. O setor de eletrônico foi destaque, com Samsung Electric em alta de quase 2%. LG Corp subiu 1,6% e SK Hynix, 0,5%.

Bolsas na Oceania

Na Oceania, em Sydney o índice S&P/ASX 200 fechou em alta de 0,39%, em 7.015,20 pontos. Ações de bancos e de empresas ligadas ao ouro avançaram, mas o setor de energia exibiu sinal negativo.

Com informações da Dow Jones Newswires e Estadão Conteúdo